Exportar registro bibliográfico

Adesão ao tratamento psiquiátrico, após alta hospitalar: acompanhamento na rede de serviços de saúde (2015)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: CASTRO, SUELI APARECIDA DE - EERP
  • Unidades: EERP
  • Sigla do Departamento: ERP
  • Subjects: PACIENTES; ENFERMAGEM PSIQUIÁTRICA; REABILITAÇÃO (PSICOTERAPIA); SERVIÇOS DE SAÚDE
  • Keywords: Adesão do paciente; Equipe de assistência ao paciente; Health services; Patient care team; Patient compliance; Psychiatric nursing; Reabilitação; Rehabilitation
  • Language: Português
  • Abstract: Introdução: Altas prevalências de transtornos mentais na população e os prejuízos decorrentes que se manifestam em diversos aspectos da vida do indivíduo, tais como isolamento social, sofrimento, interrupções ou baixo rendimento na vida laboral e nos estudos, discriminação e riscos de auto e/ou heteroagressividade são preocupantes. Estima-se que em 2020, as condições crônicas, dentre elas, os distúrbios mentais, serão responsáveis por 78% da carga global de doenças nos países em desenvolvimento. Devido à complexidade dos transtornos mentais e a necessidade de contribuir para o melhor atendimento em saúde às pessoas afetadas, realizou-se o presente estudo. Objetivo: avaliar a adesão do portador de transtorno mental aos tratamentos de acompanhamento, após a alta hospitalar. Metodologia: Trata-se de estudo descritivo, transversal, baseado em dados secundários (prontuários) e primários (entrevistas) para identificar a adesão dos pacientes ao tratamento na rede extra- hospitalar. Dados coletados no Hospital Santa Tereza de Ribeirão Preto, Centro de Atenção Psicossocial II, Núcleo de Saúde Mental e Ambulatório de Saúde Mental da UBS-Dr. Italo Baruffi, de maio de 2013 a junho de 2014 com acompanhamento na rede até janeiro de 2015. Para a coleta dos dados, utilizou-se 5 instrumentos: 1-Roteiro para obtenção de dados secundários da internação (HST-RP); 2-Roteiro para obtenção dos dados nos serviços extra- hospitalares (SEH); 3-Roteiro para Entrevista (Serviço extra-hospitalar); 4-Roteiro de dados no segundo retorno nos serviços extra-hospitalares; 5- Teste de Morisky-Green. Variáveis sociodemográficas, clínicas e dos retornos aos serviços foram analisados. Resultados: Dos 875 egressos, 78 (25,5%) foram excluídos por bloqueio de um dos serviços da rede, sendo selecionados apenas 71 que atendiam aos critérios de inclusão do estudo. A maioria era branca, na faixa dos 40 a 49 anos, sexo masculino, solteiros, semcompanheiro e nível fundamental incompleto. A maioria dos sujeitos teve internações anteriores, com prevalência dos diagnósticos F20-F29 e F30-F39. O estado mental, prevalente na alta, foi calmo, associado a outros diagnósticos e sem proposta terapêutica para o pós-alta. Quanto ao comparecimento aos retornos, nos serviços da rede extra-hospitalar, constatou-se que a maioria compareceu aos retornos agendados, entretanto, sem a correspondente adesão ao tratamento medicamentoso, segundo o Teste de Morisky-Green. A maioria dos acolhimentos, nestes serviços, foi realizada pela equipe de enfermagem. Observou-se que o atendimento não está centrado na reabilitação psicossocial, como se esperava. Discussão: Dados semelhantes têm sido relatados em outros estudos, sendo inclusive responsáveis por reinternações e reagudização dos quadros psiquiátricos. Constatou-se a valorização do tratamento medicamento em prejuízo das intervenções psicossociais na instituição hospitalar pesquisada. Apesar dos serviços extra-hospitalares terem equipes multiprofissionais, os resultados não mostram uma atenção de melhor qualidade, com enfoque na reinserção social do doente mental e na sua autonomia de vida. Não há elaboração do Projeto Terapêutico Singular e articulação dos serviços de saúde mental com a atenção básica, principalmente com a Estratégia de Saúde da Família. Conclusão: Este estudo mostrou que contrariamente, ao que se infere, o portador de transtorno mental comparece aos serviços de saúde mental para a continuidade do tratamento, porém, apesar disso, constata-se que os mesmos não são reabilitados
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 24.09.2015
  • Online source access
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CASTRO, Sueli Aparecida de; FUREGATO, Antonia Regina Ferreira; ALVES, Domingos. Adesão ao tratamento psiquiátrico, após alta hospitalar: acompanhamento na rede de serviços de saúde. 2015.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2015. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22131/tde-07012016-104542/ >.
    • APA

      Castro, S. A. de, Furegato, A. R. F., & Alves, D. (2015). Adesão ao tratamento psiquiátrico, após alta hospitalar: acompanhamento na rede de serviços de saúde. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22131/tde-07012016-104542/
    • NLM

      Castro SA de, Furegato ARF, Alves D. Adesão ao tratamento psiquiátrico, após alta hospitalar: acompanhamento na rede de serviços de saúde [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22131/tde-07012016-104542/
    • Vancouver

      Castro SA de, Furegato ARF, Alves D. Adesão ao tratamento psiquiátrico, após alta hospitalar: acompanhamento na rede de serviços de saúde [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22131/tde-07012016-104542/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020