Exportar registro bibliográfico

Modelagem e valoração dos serviços ambientais hidrológicos na recuperação da vegetação no Riveirão das Posses, Extrema, MG (2016)

  • Authors:
  • Autor USP: SAAD, SANDRA ISAY - PROCAM
  • Unidade: PROCAM
  • Subjects: RECURSOS HÍDRICOS; MEIO AMBIENTE; LEGISLAÇÃO AMBIENTAL; PROTEÇÃO AMBIENTAL
  • Language: Português
  • Abstract: Questões ambientais e sócio-econômicas nem sempre coexistem de forma conciliada, o que pode opor a conservação da biodiversidade, a regulação climática, a produção e qualidade da água, com outros fatores como a produção de energia, alimentos e fibras, e a geração de empregos. No Brasil, o código florestal prescreve as Áreas de Preservação Permanente como forma de garantir a manutenção dos Serviços Ambientais (SA), e os projetos de Pagamento de Serviços Ambientais (PSA) estão surgindo como forma de recompensar os provedores de SA, como o Projeto Conservador das Águas, a primeira experiência municipal brasileira, em andamento no Município de Extrema, MG. Apesar dos esforços, ainda são escassos os estudos que quantifiquem os benefícios econômicos dos serviços ambientais, fundamental para que estes sejam incluídos nas tomadas de decisões. O objetivo do trabalho foi quantificar e valorar os Serviços Ambientais hidrológicos da recuperação da vegetação, na microbacia do Ribeirão das Posses, em Extrema, através da modelagem ambiental. Utilizando o modelo InVEST (Integrated Valuation of Environmental Services and Tradeoffs) foram simuladas a vazão e o fluxo de sedimentos em um cenário anterior e posterior ao Projeto Conservador das Águas, um cenário sem práticas de conservação (Antropizado), e em cenários que priorizassem o reflorestamento ao longo das margens dos rios (reflorestamento ripário) ou nas encostas (reflorestamento das áreas íngremes). Os Serviços Ambientais foram estimados a partir do custo evitado da redução do tratamento de água e dragagem (custos off-site) e na erosão (custos on-site), em função da diferença entre os cenários, e foram comparados com o Pagamento por Serviços Ambientais e o custo de oportunidade, equivalente aos rendimentos da pecuária extensiva. Verificou-se que asestradas geraram 29% da perda de solos na bacia, e as barraginhas, uma das práticas conservacionistasadotadas pelo projeto, diminuíram em 4% os sedimentos na foz da bacia, e o reflorestamento de espécies nativas em 5%. Juntas, as duas práticas contribuíram para 9% de redução. A redução do fluxo de sedimentos do Pós-Projeto em relação ao cenário Antropizado foi de 40%. O reflorestamento ripário foi mais eficiente na redução de fluxo de sedimentos do que o reflorestamento das áreas íngremes e gerou maior redução nos custos de tratamento de água e de dragagem. Enquanto um reflorestamento ripário de apenas 5 m reduziu em 23% o fluxo de sedimentos, um reflorestamento nas áreas íngremes com a mesma área de floresta reduziu o fluxo de sedimentos em 2%. Para um reflorestamento ripário de 30 m, o mesmo foi reduzido em 50%. Por outro lado, o reflorestamento das áreas íngremes foi mais eficiente na redução da perda de solos, e portanto, obteve maior redução dos custos on-site, pela redução dos prejuízos causados pela erosão. Os resultados mostram a importância de projetos como o Conservador das Águas, não só na melhoria das condições ambientais, mas principalmente na conservação de florestas nativas. Os pequenos agricultores são uns dos principais beneficiários devido melhoria das condições sociais e ambientais, embora não sejam os únicos, uma vez que os benefícios vão além dos limites da bacia, e acreditamos que os esforços para a preservação devem ser compartilhados pelos beneficiários indiretos, que no caso da Bacia do Ribeirão das Posses, seriam os usuários da água do Sistema Cantareira. A nossa sugestão para esta contribuição é de pelo menos 28% do Pagamento por Serviços Ambientais por área preservada.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 10.03.2016
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SAAD, Sandra Isay; ROCHA, Humberto Ribeiro da. Modelagem e valoração dos serviços ambientais hidrológicos na recuperação da vegetação no Riveirão das Posses, Extrema, MG. 2016.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/106/106132/tde-23032018-155045/pt-br.php >.
    • APA

      Saad, S. I., & Rocha, H. R. da. (2016). Modelagem e valoração dos serviços ambientais hidrológicos na recuperação da vegetação no Riveirão das Posses, Extrema, MG. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/106/106132/tde-23032018-155045/pt-br.php
    • NLM

      Saad SI, Rocha HR da. Modelagem e valoração dos serviços ambientais hidrológicos na recuperação da vegetação no Riveirão das Posses, Extrema, MG [Internet]. 2016 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/106/106132/tde-23032018-155045/pt-br.php
    • Vancouver

      Saad SI, Rocha HR da. Modelagem e valoração dos serviços ambientais hidrológicos na recuperação da vegetação no Riveirão das Posses, Extrema, MG [Internet]. 2016 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/106/106132/tde-23032018-155045/pt-br.php


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020