Exportar registro bibliográfico

Padronização do eletrorretinograma de campo total em cães da raça Yorkshire Terrier (2016)

  • Authors:
  • Autor USP: EYHERABIDE, ANA RODRIGUES - FMVZ
  • Unidade: FMVZ
  • Sigla do Departamento: VCI
  • Subjects: CÃES; CATARATA; ELETRORRETINOGRAFIA
  • Keywords: Cataract; Electroretinogram; Eletrorretinograma; Yorkshire Terrier
  • Language: Português
  • Abstract: O eletrorretinograma de campo total consiste no registro da resposta elétrica difusa gerada pelas células da retina, e é considerado, nos cães, um exame essencial, principalmente nos casos de encaminhamento de cirurgia de catarata e em doenças que afetam a função retiniana. Todavia, diversos fatores podem influenciar nos valores de amplitude e tempo de culminação das respostas obtidas no exame, como idade do animal, raça, presença de catarata e seu estágio de desenvolvimento e uso da anestesia ou sedação. O objetivo desse estudo foi avaliar a interferência da idade e do estágio de desenvolvimento da catarata, além de padronizar valores da resposta dos eletrorretinogramas, nos cães da raça Yorkshire Terrier, com uso de sedação. Foram selecionadas 84 fichas e 157 olhos de exames realizados no período de 2006 a 2013. Utilizou-se aparelho de eletrorretinograma de campo total BMP-200 e eletrodo ativo corneal ERG-jet. Amplitude de pico a pico e tempo de culminação de resposta de bastonetes, máxima e cones foram obtidas. Os animais foram separados de acordo com as faixas etárias:1 a 5 anos de idade, 6 a 10 anos de idade e 11 a 15 anos de idade. Adicionalmente, os olhos selecionados foram divididos pelo estágio de desenvolvimento da catarata apresentada: incipiente, imatura, madura e hipermadura. Testes ANOVA de duas vias foram realizados para determinar possível diferença entre os grupos de tipos de catarata e entre as faixas etárias. Os valores padrão de cada grupo foi descrito.Houve diferença na amplitude da resposta de bastonetes, máxima e cones entre todas as faixas etárias, além de diferença no tempo de culminação da resposta máxima entre as faixas etárias. O aumento da idade do animal mostrou-se como o fator mais influente nos valores de amplitude de bastonetes, máxima e cones. O tempo de culminação, no entanto, mostrou-se mais estável. Os diferentes estágios de desenvolvimento de catarata apresentaram pouca interferência na resposta final do eletrorretinograma. Conclui-se que a idade é o principal fator de interferência do eletrorretinograma de campo total nos cães, nos valores de amplitude pico a pico, nas respostas de bastonetes, máxima e cones. A presença de catarata e seu estágio de desenvolvimento não foram significativos
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 08.06.2016
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      EYHERABIDE, Ana Rodrigues; BARROS, Paulo Sergio de Moraes. Padronização do eletrorretinograma de campo total em cães da raça Yorkshire Terrier. 2016.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10137/tde-03102016-100114/ >.
    • APA

      Eyherabide, A. R., & Barros, P. S. de M. (2016). Padronização do eletrorretinograma de campo total em cães da raça Yorkshire Terrier. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10137/tde-03102016-100114/
    • NLM

      Eyherabide AR, Barros PS de M. Padronização do eletrorretinograma de campo total em cães da raça Yorkshire Terrier [Internet]. 2016 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10137/tde-03102016-100114/
    • Vancouver

      Eyherabide AR, Barros PS de M. Padronização do eletrorretinograma de campo total em cães da raça Yorkshire Terrier [Internet]. 2016 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10137/tde-03102016-100114/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021