Exportar registro bibliográfico

Evolução das doses no ambiente do Reator IEA-R1 e tendências com base nos resultados atuais (2016)

  • Authors:
  • Autor USP: TOYODA, EDUARDO YOSHIO - IPEN
  • Unidade: IPEN
  • Subjects: REATORES NUCLEARES; REATORES NUCLEARES DE FISSÃO; DOSIMETRIA; RADIOPROTEÇÃO; SEGURO DE ACIDENTE DO TRABALHO
  • Language: Português
  • Abstract: O Ipen/Cnen-SP possui um Reator de Pesquisa(IEA-R1) em operação desde 1957. Ele utiliza água leve como blindagem, moderador e como fluido refrigerante, o volume desta piscina é de 273m3. Até 1995 a operação do Reator era descontinua, ou seja, operava diariamente sendo desligado no final do dia, a uma potência de 2,0 MW. A partir daquele ano, após algumas modificações de segurança, o Reator passou a operar de forma continua, ou seja, de segunda-feira a quarta-feira sem ser desligado, totalizando 64 horas semanais. A potência também foi aumentando até 4,5 MW em 2012. Em virtude dessas alterações, a saber, operação contínua e do aumento da potência, as doses dos trabalhadores aumentaram e por isso foram realizados vários estudos para diminui-las. Estudos demonstraram que uma das principais limitações para operação de um reator em potência elevada, provém das radiações gama emitidas pelo sódio-24. Outros elementos como magnésio-27, Alumínio-28, Argônio-51, contribuem de forma considerável para a atividade da água da piscina. A introdução de uma camada de água quente em sua superfície, estável e isenta de elementos radioativos com 1,5m a 2m de espessura constituiria uma blindagem às radiações provenientes dos elementos radioativos dissolvidos na água. Estudos de otimização provaram que a instalação da camada quente não era necessária para o regime e potência atual de operação do Reator, pois outros procedimentos adotados eram mais eficazes. A partir desta decisão o serviço deProteção Radiológica do Reator IEA-R1, montou um programa de avaliação das doses para certificar-se de que elas se mantinham em valores razoáveis baseados em princípios estabelecidos em normas nacionais e internacionais. O intuito deste trabalho é realizar uma análise das doses individuais dos IOE (Individuo Ocupacionalmente Expostos), considerando as mudanças no regime de operação do Reator e sugerir opções de proteção e segurança, viáveis em primeira instância, para reduzir as doses analisadas, visando se chegar aos níveis de referencia de 3 mSv/ano adotados pela instalação em apreço
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 19.05.2016

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      TOYODA, ^Eduardo^Yoshio; SORDI, Gian Maria Agostino Angelo. Evolução das doses no ambiente do Reator IEA-R1 e tendências com base nos resultados atuais. 2016.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016.
    • APA

      Toyoda, ^E. ^Y., & Sordi, G. M. A. A. (2016). Evolução das doses no ambiente do Reator IEA-R1 e tendências com base nos resultados atuais. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Toyoda ^E^Y, Sordi GMAA. Evolução das doses no ambiente do Reator IEA-R1 e tendências com base nos resultados atuais. 2016 ;
    • Vancouver

      Toyoda ^E^Y, Sordi GMAA. Evolução das doses no ambiente do Reator IEA-R1 e tendências com base nos resultados atuais. 2016 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021