Exportar registro bibliográfico

Prevalência de escoliose idiopática do adolescente em cidades do estado de São Paulo (2016)

  • Authors:
  • Autor USP: PENHA, PATRICIA JUNDI - FM
  • Unidade: FM
  • Sigla do Departamento: MFT
  • Subjects: ESCOLIOSE; ADOLESCENTES; PREVALÊNCIA; PLANOS E PROGRAMAS DE SAÚDE; SÃO PAULO
  • Keywords: Adolescent; Mass screening; Prevalence; Scoliosis
  • Language: Português
  • Abstract: A escoliose idiopática do adolescente (EIA) é uma deformidade tridimensional da coluna vertebral. Dados epidemiológicos sobre sua prevalência nas regiões do hemisfério sul não são suficientes. Primeiramente, o objetivo deste estudo foi estimar a prevalência da EIA em cidades do interior do estado de São Paulo; secundariamente, identificar fatores demográficos, clínicos e relacionados ao estilo de vida e à postura associados à ocorrência da escoliose e avaliar a validade e capacidade preditiva do escoliômetro®. Foram avaliados 2.562 adolescentes (1.490 meninas e 1.072 meninos), entre 10 e 14 anos. Os adolescentes eram estudantes de escolas públicas estaduais pertencentes à Diretoria Regional de Ensino de Mogi Mirim/SP. O rastreamento para EIA foi feito pela mensuração do ângulo de rotação de tronco (ART) no teste de Adams por meio do escoliômetro® e pelo exame radiográfico. Adolescentes com ART >= 7º foram encaminhados para radiografia e diagnosticou-se a escoliose quando o ângulo de Cobb foi maior ou igual a 10º. A avaliação postural foi realizada por fotografias analisadas no Software de Avaliação Postural (SAPO) dos adolescentes com suspeita (ART >= 7º e Cobb < 10º) e com escoliose (ART >= 7º e Cobb >= 10º). Os resultados mostraram prevalência de 1,5% (IC95%: 1 - 1,9%), sendo maior para o sexo feminino (2,2%; IC95%: 1,4 - 2,9%) do que masculino (0,5%; IC95%: 0,1 - 0,9%). Os fatores associados à ocorrência da escoliose foram o sexo feminino (odds ratio: 4,7; IC95%: 1,8 - 12,2; p=0,001), as idades de 13 e 14 anos(odds ratio: 2,2; IC95%: 1 - 4,8; p=0,035) e o desnivelamento dos ombros (odds ratio: 1,4; IC95%: 1,1 - 1,8; p=0,011). Houve predomínio de curvas duplas (59,4%) e de lateralidade à direita (56,8%), porém de baixa magnitude (75% com ângulo de Cobb até 22º) e fator de progressão (75% com fator de até 1,2). As curvas à direita apresentaram maior magnitude (ângulo de Cobb: 20,8º (7,3º)) do que aquelas à esquerda (13,8º (4,1º)) (p=0,003). O encaminhamento ao exame radiográfico foi de 5%. O escoliômetro® apresentou melhor sensibilidade aos 45º de flexão anterior de tronco (53,8% (IC95%: 43,7 - 64)) e melhores especificidade e valor preditivo positivo aos 60º (75% (IC95%: 66,2 - 83,9%) e 78,4% (IC95%: 70 - 86,8%), respectivamente). Concluiu-se, portanto, que a prevalência da EIA em cidades do estado de São Paulo (1,5%) foi semelhante à descrita na literatura (2%), sendo também mais prevalente no sexo feminino e nas idades mais próximas à puberdade (13 e 14 anos). Considerando que a puberdade ocorre em momentos distintos entre os sexos, sendo mais tardio para o masculino, a recomendação de se realizar programas de rastreamento escolar para escoliose na mesma faixa etária (10-14 anos) para ambos os sexos deve ser repensada. A validade e capacidade preditiva do escoliômetro® foram melhores aos 60º de flexão de tronco. Em relação aos aspectos posturais, o alinhamento horizontal dos acrômios, que avalia o desnivelamento dos ombros, está associado à presença de escoliose idiopática doadolescente e deve ser considerado na rotina de avaliação dos adolescentes seja no ambiente clínico ou escolar
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 10.08.2016
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      PENHA, Patricia Jundi; JOÃO, Silvia Maria Amado. Prevalência de escoliose idiopática do adolescente em cidades do estado de São Paulo. 2016.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5170/tde-24102016-142715/ >.
    • APA

      Penha, P. J., & João, S. M. A. (2016). Prevalência de escoliose idiopática do adolescente em cidades do estado de São Paulo. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5170/tde-24102016-142715/
    • NLM

      Penha PJ, João SMA. Prevalência de escoliose idiopática do adolescente em cidades do estado de São Paulo [Internet]. 2016 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5170/tde-24102016-142715/
    • Vancouver

      Penha PJ, João SMA. Prevalência de escoliose idiopática do adolescente em cidades do estado de São Paulo [Internet]. 2016 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5170/tde-24102016-142715/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021