Exportar registro bibliográfico

Diversidade morfológica e evolução de glândulas em anteras de Mimosoideae (Leguminosae) (2016)

  • Authors:
  • Autor USP: BARROS, THAIS CURY DE - FFCLRP
  • Unidade: FFCLRP
  • Sigla do Departamento: 592
  • Subjects: MIMOSACEAE; ANATOMIA VEGETAL; ONTOGENIA
  • Keywords: Anther appendages; Apêndices em anteras; Emergences; Emergências; Estruturas secretoras; Homologia; Homology; Ontogeny; Secretory structures
  • Language: Português
  • Abstract: Em Mimosoideae (Leguminosae), glândulas em anteras são estruturas de destaque, pois ocorrem em muitos de seus representantes e provêm caracteres com valor taxonômico no clado. O conhecimento a respeito destas glândulas era baseado principalmente em observações de morfologia externa, faltando dados a respeito de sua anatomia, ontogenia, seu funcionamento e seus aspectos evolutivos, o que contribuiria para uma caracterização mais detalhada e uma classificação mais natural dessas estruturas, além da inferência de funções ecológicas mais objetivas. Assim, o objetivo do estudo foi revisitar a estrutura das glândulas nas anteras, investigar sua origem meristemática e o seu desenvolvimento, acompanhar seu funcionamento, inferir funções ecológicas e, então, reconstruir sua evolução em Mimosoideae. Para contemplar os objetivos propostos, o presente estudo investigou aspectos das glândulas em anteras em 25 espécies de Mimosoideae, que representam grupos com divergências mais antigas e recentes no clado. Foram encontrados quatro tipos principais de glândulas: (1) O tipo Piptadenia, caracterizado por uma glândula pedunculada com ápice esférico e que inclui três subtipos: Piptadenia, com ápice composto de células isodiamétricas; Adenanthera, com ápice composto de uma camada de células epidérmicas alongadas que delimitam células isodiamétricas; e Entada, com ápice composto de uma camada de células epidérmicas volumosas que delimitam um lúmen. (2) O tipo Pentaclethra, uma glândula robustacomposta de uma camada de células epidérmicas em paliçada e células centrais isodiamétricas, com pedúnculo vascularizado. (3) O tipo Prosopis africana, uma glândula robusta, séssil e vascularizada. (4) Finalmente o tipo Gagnebina, uma glândula acuminada com células alongadas. Apesar da diversidade morfológica, as glândulas de anteras compartilham uma origem meristemática comum. Elas surgem de divisões simultâneas nas primeiras três camadas de células meristemáticas que cobrem a porção apical da antera jovem, sendo classificadas como emergências. Os tipos de glândulas podem apresentar diferenças quanto a: (1) estrutura na pré-antese e antese; (2) longevidade; (3) aspecto e composição química do exsudato e (4) forma de liberação do exsudato. Baseados na caracterização e forma de liberação do exsudato, e no comportamento dos visitantes florais, nossos dados apontam que as glândulas atuam principalmente (a) na produção de substâncias que atuam na adesão do pólen ao corpo do polinizador ou à antera e (b) na produção de fragrância floral atuando como osmóforos. A presença de glândulas em anteras parece ter uma origem única em Mimosoideae, com alguns eventos de perda. O estado ancestral da estrutura das glândulas provavelmente corresponde ao tipo Piptadenia subtipo Adenanthera. Ainda, parece existir uma relação positiva entre ausência de glândulas e a presença de inflorescências de eixo curto, de estames numerosos e de estames unidos. Nossos dados indicam que em Mimosoideae, asglândulas em anteras são caracteres com potencial significado filogenético. A origem meristemática conservada das glândulas além da origem única da presença de glândulas em anteras Mimosoideae favorece a hipótese de homologia dessas estruturas e apoia a monofilia do clado
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 06.05.2016
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      BARROS, Thais Cury de; TEIXEIRA, Simone de Pádua. Diversidade morfológica e evolução de glândulas em anteras de Mimosoideae (Leguminosae). 2016.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2016. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/59/59139/tde-16082016-104950/ >.
    • APA

      Barros, T. C. de, & Teixeira, S. de P. (2016). Diversidade morfológica e evolução de glândulas em anteras de Mimosoideae (Leguminosae). Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/59/59139/tde-16082016-104950/
    • NLM

      Barros TC de, Teixeira S de P. Diversidade morfológica e evolução de glândulas em anteras de Mimosoideae (Leguminosae) [Internet]. 2016 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/59/59139/tde-16082016-104950/
    • Vancouver

      Barros TC de, Teixeira S de P. Diversidade morfológica e evolução de glândulas em anteras de Mimosoideae (Leguminosae) [Internet]. 2016 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/59/59139/tde-16082016-104950/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021