Exportar registro bibliográfico

Vida útil de revestimento frio e autolimpante (2015)

  • Authors:
  • Autor USP: WERLE, ANA PAULA - EP
  • Unidade: EP
  • Sigla do Departamento: PCC
  • Subjects: FOTOCATÁLISE; REVESTIMENTO DE SUPERFÍCIES (DURABILIDADE;MANUTENÇÃO)
  • Language: Português
  • Abstract: Considerando aspectos relacionados ao conforto térmico interno das edificações e redução da demanda de energia para resfriamento, a utilização de revestimentos frios pode ser uma alternativa viável para alcançar estas condições. No entanto, a sua durabilidade é o caminho crítico. O presente estudo tem o objetivo de medir a durabilidade de um revestimento multifuncional que reúne as propriedades: fria e autolimpante. Para alcançar esta meta foi formulado um revestimento cimentício monocamada, com e sem a adição de pigmento, ambos com elevada refletância e emissividade iniciais. Para manter a refletância ao longo do tempo foi realizada a aplicação de TiO2 anatásio aos revestimentos de duas formas, na primeira as partículas foram adicionadas à matriz cimentícia, enquanto na segunda foram aplicadas superficialmente como pós-tratamento. A exposição à radiação UV proporciona a fotoativação do anatásio que possui capacidade de oxidação da matéria orgânica e alteração do ângulo de contato entre a água e a superfície, facilitando o arraste das sujidades quando esta é molhada tornando-a autolimpante. A manutenção das propriedades frias e a permanência das partículas de TiO2 sobre a superfície foram avaliadas após 6 e 12 meses de exposição natural em Ubatuba, Pirassununga e São Paulo. Após o envelhecimento observou-se a influência determinante das características dos sítios de exposição no comportamento dos materiais. Verificou-se também uma pequena tendência de melhor desempenho para a formulação do revestimento com adição de TiO2 à matriz cimentícia. Adicionalmente, constatou-se que estas superfícies se mostraram mais duráveis em comparação às que receberam pós-tratamento, pois o processo de lixiviação expôs as partículas encapsuladas na argamassa, promovendo interação com a radiação UV e material a ser degradado por mais tempo.Enquanto a lixiviação nas superfícies com pós-tratamento causou a remoção das partículas de anatásio. Apesar do revestimento com adição mostrar melhor desempenho, ressalta-se que o tempo de exposição foi insuficiente para afirmar este comportamento, pois os resultados são próximos entre si.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 15.12.2015
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      WERLE, Ana Paula; JOHN, Vanderley Moacyr; LOH, Kai. Vida útil de revestimento frio e autolimpante. 2015.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/3/3146/tde-02052016-163421/pt-br.php >.
    • APA

      Werle, A. P., John, V. M., & Loh, K. (2015). Vida útil de revestimento frio e autolimpante. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/3/3146/tde-02052016-163421/pt-br.php
    • NLM

      Werle AP, John VM, Loh K. Vida útil de revestimento frio e autolimpante [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/3/3146/tde-02052016-163421/pt-br.php
    • Vancouver

      Werle AP, John VM, Loh K. Vida útil de revestimento frio e autolimpante [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/3/3146/tde-02052016-163421/pt-br.php

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020