Exportar registro bibliográfico

Atividade de própolis verde contra o fitopatógeno Pythium aphanidermatum e análise da interação do composto majoritário Artellin C com sistemas biomimétricos de membranas (2016)

  • Authors:
  • Autor USP: PAZIN, WALLANCE MOREIRA - FFCLRP
  • Unidade: FFCLRP
  • Sigla do Departamento: 591
  • Subjects: PRÓPOLIS; FITOPATÓGENOS; OOMYCETES
  • Language: Português
  • Abstract: O aumento da resistência micros devido a fia como uso excessivo e ineficiente de antibióticos convencionais acarreta a necessidade da busca por novos compostos bioativos que amem por mecanismos de ação diferentes aos Casacos já conhecidos. Na agricultura, o uso intensivo de perecidas para o combate de microorganismos que comprometem principalmente a parte alimentícia também traz diversos problema relacionados à resistência antimicrobiana e a riscos ambientais, oriundos do acumulo dessas subi no solo. Dentro deste aspecto, o pseudofungo Pythium aphanidermatum, da classe dos oomicetos,, deslaca-se por ser uma espécie agressiva e altamente resistente a Regicidas comuns, apodrecendo raízes e frutos de cultivas de tomate, beterraba, pepino, pimentão, etc. A própolis verde, caída em sua grande parte por material resinoso coletado e processado pela abelha da espécie Apis mellifera tem sido utilizada na medicina tradicional devido ao seu amplo espectro de ames preventivas e tratamentos de doenças, posando propriedades anti-inflamatórias, antimicrobianas, anticancerígenas e antioxidantes, tornando-se um produto de grande interesse na busca de novos compostos bioativos. Dentro destes aspectos aposentados, neste trabalho investigamos a açao da própolis verde coma o fitopatógeno P. aphanidermatum e identificamos através da técnica de cromatografia e bioensaios que a Artepillin C (3,5-diprenil-4-ácido-hidroxinâmico), marjoritária na própolis verde, foi o principal composto nesta ação. Os efeitos terapêuticos desta molécula tem sido foco de mudos estudos, porém ainda não há evidência em sua interação com agregados anfifílicos que mimetizam membranas celulares. O caráter anfiftlico do composto, elevado pela presença dos grupos prenilados ligados ao ácido cinâmico, favoreceram a sua inserção nas membranas modelo, principalmente em seu estado agregado. Estas conclusões puderam serinferidas devido às alterações nas propriedades das bicamadas lipídicass na presença da Artepillin C, podendo causar, especificamente para o ano de fitopatógenos como o P. aphamidermatum, perdas funcionais das proteinas de membranas, liberação de eletrólitos intracelulares e desintegração citoplasmática dos micélios e esporos. Ainda, as diferentes composições lipídicas nas vesículas influenciam no modo de interação do composto e consequentes alterações em suas estruturas, principalmente na presença do colesterol, que auxilia na manutenção da permeabilidade da bicamada lípidica, que pode contribuir para a integridade do conteúdo cieoplasmático da célula
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 21.03.2016

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      PAZIN, Wallance Moreira; ITO, Amando Siuiti. Atividade de própolis verde contra o fitopatógeno Pythium aphanidermatum e análise da interação do composto majoritário Artellin C com sistemas biomimétricos de membranas. 2016.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2016.
    • APA

      Pazin, W. M., & Ito, A. S. (2016). Atividade de própolis verde contra o fitopatógeno Pythium aphanidermatum e análise da interação do composto majoritário Artellin C com sistemas biomimétricos de membranas. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Pazin WM, Ito AS. Atividade de própolis verde contra o fitopatógeno Pythium aphanidermatum e análise da interação do composto majoritário Artellin C com sistemas biomimétricos de membranas. 2016 ;
    • Vancouver

      Pazin WM, Ito AS. Atividade de própolis verde contra o fitopatógeno Pythium aphanidermatum e análise da interação do composto majoritário Artellin C com sistemas biomimétricos de membranas. 2016 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021