Exportar registro bibliográfico

Parâmetros relacionados à perfusão ocular em pacientes com glaucoma primário de ângulo aberto e hipertensão arterial sistêmica (2015)

  • Authors:
  • Autor USP: GRADVOHL, HISSA TAVARES DE LIMA - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: ROO
  • Subjects: PRESSÃO SANGUÍNEA; GLAUCOMA; HIPERTENSÃO OCULAR
  • Language: Português
  • Abstract: Introdução: Compontentes hemodinâmicos e mecânicos estão envolvidos no desenvolvimento e na progressão do glaucoma primário de ângulo aberto (GPAA). Objetivo: Avaliar a relação desses parâmetros, em pacientes com glaucoma e hipertensão arterial sistêmica (HAS). Casuística e Métodos: O estudo envolveu 304 olhos, escolhidos aleatoriamente, de 304 pacientes, sendo 50% saudáveis e 50% com GPAA e HAS, em tratamento para ambas as doenças. Foram realizados os seguintes exames: medida da pressão arterial sistêmica, tonometria de contorno dinâmico, de Goldman e de Schiotz, medida do comprimento axial e paquimetria. A amplitude de pulso ocular foi obtida com o tonômetro de contorno dinâmico e foram calculadas a rigidez escleral e a pressão de perfusão ocular. Para a análise estatística foi utulizado o Programa Statistical Package for the Social Sciences (SPSS). Resultados: Os olhos dos pacientes com GPPA e HAS (grupo de estudo) apresentaram, em relação ao grupo controle, córneas mais finas (p<0,001), escleróticas mais rígidas (p=0,018), pressão intraocular e pressão arterial sistólica mais elevadas, apesar do tratamento (p=0,035 e <0,001, respectivamente), pressão de perfusão ocular mais alta (p=0,025) e amplitude de pulso ocular maior (p=0,007). As principais correlações positivas encontradas do grupo de estudo foram: A) amplitude de pulso ocular e tonometria de Goldmann e de contorno dinâmico; B) pressão de perfusão ocular e 1) pressão arterial sistêmica; 2) tonometria de Schiotz; 3) rigidez escleral. No mesmo grupo encontrou-se correlação negativa entre: A) Tonometria de aplanação e rigidez escleral; B) amplitude de pulso ocular e rigidez escleral, C) pressão de perfusão ocular e tonometria de aplanação de Goldmann e D) tonometria de contorno dinâmico e paquimetria. Os olhos do grupo controle mostraram correlação positiva entre: A) a amplitude de pulso ocular e as tonometrias realizadas pelos três métodos;B) pressão de perfusão ocular e 1) pressão arterial sistêmica; 2) rigidez escleral. As correlações negativas neste grupo foram: A) amplitude de pulso ocular e diâmetro axial; B) pressão de perfusão ocular e tonometria de aplanação de Goldmann; C) diâmetro axial e 1) rigidez escleral; 2) tonometria de aplanação de Goldmann. Conclusão: Parâmetros anatômicos e mecânicos influenciaram a amplitude de pulso ocular e a pressão de perfusão ocular em olhos de pacientes com GPAA e HAS
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 11.12.2015

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      GRADVOHL, Hissa Tavares de Lima; RODRIGUES, Maria de Lourdes Veronese. Parâmetros relacionados à perfusão ocular em pacientes com glaucoma primário de ângulo aberto e hipertensão arterial sistêmica. 2015.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2015.
    • APA

      Gradvohl, H. T. de L., & Rodrigues, M. de L. V. (2015). Parâmetros relacionados à perfusão ocular em pacientes com glaucoma primário de ângulo aberto e hipertensão arterial sistêmica. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Gradvohl HT de L, Rodrigues M de LV. Parâmetros relacionados à perfusão ocular em pacientes com glaucoma primário de ângulo aberto e hipertensão arterial sistêmica. 2015 ;
    • Vancouver

      Gradvohl HT de L, Rodrigues M de LV. Parâmetros relacionados à perfusão ocular em pacientes com glaucoma primário de ângulo aberto e hipertensão arterial sistêmica. 2015 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020