Exportar registro bibliográfico

Análise da expressão da proteína NY-ESO-1 no melanoma cutâneo (2016)

  • Authors:
  • Autor USP: GIAVINA-BIANCHI, MARA HUFFENBAECHER - FM
  • Unidade: FM
  • Sigla do Departamento: MDT
  • Subjects: MELANOMA; NEOPLASIAS CUTÂNEAS; IMUNOHISTOQUÍMICA; ANTÍGENOS NUCLEARES; NEOPLASIAS; SOBREVIDA; PROTEÍNAS PROTO-ONCOGÊNICAS; IMUNOTERAPIA
  • Keywords: Antígenos CD3; Antígenos CD8; Antígenos de neoplasias; Antigens CD3; Antigens CD8; Antigens neoplasm; FOXP3 protein human; Immunohistochemistry; Immunotherapy; Proteína humana FOXP3; Survivorship
  • Language: Português
  • Abstract: INTRODUÇÃO: o câncer é a doença que mais mata pessoas com idade abaixo de 85 anos e é um problema de saúde pública. Os tumores podem expressar em determinada fase de seu desenvolvimento proteínas anômalas que podem ser alvo de métodos diagnósticos e de intervenções terapêuticas. A expressão de NY-ESO-1 é detectada em 20 a 40% dos melanomas. Há evidências que esta expressão é mais freqüente em tumores de estágios mais avançados e está associada a um pior prognóstico. OBJETIVOS: determinar a frequência de expressão da proteína NY-ESO-1 no melanoma cutâneo e tentar correlacioná-la com o índice de Breslow, aspectos histopatológicos do melanoma, incluindo o infiltrado linfocítico tumoral, e a morbi-mortalidade dos pacientes. MÉTODOS: o presente estudo é longitudinal de coorte retrospectiva e foi realizado de agosto de 2009 a outubro de 2015. Foram selecionados 89 melanomas de 87 pacientes do Ambulatório de Tumores do Departamento de Dermatologia da FMUSP, divididos em 3 grupos, sendo: grupo 1: 34 melanomas com índice de Breslow = 4,0 mm. As lâminas dos exames anátomo-patológicos destes pacientes foram revisadas quanto ao diagnóstico de melanoma, seu índice de Breslow e a presença de infiltrado linfocítico tumoral. A seguir, realizou-se exame de imunohistoquímica para a determinação da presença do antígeno NY-ESO-1 em todos os 89 tumores coletados e em mais 20 nevos (11 displásicos e 9 intradérmicos) escolhidos ao acaso. Através da revisão dos dados do prontuário, foram obtidos osdados clínicos de: idade, sexo, raça, fototipo da pele, local de aparecimento do melanoma, status do linfonodo sentinela quando realizado, desenvolvimento de metástases e sobrevida dos pacientes. Os dados anátomo-patológicos do tumor analisados foram: tipo histológico, presença de ulceração, e tipo de infiltrado linfocítico tumoral. Nos melanomas que apresentavam infiltrado linfocítico tumoral, foram realizados testes imunohistoquímicos para pesquisa de células CD3+, CD8+, FoxP3+ e CD8+FoxP3+ (duplamente positivas). RESULTADOS: O antígeno NY-ESO-1 esteve presente em 19% dos melanomas cutâneos primários e não foi detectado em nenhum dos 20 nevos pesquisados. A expressão do antígeno NY-ESO-1 esteve estatisticamente relacionada a tumores com espessuras maiores. Apresentou também uma associação inversa com o tipo extensivo superficial em relação aos outros tipos histológicos. O infiltrado linfocítico tumoral dos melanomas NY-ESO-1 positivos continha menor número de células CD3+, que se encontravam isoladas ou arranjadas em pequenos grupos de até 5 células, o que contrastava significantemente com os tumores NY-ESO-1 negativos, com maior densidade de células CD3+, dispostas em grandes grupos, com 6 ou mais células. A expressão da proteína NY-ESO-1 não esteve associada à idade, ao sexo, ao fototipo, ao sítio primário do tumor, à presença de ulceração, ao status do linfonodo sentinela, ao desenvolvimento de metástases ou à sobrevida. CONCLUSÕES: Há expressão de NY-ESO-1 em umaporcentagem considerável dos melanomas, principalmente nos mais espessos. O menor número de células CD3+ no infiltrado linfocítico tumoral, acrescido ao fato destas células estarem isoladas ou em pequenos grupos, sugere que embora imunogênico, a expressão do antígeno NY-ESO-1 não resulta num estímulo eficaz do sistema imune no combate ao tumor. O desenvolvimento de uma vacina para estes pacientes poderá, no futuro, aumentar as possibilidades terapêuticas do melanoma
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 01.04.2016
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      GIAVINA-BIANCHI, Mara Huffenbaecher; FESTA NETO, Cyro. Análise da expressão da proteína NY-ESO-1 no melanoma cutâneo. 2016.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5133/tde-20062016-111434/ >.
    • APA

      Giavina-Bianchi, M. H., & Festa Neto, C. (2016). Análise da expressão da proteína NY-ESO-1 no melanoma cutâneo. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5133/tde-20062016-111434/
    • NLM

      Giavina-Bianchi MH, Festa Neto C. Análise da expressão da proteína NY-ESO-1 no melanoma cutâneo [Internet]. 2016 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5133/tde-20062016-111434/
    • Vancouver

      Giavina-Bianchi MH, Festa Neto C. Análise da expressão da proteína NY-ESO-1 no melanoma cutâneo [Internet]. 2016 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5133/tde-20062016-111434/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021