Exportar registro bibliográfico

Estudo da co-regulação transcricional da família IRM de meléculas de adesão celular em Drosophila melanogaster (2015)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: MACHADO, MAIARO CABRAL ROSA - FMRP
  • Unidades: FMRP
  • Sigla do Departamento: RBP
  • Subjects: EXPRESSÃO GÊNICA; MORFOGÊNESE; DROSOPHILA; MOLÉCULAS DE ADESÃO CELULAR
  • Language: Português
  • Abstract: As moléculas de adesão celular ou CAMs (Cell Adhesion Molecules) permitem a interação entre diferentes tipos de células e seu arranjo multicelular em órgãos e tecidos, exercendo um papel central durante a morfogênese. A maioria das famílias CAMs é formada por glicoproteínas transmembranares, entre elas uma importante, mas comparativamente pouco estudada família denominada módulo de reconhecimento celular ou IRM (Irre cell Recognition Module). Originalmente identificada em Drosophila melanogaster, esta família é formada por glicoproteínas transmembranares unipasso pertencentes à superfamília das imunoglobulinas, produtos dos genes roughest (rst), kin-of-irre (kirre), Stick and Stones (sns) e Hibris (hbs), que muitas vezes funcionam em conjunto, frequentemente de maneira funcionalmente redundante, em diversas interações celulares durante o desenvolvimento e apresenta ortólogos desde Caenorhabditis elegans até humanos. Diversas razões tornam o sistema visual e reprodutor feminino de D. melanogaster excelentes modelos para se investigar a participação da família IRM durante seu desenvolvimento. Uma vez que diversos mecanismos morfogenéticos atuantes nestes tecidos para a diferenciação das células em uma arquitetura tridimensional correia são dependentes das moléculas de adesão. Foi visto anteriormente (Machado et al., 2011) que uma co-regulação compensatória através de um mecanismo sensor pós-transcricional é capaz de ajustar os níveis de mRNA de kirre com intuito de compensar diminuições significativas nos níveis de mRNA de rst para a correia organização omatidial da retina pupal. Aprofundamos, na presente tese, o estudo desta co-regulação gênica durante a morfogênese do olho composto, com a participação dos ligantes heterofílicos hbs e sns, além de investigarmos o grau de generalidade deste processo analisando a participação das IRMs no desenvolvimento do ovário. Mostramos que o silenciamento de qualquerum dos quatro genes da família IRM nas retinas 24% APF altera os níveis de todos os outros membros do grupo e apenas os níveis de mRNA de kirre e hbs sofrem aumento resultante do silenciamento de outro membro. Apesar de já ser conhecida a influência dos níveis de mRNA rst no aumento dos níveis de kirre, foi visto que este aumento pode ser influenciado pela diminuição nos níveis de mRNA hbs e sns. Além disso, vimos que a região do mRNA rst com a parte que codifica a região carboxi-terminal contendo a sequência alvo Thr/Ser-X-Val pode estar atuando no reconhecimento das variações nos níveis de mRNA rst e consequente ajuste nos níveis do mRNA kirre. Outros dados importantes foram conseguidos com a investigação da participação das IRMs no desenvolvimento dos ovários de linhagens mutantes de rst com fêmeas estéreis. Foi visto que Rst e Kirre parecem ser necessários, juntamente com os filamentos de actina, na migração do germário para a região anterior do ovário pupal e na carreta organização da musculatura peritoneal e membrana epitelial nos ovários dos adultos. A correta expressão das IRMs em diferentes regiões das câmaras ovocíticas pode ser associada ao desenvolvimento normal do ovócito e manutenção da morfologia normal do ovaríolo através do processo de dumping Além disso, vimos que as diferentes variações nos níveis de mRNAs dos membros do grupo IRM, nos ovários mutantes para rst, podem ser correlacionadas aos defeitos na morfologia do tecido. Nossos resultados sugerem a possibilidade de haver uma redundância funcional entre mRNAs rst e kirre também durante o desenvolvimento do ovário, possibilitando a manutenção da sua morfologia selvagem e fértil em mutantes de rst. Por fim, avançamos também na caracterização do rearranjo cromossômico associado à rstD e RWT6 ao restringir a mutação a uma região de 147 pares de base, próxima ao sítio de restrição da enzima Xhol
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 21.07.2015

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MACHADO, Maiaro Cabral Rosa; RAMOS, Ricardo Guelerman Pinheiro. Estudo da co-regulação transcricional da família IRM de meléculas de adesão celular em Drosophila melanogaster. 2015.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2015.
    • APA

      Machado, M. C. R., & Ramos, R. G. P. (2015). Estudo da co-regulação transcricional da família IRM de meléculas de adesão celular em Drosophila melanogaster. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Machado MCR, Ramos RGP. Estudo da co-regulação transcricional da família IRM de meléculas de adesão celular em Drosophila melanogaster. 2015 ;
    • Vancouver

      Machado MCR, Ramos RGP. Estudo da co-regulação transcricional da família IRM de meléculas de adesão celular em Drosophila melanogaster. 2015 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020