Exportar registro bibliográfico

Estudo cintilográfico da desnervação simpática miocárdica e sua correlação com a incidência de eventos clínicos e a progressão da disfunção ventricular na Cardiopatia Chagásica Crônica (2015)

  • Authors:
  • Autor USP: GADIOLI, LEONARDO PIPPA - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RCM
  • Subjects: DOENÇA DE CHAGAS; CARDIOPATIAS; VENTRÍCULO CARDÍACO; CINTILOGRAFIA
  • Language: Português
  • Abstract: Cardiopatia Chagásica Crônica (CCC) é considerada uma das formas mais graves de cardiopatia sendo que a morte pode consistir na primeira manifestação da doença. Até o momento, faltam evidências para explicar o intrigante processo evolutivo da CCC. Objetivos: Primário Avaliar a correlação entre a presença e a extensão da desnervação simpática miocárdica regional e global mediante emprego de cintilografia miocárdica com 123I-MIBG com a incidência de eventos clínicos em pacientes portadores de Cardiomiopatia Chagásica Crônica. Secundário Avaliar de forma longitudinal, a evolução temporal da extensão e gravidade da desnervação simpática miocárdica (DSM) regional e global e correlacionar esses achados com desenvolvimento e a progressão da disfunção ventricular. Métodos: De abril de 2007 até julho de 2011, foram recrutados 43 pacientes por meio de avaliação clínica inicial, a qual incluiu o eletrocardiograma de repouso de 12 derivações, ecocardiograma transtorácico, Holter de 24 horas, cintilografia de perfusão miocárdica em repouso com 99mTc -Sestamibi (MIBI) e cintilografia da inervação simpática miocárdica com 123Iodo-metaiodobenzilguanidina (MIBG) sendo realizado seguimento clínico até julho de 2014, totalizando uma mediana de 67 [14 - 104] meses. Posteriormente, aqueles pacientes que se submeteram à avaliação inicial e exibiam seguimento clínico pelo período ≥ 4 anos (18 pacientes), foram altivamente recrutados para realizar nova avaliação (tardia) com os mesmos métodos de imagem realizados na avaliação inicial. Resultados: Neste período, ocorreram 12 mortes (25%), sendo 8 mortes (67%) decorrentes de causas cardiovasculares. No encerramento do estudo, excluiu-se 5 pacientes (10%) por perda de seguimento. O ecocardiograma mostrou fração de ejeção do ventrículo esquerdo (FEVE) (56±11%). Na análise das imagens planares obtidas por cintilografia miocárdmiocárdica após 10 minutos e 3 horas de captação do MIBG, observou-se relação coração-mediastino (H/M) 10 minutos (1.83±0.18) e H/M 3 horas (1.80±0.21). Adicionalmente, observou-se correlação positiva entre a relação H/M 3 horas e a FEVE (r=0.52; p=0.001), assim como também foram observadas correlação negativa da relação H/M 3 horas e o intervalo QT corrigido (r= - 0.47; p=0.02) e a dispersão do intervalo QT (r= - 0.48; p=0,02). Para análise de sobrevida, considerou-se apenas os pacientes que apresentaram morte por causa cardiovascular (8 óbitos) sendo a desnervação simpática miocárdica definida como H/M<1.60. Os preditores de morte por causa cardiovascular na análise univariada, foram a FEVE <C50%(HR 8.03; p=0.013), intervalo QT corrigdo (HR 1.03; p=0.01) e H/M < 1.60 (HR 8.5; p=0.003). Na análise multivariada, observou-se que a FEVE <50%(HR 5.8; p=0.045) e a H/M<1.60(HR 5.5; p=0.023) foram preditores independentes de morte cardiovascular. Na análise longitudinal da evolução temporal da extensão e gravidade da desnervação simpática miocárdica (DSM) entre a avaliação inicial e tardia, observou-se queda significativa da FEVE (de 56±11 para 49±12; p=0.01) e aumento significativo das áreas de acinesia e discinesia (de 22 para 34% dos segmentos). Os paramêtros cintilográficos de inervação miocárdica, mostraram aumento do escore somado de defeitos (de 15±10 para 20±9; p<0.01). O escore somado e o número de segmentos da diferença entre os defeitos de captação de MIBG e MIBI (miocárdio vivo e desnervado) exibiram aumento entre a avaliação inicial (8.5±10; 3.7±3) e a tardia (15±7; 5.2±2), p<0.05. Observou-se correlação negativa entre a queda da FEVE na avaliação tardia e a presença de DSM na avaliação inicial (r= -0,47; p=0,03). Após à análise multivariada por meio de regressão logística, observou-se que a presença de DSM aumentou em 4 vezes (OR=4.25; p=0.001)a chance de desenvolver novas alterações da mobilidade parietal segmentar (MPS) em pacientes com MPS normal na avaliação inicial. Adicionalmente, observou-se que quanto maior a gravidade da DSM, maior foi a chance de progressão das alterações de MPS (OR = 11.1; p=0.00). Conclusão: O presente estudo sugere que a desnervação simpática miocárdica seja um dos mecanismos envolvidos na morte por causa cardiovascular e que a DSM preceda a disfunção sistólico regional do ventrículo esquerdo e que sua presença correlacione-se com a progressão da disfunção ventricular esquerda na CCC
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 29.06.2015

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      GADIOLI, Leonardo Pippa; SIMÕES, Marcus Vinicius. Estudo cintilográfico da desnervação simpática miocárdica e sua correlação com a incidência de eventos clínicos e a progressão da disfunção ventricular na Cardiopatia Chagásica Crônica. 2015.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2015.
    • APA

      Gadioli, L. P., & Simões, M. V. (2015). Estudo cintilográfico da desnervação simpática miocárdica e sua correlação com a incidência de eventos clínicos e a progressão da disfunção ventricular na Cardiopatia Chagásica Crônica. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Gadioli LP, Simões MV. Estudo cintilográfico da desnervação simpática miocárdica e sua correlação com a incidência de eventos clínicos e a progressão da disfunção ventricular na Cardiopatia Chagásica Crônica. 2015 ;
    • Vancouver

      Gadioli LP, Simões MV. Estudo cintilográfico da desnervação simpática miocárdica e sua correlação com a incidência de eventos clínicos e a progressão da disfunção ventricular na Cardiopatia Chagásica Crônica. 2015 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021