Exportar registro bibliográfico

Práticas educativas parentais e saúde mental de crianças (2015)

  • Authors:
  • Autor USP: ANDRADE, CLÁUDIA UMBELINA BAPTISTA - EERP
  • Unidade: EERP
  • Sigla do Departamento: ERP
  • Subjects: SAÚDE MENTAL; CRIANÇAS; PRÁTICAS DE CRIAÇÃO INFANTIL; RELAÇÕES PAIS-CRIANÇA
  • Keywords: Children; Estilo Parental; Mental Health; Parental Style
  • Language: Português
  • Abstract: O estudo teve como objetivo verificar a associação entre os problemas gerais de saúde mental em crianças escolares e o estilo parental exercido pelas cuidadoras principais. Trata-se de um estudo epidemiológico, descritivo, de corte transversal e abordagem quantitativa, desenvolvido com 526 cuidadoras de crianças escolares, cadastradas nas Unidades de Estratégia de Saúde da Família, localizadas no município de Alfenas, MG. A coleta de dados ocorreu no período de maio a novembro de 2014, após aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa. Para essa etapa utilizaram-se três instrumentos: Critério de Classificação Econômica Brasil que visou identificar a classe econômica familiar, Questionário de Capacidades e Dificuldades (Strenghs and Difficulties Questionnaire - SDQ),que buscou avaliar a saúde mental das crianças e Inventário de Estilos Parentais (IEP) para avaliar as práticas educativas e estilo parental adotado pelas cuidadoras principais. .Após a coleta os dados foram analisados a partir de planilhas de cálculo de cada instrumento e de estudos estatísticos descritivos e correlacionais. Como resultado constatou-se que a maioria (88,8%) dos respondentes eram mães das crianças, na faixa etária entre 31 a 40 anos(44,3%), que viviam com companheiro (67,1%), possuiam trabalho remunerado e ensino fundamental I incompleto, 70,9% das famílias pertenciam à classe econômica C (70,9%). 52,7% do total das crianças participantes do estudo eram do sexomasculino, a maioria (84,6%) estava inserida no ensino fundamental I. A prevalência dos problemas gerais da saúde mental foi de 27,9%. O estilo parental apresentou um valor positivo 3,49, mas com predomínio do estilo parental classificado de regular abaixo da média (24,5%) e de risco (30,2%) para desenvolvimento de comportamentos antissociais. Cuidadoras que adotaram estilo parental de risco tiveram 4,64 vezes mais chance de apresentarem crianças classificadas como limítrofe/anormal e anormal do que cuidadoras que adotaram estilo parental ótimo. Os resultados contribuíram para maior compreensão da realidade da saúde mental de crianças escolares, identificando fatores associados, sinalizando importantes questões a serem consideradas pelas políticas públicas de saúde e educação infantil
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 03.11.2015
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      ANDRADE, Cláudia Umbelina Baptista; CARVALHO, Ana Maria Pimenta. Práticas educativas parentais e saúde mental de crianças. 2015.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2015. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22131/tde-24022016-185442/ >.
    • APA

      Andrade, C. U. B., & Carvalho, A. M. P. (2015). Práticas educativas parentais e saúde mental de crianças. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22131/tde-24022016-185442/
    • NLM

      Andrade CUB, Carvalho AMP. Práticas educativas parentais e saúde mental de crianças [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22131/tde-24022016-185442/
    • Vancouver

      Andrade CUB, Carvalho AMP. Práticas educativas parentais e saúde mental de crianças [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22131/tde-24022016-185442/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021