Exportar registro bibliográfico

Consequências da displasia cortical focal desenvolvida em ratos Wistar submetidos à técnica de criolesão (2015)

  • Authors:
  • Autor USP: DONATTI, ANA LUIZA FERREIRA - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RNP
  • Subjects: CÓRTEX CEREBRAL (LESÕES); NEUROLOGIA; EPILEPSIA
  • Language: Português
  • Abstract: As Displasias Corticais Focais (DCFs) são cada vez mais reconhecidas como substratos patológicos em pacientes com epilepsia refratária submetidos à ressecção cirúrgica. Os mecanismos envolvidos no desenvolvimento desta patologia ainda são incertos, acredita-se que anomalias celulares e de arquitetura que ocorrem principalmente durante o desenvolvimento cerebral in útero estejam envolvidos. Alguns estudos sugerem que injúrias perinatais e nos primeiros períodos pós-natais também estão associadas com DCF. O desenvolvimento de modelos animais a fim de mimetizar DCFs já rendeu vários candidatos aos possíveis mecanismos envolvidos na sua epileptogênese. Neste estudo utilizamos o modelo de criolesão pós-natal para mimetizar as alterações corticais encontradas na DCF. Esse modelo animal, no qual o rato desenvolve microsulcos após uma criolesão feita através do crânio no primeiro dia de nascimento (P0), foi introduzido por Dvorak & Feit em 1977. Um microgiro constituído por um córtex de quatro camadas, lembrando as polimicrogirias observadas em humanos, está presente. Atividade epileptiforme interectal pode ser evocada de uma região adjacente ao microgiro, denominada de região paramicrogiral, contudo não são observadas crises espontâneas nestes animais. Segundo Fleiss & Gressens (2012), um dano agudo no SNC leva a uma sustentada inflamação do cérebro prematuro, a qual pode, por sua vez, aumentar os riscos de futuras disfunções cognitivas ou aumentar a vulnerabilidade para uma segunda injúria. Sendo assim, o principal objetivo deste estudo foi avaliar a resposta inflamatória gerada no córtex cerebral imaturo de animais submetidos à técnica de criolesão, assim como a influência desta lesão na suscetipbilidade do animal criolesado a um segundo estímulo na vida adulta. Para isso sacrificamos animais, criolesados e sham, 24 horas e sete dias após a técnica de criolesão, além desubmeter ambos os grupos a uma subdose de pilocarpina (PILO - 270 mg/Kg), para indução de SE, quando adultos. Observamos no córtex frontal dos animais sacrificados 24 horas e sete dias após a técnica de criolesão alterações histopatológicas indicativas de um processo inflamatório local, tais como núcleos picnóticos, aumento do espaço extracelular e vacuolização celular. Este resultado foi corroborado pela presença de células Iba-1 e GFAP positivas, indicando respectivamente micróglias e astrócitos ativados, na área lesionada. Encontramos também células Fluoro Jade positivas, comprovando a ocorrência de morte celular por necrose em resposta a injúria local. Quando adultos, os animais do grupo criolesão apresentaram um microgiro de quatro camadas em seu córtex frontal e, para avaliar a suscetibilidade destes animais a um segundo estímulo, injetamos uma subdose de pilocarpina nos grupos criolesão e sham. Ao comparamos a quantidade de animais que entraram em SE entre os grupos, observamos que esta foi significantemente maior no grupo Crio+PILO comparado ao grupo Sham+PILO (p<0,05, teste de χ-quadrado), assim como a frequência de animais que apresentaram classe 5 durante o SE (p<0,05, teste de χ-quadrado. Os resultados apresentados neste presente estudo demonstram que a técnica de criolesão, realizada no primeiro dia pós-natal, é capaz de gerar uma resposta inflamatória local além de tornar o animal vulnerável a um segundo estímulo quando adulto
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 14.08.2015

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      DONATTI, Ana Luiza Ferreira; GARCIA-CAIRASCO, Norberto. Consequências da displasia cortical focal desenvolvida em ratos Wistar submetidos à técnica de criolesão. 2015.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2015.
    • APA

      Donatti, A. L. F., & Garcia-Cairasco, N. (2015). Consequências da displasia cortical focal desenvolvida em ratos Wistar submetidos à técnica de criolesão. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Donatti ALF, Garcia-Cairasco N. Consequências da displasia cortical focal desenvolvida em ratos Wistar submetidos à técnica de criolesão. 2015 ;
    • Vancouver

      Donatti ALF, Garcia-Cairasco N. Consequências da displasia cortical focal desenvolvida em ratos Wistar submetidos à técnica de criolesão. 2015 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021