Exportar registro bibliográfico

Desenvolvimento farmacotécnico de um radioimunoconjugado para terapia de Linfoma não-Hodgkin (2016)

  • Authors:
  • USP affiliated author: MASSICANO, ADRIANA VIDAL FERNANDES - IPEN
  • School: IPEN
  • Subjects: RADIOTRAÇADORES; RADIOTERAPIA; ANTICORPOS; COMPOSTOS ORGÂNICOS; ELETROFORESE; NEOPLASIAS; LINFOMA; SISTEMA LINFÁTICO
  • Language: Português
  • Abstract: A radioimunoterapia tem se mostrado uma modalidade terapêutica promissora, especialmente para terapia de tumores hematológicos o que tem impulsionado o desenvolvimento deste tipo de radiofármaco. Existe hoje apenas um radioimunoconjugado aprovado pelo Food and Drug Administration (FDA), ibritumomabe-tiuxetan-90Y (Zevalin®), e ele apresenta maior taxa de resposta global e de remissão completa quando comparados aos tratamentos convencionais. Entretanto, nenhum deles é comercialmente disponível no Brasil. Neste contexto, o objetivo deste trabalho foi estudar as etapas envolvidas no processo de conjugação e radiomarcação com Lu-177 do anticorpo monoclonal anti-CD20, de forma que fosse possível consolidar nacionalmente a metodologia para desenvolvimento de outros radioimunoconjugados. Nos estudos realizados para determinar a melhor razão molar anticorpo:quelante (DOTA), a razão molar 1:50, apresentou pureza radioquímica elevada (superior a 95%, após a purificação) e imunorreatividade superior a muitos estudos publicados. Além disto, o imunoconjugado apresentou estabilidade de, no mínimo 3 meses, sob refrigeração quando conjugado por dois métodos diferentes. O estudo dos parâmetros de radiomarcação permitiu a obtenção de um radioimunoconjugado com atividade específica de 740 MBq/mg, com estabilidade suficientemente longa que permitirá seu transporte às clínicas médicas. Os perfis de biodistribuição e farmacocinético foram compatíveis com outros radioimunoconjugados encontrados naliteratura. O radioimunoconjugado apresentou captação tumoral e estabilidade in vivo apreciáveis, esta última evidenciada pela baixa captação óssea. Realizaram-se estudos de liofilização da formulação aperfeiçoada do imunoconjugado que promoveram a liofilização sem dano estrutural evidenciado por eletroforese em gel de poliacrilamida com manutenção da imunorreatividade. A pureza radioquímica foi acima de 95% (após purificação) quando radiomarcado com atividade específica de 740 MBq/mg, com estabilidade relevante quando armazenado à -20 °C por até 48 horas. Foi possível não somente padronizar as metodologias de conjugação e radiomarcação de anticorpos monoclonais, mas também aprimorá-las de forma que o radioimunoconjugado produzido foi superior em muitos aspectos quando comparado com a literatura publicada. Conclui-se, portanto, que o radioimunoconjugado anti-CD20-DOTA-177Lu é uma ferramenta promissora para o tratamento de tumores linfáticos que expressam o receptor CD20
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 29.01.2016

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MASSICANO, ^Adriana^Vidal^Fernandes; ARAÚJO, Elaine Bortoleti de. Desenvolvimento farmacotécnico de um radioimunoconjugado para terapia de Linfoma não-Hodgkin. 2016.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016.
    • APA

      Massicano, ^A. ^V. ^F., & Araújo, E. B. de. (2016). Desenvolvimento farmacotécnico de um radioimunoconjugado para terapia de Linfoma não-Hodgkin. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Massicano ^A^V^F, Araújo EB de. Desenvolvimento farmacotécnico de um radioimunoconjugado para terapia de Linfoma não-Hodgkin. 2016 ;
    • Vancouver

      Massicano ^A^V^F, Araújo EB de. Desenvolvimento farmacotécnico de um radioimunoconjugado para terapia de Linfoma não-Hodgkin. 2016 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2022