Exportar registro bibliográfico

Ação da proteína amiloide sérica A em melanomas (2015)

  • Authors:
  • Autor USP: BELLÉ, LUZIANE POTRICH - FCF
  • Unidade: FCF
  • Sigla do Departamento: FBC
  • Subjects: QUÍMICA MÉDICA; MELANOMA; SISTEMA IMUNE; PROTEÍNAS
  • Language: Português
  • Abstract: Concentrações séricas basais da proteína amiloide sérica A (SAA) estão significativamente aumentadas em pacientes com câncer e alguns autores sugerem uma relação causal. Trabalho anterior do grupo mostrou que a SAA induz a proliferação de duas linhagens de glioblastoma humano e afeta os processos de invasividade in vitro, sustentando um papel pró-tumoral para esta proteína. Com base nesse trabalho, investigamos a abrangência dos efeitos de SAA para outro tipo de célula tumoral e para isso escolhemos um painel de linhagens de melanoma humano e uma linhagem primária obtida a partir de aspirado de linfonodo de paciente com melanoma, por nós isolada. Observamos que apesar da célula precursora de melanomas, isto é, melanócito, não produzir SAA, todas as linhagens de melanoma produziram a proteína e expressaram alguns dos seus receptores. Além disso, quando estas células foram estimuladas com SAA houve uma inibição da proliferação em tempos curtos de exposição (48 horas) e efeitos citotóxicos após um tempo maior (7 dias). A SAA também afetou processos de invasividade e a produção das citocinas IL-6, IL-8 e TNF-α. Aos avaliarmos o efeito da SAA na interação das células de melanoma com células do sistema imune, vimos que a SAA ativou uma resposta imune anti-tumoral aumentando a expressão de moléculas co-estumolatórias, como CD69 e HLA-DR, e sua função citotóxica. Ainda, vimos que a produção de TNF-α, IFN-γ, IL-10, IL-1β e IL-8 estimuladas por SAA podem contribuir com os efeitos desta. De forma geral estes resultados nos levam a crer que a SAA tem atividade anti-tumoral em melanomas. Finalizando, com base na importância do desenvolvimento da resistência às terapias atuais para o melanoma, observamos que em células resistentes ao PLX4032, um inibidor de BRAF, os efeitos imunomodulatórios induzidos pela SAA estão abolidos, possivelmente identificando um novo componente da resistência
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 27.03.2015
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      BELLÉ, Luziane Potrich; CAMPA, Ana; MARIA-ENGLER, Silvya Stuchi. Ação da proteína amiloide sérica A em melanomas. 2015.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/9/9136/tde-01072015-104739/ >.
    • APA

      Bellé, L. P., Campa, A., & Maria-Engler, S. S. (2015). Ação da proteína amiloide sérica A em melanomas. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/9/9136/tde-01072015-104739/
    • NLM

      Bellé LP, Campa A, Maria-Engler SS. Ação da proteína amiloide sérica A em melanomas [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/9/9136/tde-01072015-104739/
    • Vancouver

      Bellé LP, Campa A, Maria-Engler SS. Ação da proteína amiloide sérica A em melanomas [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/9/9136/tde-01072015-104739/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021