Exportar registro bibliográfico

Substratos neurais envolvidos com o desenvolvimento do comportamento de desamparo em ratos: possível envolvimento do NO (2015)

  • Authors:
  • Autor USP: SATO, VINICIUS ANTONIO HIROAKI - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RFA
  • Subjects: DEPRESSÃO; ÓXIDO NÍTRICO; DESAMPARO APRENDIDO; IMUNOHISTOQUÍMICA
  • Keywords: c-Fos; Desamparo aprendido; Estresse; Imunohistoquímica; nNOS; Óxido nítrico; Immunohistochemistry; Learned helplessness; Nitric oxide; Stress
  • Language: Português
  • Abstract: Recentemente, o óxido nítrico (NO) tem sido relacionado com a depressão. A administração de inibidores da NO sintase (NOS) induz efeitos do tipo antidepressivo em modelos animais e há um aumento da expressão da NOS em estruturas do sistema límbico em indivíduos depressivos e em animais expostos a estresse. Além disso, sabe-se que o estresse causa um aumento da ativação de neurônios localizados em estruturas do sistema límbico e que o tratamento com antidepressivos bem como com inibidor da NOS, diminui essa marcação. Contudo, ainda não se sabe como o sistema nitrérgico dessas estruturas está relacionado com os comportamentos relacionados à depressão. Assim nosso objetivo é testar a hipótese de que o desenvolvimento do desamparo (comportamento relacionado à depressão) em ratos seria causado por um aumento de atividade de neurônios que contém nNOS em estruturas envolvidas com a resposta emocional ao estresse, e que os diferentes tratamentos induzem efeitos do tipo antidepressivo no modelo apresentando através de um efeito final comum de diminuir essa ativação e, portanto, diminuir os níveis de NO. Para isso, ratos foram submetidos ao modelo do desamparo aprendido e tratados com drogas antidepressivas. Após o teste, foi feita a imunohistoquímica com marcação para Fos (Fos-IR; marcador de atividade neuronal) e nNOS (nNOS-IR). O tratamento repetido com desipramina (DES, na dose de 25, mas não na de 12,5 mg/Kg), fluoxetina (FXT, na dose de 15, mas não na de 30 mg/Kg) e imipramina (IMI, 15mg/Kg) induziu efeito do tipo-antidepressivo no teste do desamparo aprendido (LH). O tratamento agudo apenas com imipramina, mas não com FXT ou IMI, induziu o mesmo tipo de efeito. O tratamento com DES, FXT ou IMI também aumentou o número de cruzamentos entre choques no LH, porém não induziu aumento de atividade locomotora no teste do campo aberto. O tratamento repetido com DES diminuiu a Fos-IR naamígdala basolateral (BlAm), amígdala lateral (LAm), córtex pré-frontal medial (mPFC), região CA1 e CA3 do hipocampo dorsal (dHPC) e região CA3 do hipocampo ventral (vHPC). O tratamento agudo com DES induziu um aumento de Fos-IR na amígdala central (CeAm), amígdala medial (MeAm) e CA1 e CA3 do dHPC. O tratamento repetido com FXT diminuiu Fos-IR na BlAm e LAm, enquanto o tratamento agudo aumentou Fos-IR na CeAm. O tratamento repetido com IMI aumentou nNOS-IR na MeAm e a dupla marcação no núcleo leito da estria terminal (BST); e diminuiu o Fos-IR na região CA1 do dHPC e na região parvocelular do núcleo paraventricular do hipotálamo (pPVN). Por fim, foram encontradas relações positivas entre o número de células Fos-IR e o número de falhas em fugir ou escapar dos choques no LH na BlAm, LAm, CA1 e CA3 do dHPC e CA3 do vHPC; i.e., quanto mais células ativadas nessas estruturas, maior o número de choques que os animais receberam sem consegui fugir. Os resultados aqui apresentados são, em parte, corroborados pela literatura, mostrando a participação das estruturas analisadas no comportamento do desamparo aprendido e no efeito das drogas antidepressivas. Nesse contexto, acredita-se que o BST funcionaria como um núcleo de processamento da informação vinda do mPFC, HPC e amígdala, enviando projeções para o PVN e regulando o funcionamento do eixo HPA. O trabalho abre caminho para a identificação de subpopulações específicas de neurônios que expressam a nNOS, buscando compreender o papel destas na modulação das respostas comportamentais numa situação de estresse, na busca pela formulação de um cenário cada vez mais completo da participação do sistema nitrérgico dentro do complexo neurocircuito que regula as emoções
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 27.11.2015
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SATO, Vinicius Antonio Hiroaki; JOCA, Sâmia Regiane Lourenço. Substratos neurais envolvidos com o desenvolvimento do comportamento de desamparo em ratos: possível envolvimento do NO. 2015.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2015. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17133/tde-20072016-091556/ >.
    • APA

      Sato, V. A. H., & Joca, S. R. L. (2015). Substratos neurais envolvidos com o desenvolvimento do comportamento de desamparo em ratos: possível envolvimento do NO. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17133/tde-20072016-091556/
    • NLM

      Sato VAH, Joca SRL. Substratos neurais envolvidos com o desenvolvimento do comportamento de desamparo em ratos: possível envolvimento do NO [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17133/tde-20072016-091556/
    • Vancouver

      Sato VAH, Joca SRL. Substratos neurais envolvidos com o desenvolvimento do comportamento de desamparo em ratos: possível envolvimento do NO [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17133/tde-20072016-091556/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020