Exportar registro bibliográfico

Caracterização isotópica da fonte de minério e geocronologia dos depósitos de Água Rica e Bajo de la Alumbrera, NW da Argentina (2015)

  • Authors:
  • Autor USP: BORBA, MAURíCIO LISKA - IGC
  • Unidade: IGC
  • Sigla do Departamento: GMG
  • Subjects: GEOCRONOLOGIA; ISÓTOPOS ESTÁVEIS
  • Language: Português
  • Abstract: Os depósitos de tipo Cu-Au (Mo) pórfiro de Água Rica e Bajo de la Alumbrera, NW argentino, estão geneticamente associados às atividades do Complexo Vulcânico Farallón Negro, no Mioceno. Estes depósitos de classe mundial estão inseridos no contexto geotectônico dos Andes Centrais, Província Geológica das Serras Pampeanas Ocidentais e são do tipo Cu-Au (Mo) pórfiro, embora o depósito de Água Rica possua uma série de características epitermais e uma fase de enriquecimento supergênico. Estudos isotópicos e geocronologia de alta resolução foram propostos para os dois depósitos, objetivando investigar a fonte da mineralização e a influência crustal em sua gênese, além de idades para os pórfiros de Água Rica. Os isótopos de Pb mostram que as amostras de rocha total de Bajo de la Alumbrera são menos radiogênicas, com valores de razões muito próximos e apresentam-se menos radiogênicas do que as amostras de rocha total de Água Rica. As amostras de rocha total de Água Rica mostram maior dispersão, mas de certo modo alguma relação com o material analisado (pirita, ou rocha total). As amostras de pirita, de ambos os depósitos apresentam valores de razões similares, o que permite agrupá-las. As composições isotópicas de Pb em sulfetos e em rochas hospedeiras para os depósitos de Água Rica e Bajo de la Alumbrera indicaram que, apesar da diferença nas litologias presentes nos dois depósitos, os valores obtidos são próximos e muito homogêneos. As amostras de sulfetos deBajo de la Alumbrera apresentam razões 'ANTPOT.206 Pb'/ 'ANTPOT.204 Pb', 'ANTPOT.207 Pb'/ 'ANTPOT.204 Pb' e 'ANTPOT.208 Pb'/ 'ANTPOT.204 Pb' muito próximas das razões de rocha total, porém com discreto enriquecimento em Pb radiogênico. As amostras de sulfetos de Água Rica apresentam distribuição pouco mais variável, no entanto, observa-se que as amostras de pirita de diorito e pirita do metarenito encaixante ficam próximas entre si e próximas das razões de pirita de Bajo de la Alumbrera Isto pode ser interpretado como fonte e condições de formação similar para estes sulfetos. Os isótopos de Sr e Nd obtidos e combinados com dados da literatura podem sugerir mais evidências na fonte dos magmas e fluidos para estes depósitos, onde as rochas foram divididas em grupos por afinidades isotópicas. Percebe-se que há rochas de padrão juvenil, incorporadas durante a orogenia Andina, mas também há rochas que indicam a presença de contaminação crustal, não homogênea, com variações nos valores de épsilon Nd(t) positivos e negativos. Idades de U-Pb em zircão SHRIMP-IIe nos pórfiros Trampeadero e Quebrada Seca, do depósito de Água Rica, apresentaram idades de 6,20±0,16 Ma e 5,66±0,22 Ma, respectivamente. Estas idades indicam um intervalo tempo muito curto, de cerca de 0,54 Ma, entre as intrusões que contém as mineralizações de maior teor e sendo as primeiras idades obtidas para as intrusões de Água Rica, por meio de datação por U-Pb SHRIMP em zircão. Estasidades sugerem que as intrusões associadas a mineralizações do depósito Água Rica são as mais jovens das que ocorrem na área do Complexo Farallón Negro. Uma isócrona Re-Os obtida em pirita para o depósito de Água Rica de 6,4±2,8 Ma é condizente com a história evolutiva deste depósito. Esta idade, combinada com a idade U-Pb em zircão condiz com a principal fase magmática ocorrida neste depósito e que é tida como a fase principal da mineralização. Com base nos dados, sugere-se que a gênese do depósito de Água Rica ocorreu concomitantemente aos estágios magmáticos finais de Bajo de la Alumbrera, e que esta marca as idades mais jovens para as rochas do Complexo Vulcânico Farallón Negro. Além disso, a participação crustal foi significativa durante a gênese desses depósitos, com uma componente maior no depósito de Água Rica, devido a maior interação dos fluidos magmáticos e mineralizantes com o embasamento Paleozoico. Com base neste estudo, indicamos que em zonas de subducção com baixo ângulo de mergulho, os depósitos minerais gerados podem apresentar maior interação com fluidos crustais do que aqueles em áreas de com placa de alto ângulo
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 19.10.2015
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      BORBA, Maurício Liska; TASSINARI, Colombo Celso Gaeta. Caracterização isotópica da fonte de minério e geocronologia dos depósitos de Água Rica e Bajo de la Alumbrera, NW da Argentina. 2015.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44141/tde-22122015-144310/ >.
    • APA

      Borba, M. L., & Tassinari, C. C. G. (2015). Caracterização isotópica da fonte de minério e geocronologia dos depósitos de Água Rica e Bajo de la Alumbrera, NW da Argentina. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44141/tde-22122015-144310/
    • NLM

      Borba ML, Tassinari CCG. Caracterização isotópica da fonte de minério e geocronologia dos depósitos de Água Rica e Bajo de la Alumbrera, NW da Argentina [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44141/tde-22122015-144310/
    • Vancouver

      Borba ML, Tassinari CCG. Caracterização isotópica da fonte de minério e geocronologia dos depósitos de Água Rica e Bajo de la Alumbrera, NW da Argentina [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44141/tde-22122015-144310/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021