Exportar registro bibliográfico

Geologia e petrologia de xenólitos mantélicos da Província Ígnea do Alto Paranaíba, Minas Gerais (2016)

  • Authors:
  • Autor USP: NANNINI, FELIX - IGC
  • Unidade: IGC
  • Sigla do Departamento: GMG
  • Subjects: MANTO DA TERRA; PETROLOGIA; KIMBERLITO
  • Language: Português
  • Abstract: Processos de fusão parcial e metassomatismo foram identificados em xenólitos mantélicos da Província Ígnea Alto Paranaíba (PIAP), na região de Coromandel (Minas Gerais), pela combinação de técnicas de análise textural (petrografia, microscopia eletrônica de varredura), análises químicas minerais pontuais de elementos maiores (por Microssonda Eletrônica), traços (por LA-Q-ICPMS) e isótopos (Sr em clinopiroxênio por LA-MC-ICPMS). Os xenólitos, oriundos dos kimberlitos Indaiá 1, Limeira 1 e Forca, foram divididos em três grupos exibindo texturas, mineralogia e química distintas: peridotitos com espinélio ou Cr- espinélio, interpretados como fragmentos de fácies espinélio no manto litosférico raso; xenólitos com flogopita e/ou clinopiroxênio secundário representando porções do manto litosférico que sofreram metassomatismo por interação com fluidos ou magmas; e dunitos e harzburgitos com textura mosaico porfiroclástica a fluidal compatíveis com porções que sofreram efeitos de um fluxo térmico maior, possivelmente associadas a astenosfera ou a zonas de maior permeabilidade na litosfera. De modo geral os xenólitos mantélicos da Província Ígnea do Alto Paranaíba foram afetados por intensa fusão parcial, indicada especialmente pelo alto valor de mg# em olivina e ortopiroxênio, e pelo empobrecimento de Al em clinopiroxênio e minerais do grupo do espinélio. Boa parte desses xenólitos foi modificada por metassomatismo modal e/ou críptico, que atingiu inclusive níveis rasos do manto litosférico (fácies espinélio). Os harzburgitos e dunitos com textura porfiroclástica com mosaico têm baixos valores de mg# em olivina e ortopiroxênio, e altas concentrações de de Ti, Ca e Na em relação aos demais grupos de amostras sugerindo um processo de metassomatismo críptico de alta temperatura (astenosfera, ou zonas permeáveis da litosfera). Estimativas com base em razões 'Y IND.N' e 'Yb IND.N' (normalizadas por MantoPrimitivoPM) em clinopiroxênio, indicam que os peridotitos com Cr-espinélio sofreram uma porcentagem maior de fusão parcial (15-20%), em relação aos peridotitos com espinélio (5-8%), e preferencialmente fracionada. Em algumas amostras nos peridotitos com Crespinélio ainda são encontrados padrões enriquecidos de 'ETRL IND.N', indicando processos de metassomatismo críptico. Os cristais de clinopiroxênio das amostras de xenólitos metassomatisados têm padrão de distribuição de 'ETR.IND.N' semelhantes entre si, com padrão de 'ETRL IND.N' convexo e enriquecido em relação aos 'ETRP IND.N' ('La IND.N' e 'Lu IND.N', respectivamente 5-14xPM e 0,3-1xPM). Uma amostra de harzburgito com bolsões de clinopiroxênio (In1-12), tem o clinopiroxênio com as maiores razões de 'ETR IND.N' do conjunto, mantendo o padrão de 'ETRL IND.N' convexo e enriquecido em relação aos 'ETRP IND.N' '(La IND.N' e 'Lu IND.N', respectivamente 2543xPM e 1-2,5xPM) dos peridotitos metassomatisados. Razões 'ANTPOT.87 Sr'/ANTPOT. 86 Sr' de clinopiroxênio desta última amostra (0,706-0,714) e de flogopita ilmenita wehrlito (0,706-7,10) sugerem que o metassomatismo seria derivado de porção da astenosfera ou litosfera com material proveniente de subducção de crosta. Um valor mais baixo de razão 'ANTPOT. 87 Sr'/'ANTPOT.86 Sr' para clinopiroxênio de peridotito com espinélio (0,703),indica, juntamente com aspectos texturais e de química de maiores e traços, pouca ou nenhuma, influencia do metassomatismo nesta amostra.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 07.04.2016
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      NANNINI, Felix; JANASI, Valdecir de Assis. Geologia e petrologia de xenólitos mantélicos da Província Ígnea do Alto Paranaíba, Minas Gerais. 2016.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44143/tde-04052016-112733/pt-br.php >.
    • APA

      Nannini, F., & Janasi, V. de A. (2016). Geologia e petrologia de xenólitos mantélicos da Província Ígnea do Alto Paranaíba, Minas Gerais. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44143/tde-04052016-112733/pt-br.php
    • NLM

      Nannini F, Janasi V de A. Geologia e petrologia de xenólitos mantélicos da Província Ígnea do Alto Paranaíba, Minas Gerais [Internet]. 2016 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44143/tde-04052016-112733/pt-br.php
    • Vancouver

      Nannini F, Janasi V de A. Geologia e petrologia de xenólitos mantélicos da Província Ígnea do Alto Paranaíba, Minas Gerais [Internet]. 2016 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44143/tde-04052016-112733/pt-br.php


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021