Exportar registro bibliográfico

Radar de penetração no solo e resistividade elétrica aplicados nas Formações São Sebastião e Marizal das sub-bacias do Tucano Sul e Central, Cretáceo (BA) (2015)

  • Authors:
  • Autor USP: TAMURA, LARISSA NATSUMI - IGC
  • Unidade: IGC
  • Sigla do Departamento: GSA
  • Subjects: RADAR DE PENETRAÇÃO NO SOLO; MÉTODOS GEOFÍSICOS; SISTEMAS DEPOSICIONAIS
  • Language: Português
  • Abstract: Um dos motivos para o avanço em caracterização de estrutura interna em depósitos fluviais é a utilização de métodos geofísicos. Um método amplamente aplicado em ambientes fluviais é o Radar de Penetração no Solo (GPR - Ground Penetrating Radar). Por meio dele é possível fazer interpretações por radar fácies, frequentemente aplicadas em rios ativos, porém em depósitos antigos esse método não é amplamente testado. Em contra partida, há um grande interesse nesse tipo de estudo devido à importância de modelos de reservatórios análogos de hidrocarbonetos. Os afloramentos das Formações São Sebastião e Marizal da Bacia do Tucano foram amplamente estudados em relação à sedimentologia por meio dos estudos de análises de fácies e arquitetura deposicional. Porém, o estudo arquitetural com métodos geofísicos ainda não haviam sido executados nessa área. Desta forma, a principal contribuição do presente trabalho foi aplicar métodos geofísicos em afloramentos bem expostos e comparar os resultados com estudos sedimentares feitos na área e outros trabalhos feitos em rios ativos. Foram utilizados dois métodos. O primeiro método teve como finalidade aprimorar as ferramentas de interpretação de radar fácies por meio de comparações de dados Radar de penetração no solo (GPR - ground penetrating radar) com estruturas sedimentares e elementos arquiteturais, considerando a resolução do método e suas limitações. Para complementar o estudo foi introduzido um segundo método, denominado resistividade elétrica (ER - eletric resistivity), que contribui nas investigações litológicas em subsuperfície e auxilia o método GPR em camadas muito condutivas. Através dos resultados obtidos pelo método GPR foi possível identificar oito radar fácies diferentes: 1) Refletores levemente ondulados com truncamentos de baixo ângulo. Foram interpretados como limites desérie sub-horizontais, com estratos cruzados abaixo da resolução. 2) Refletores inclinados com grande amplitude e dentro deles refletores de menor amplitude inclinados. Foram interpretados como limites de séries inclinados separando conjuntos de estratos cruzados tabulares. 3) Refletores inclinados com grande amplitude e dentro deles refletores de menor amplitude, descontínuos e de forma côncava para o topo. Foram interpretados como limites de séries inclinados separando conjuntos de estratos cruzados acanalados. 4) Refletores 2 inclinados com alto ângulo em conjuntos métricos. Os refletores inclinados são interpretados como resultado de estratos cruzados de grande porte. 5) Refletores com forma côncava para o topo sendo recobertos por refletores horizontais com terminações em onlap. Foram interpretados como estruturas de corte e preenchimento com forma canalizada e preenchimento interno plano-paralelo ou com séries cruzadas menor que a resolução do método. 6) Refletores sub-horizontais de grande amplitude e dentro deles refletores de forma côncava para o topo com menor amplitude. Foram interpretados como limites de séries sub-horizontais separando conjuntos de estratos cruzados acanalados. 7) Refletores horizontais contínuos bem marcados e dentro deles refletores inclinados de menor amplitude. Foram interpretados como limite s de séries horizontais e estratos internos cruzados tabulares. 8) Refletores com grande amplitude, inclinados em alto ângulo. Foram interpretados como estratos cruzados de grande porte de dunas eólicas. Ao comparar as seções de GPR com as estruturas sedimentares do afloramento observou-se que houve compatibilidade entre os refletores encontrados nas seções GPR e as estruturas sedimentares observadas em afloramento. Em alguns casos nota-se que a resolução do método é eficaz para identificar estruturas decimétricas, dificilmente encontradas emtrabalhos de radar fácies. Porém, as profundidades das seções não ultrapassaram de 5 m, ou seja, foi possível identificar refletores em alta resolução com uma antena de 100 MHz, mas em subsuperfície rasa. Os perfis de ER conseguiram diferenciar as camadas arenosas das peliticas, o que pode justificar o motivo pelo qual alguns locais as seções GPR não obtiveram resultados relevantes. Desta forma, os métodos geofísicos aplicados mostraram grande potencial para estudos futuros sobre a arquitetura deposicional das unidades investigadas. Os resultados foram satisfatórios e compatíveis aos estudos prévios nos afloramentos e com resolução maior que a normalmente obtida em sucessões inconsolidadas.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 11.05.2015
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      TAMURA, Larissa Natsumi; ALMEIDA, Renato Paes de. Radar de penetração no solo e resistividade elétrica aplicados nas Formações São Sebastião e Marizal das sub-bacias do Tucano Sul e Central, Cretáceo (BA). 2015.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015. Disponível em: < https://teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44141/tde-17112015-152533/pt-br.php >.
    • APA

      Tamura, L. N., & Almeida, R. P. de. (2015). Radar de penetração no solo e resistividade elétrica aplicados nas Formações São Sebastião e Marizal das sub-bacias do Tucano Sul e Central, Cretáceo (BA). Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de https://teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44141/tde-17112015-152533/pt-br.php
    • NLM

      Tamura LN, Almeida RP de. Radar de penetração no solo e resistividade elétrica aplicados nas Formações São Sebastião e Marizal das sub-bacias do Tucano Sul e Central, Cretáceo (BA) [Internet]. 2015 ;Available from: https://teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44141/tde-17112015-152533/pt-br.php
    • Vancouver

      Tamura LN, Almeida RP de. Radar de penetração no solo e resistividade elétrica aplicados nas Formações São Sebastião e Marizal das sub-bacias do Tucano Sul e Central, Cretáceo (BA) [Internet]. 2015 ;Available from: https://teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44141/tde-17112015-152533/pt-br.php


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021