Exportar registro bibliográfico

Representações sociais de doença mental construídas por profissionais de saúde (2015)

  • Authors:
  • Autor USP: DIAS, FRANCIELLE XAVIER - FFCLRP
  • Unidade: FFCLRP
  • Sigla do Departamento: 594
  • Subjects: SAÚDE MENTAL; TRANSTORNOS MENTAIS; SERVIÇOS DE SAÚDE
  • Keywords: Doença Mental; Health Professionals; Health Services; Mental Health; Mental Illness; Profissionais de Saúde; Representações Sociais; Social Representations
  • Language: Português
  • Abstract: A loucura teve sua representação elaborada historicamente e significada no contexto científico enquanto doença mental, possibilitando uma semiótica médica do diagnóstico, prognóstico e plano de tratamento. Diante disso, nesta pesquisa colocou-se o discurso sobre a doença mental no centro das investigações sobre os processos de interpretação e subjetivação, de sujeitos profissionais que lidam cotidianamente com o fenômeno. Nesse sentido, este trabalho objetivou investigar as representações sociais de profissionais de um serviço público de saúde mental sobre a doença mental, fundamentada no método de análise das representações sociais, segundo Moscovici (1978, 2004), Jodelet (2005a) e Jovchelovitch (1998). O contexto estudado foi um Centro de Atenção Psicossocial III no município de Ribeirão Preto, Brasil. É sabido que as representações de saúde e doença influenciam os paradigmas envolvidos nas práticas de diagnóstico e tratamento. Os procedimentos de coleta de dados contemplaram a observação participante e, a realização de entrevistas em profundidade, com roteiro temático. A escolha dos sujeitos (n=10) procurou contemplar a heterogeneidade do grupo estudado. As entrevistas foram analisadas de acordo com a técnica da análise de conteúdo (Bardin, 1979) e organizadas em categorias temáticas. Os resultados apontaram que as representações sociais dos profissionais foram construídas através da relação com os pares e a incorporação de novos conhecimentos. A doença mental permaneceuromantizada até o contato profissional com pacientes. A etiologia da doença mais aceita pelos profissionais foi a interacionista biopsicossocial. O discurso destes se diferencia dos leigos quanto às causas e melhores formas de tratamento, sendo que estas são idealizadas. As representações sociais dos profissionais compreendem a doença mental como algo imprevisível, incapacitante e permanente, sendo objetivada na imagem do deficiente como incapaz. Observou-se também que o paradigma psicossocial alimenta o discurso dos profissionais de saúde, mas ainda é um desafio para estes na prática
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 22.12.2015
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      DIAS, Francielle Xavier; KODATO, Sergio. Representações sociais de doença mental construídas por profissionais de saúde. 2015.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2015. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/59/59137/tde-18022016-114911/ >.
    • APA

      Dias, F. X., & Kodato, S. (2015). Representações sociais de doença mental construídas por profissionais de saúde. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/59/59137/tde-18022016-114911/
    • NLM

      Dias FX, Kodato S. Representações sociais de doença mental construídas por profissionais de saúde [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/59/59137/tde-18022016-114911/
    • Vancouver

      Dias FX, Kodato S. Representações sociais de doença mental construídas por profissionais de saúde [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/59/59137/tde-18022016-114911/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021