Exportar registro bibliográfico


Metrics:

Uma etnografia sobre as práticas de saúde dos imigrantes bolivianos na cidade de São Paulo (2015)

  • Authors:
  • Autor USP: WEINERT, TAYANE SANTOS - FSP
  • Unidade: FSP
  • Sigla do Departamento: HSM
  • DOI: 10.11606/D.6.2015.tde-09112015-131537
  • Subjects: BOLIVIANOS (PERCEPÇÃO); IMIGRANTES (PERCEPÇÃO); ATITUDE FRENTE À SAÚDE (PRÁTICA); ACESSO AOS SERVIÇOS DE SAÚDE (ASPECTOS CULTURAIS;ASPECTOS SOCIOECONÔMICOS); PESQUISA PARTICIPANTE; ETNOGRAFIA; IMIGRAÇÃO
  • Keywords: Acesso; Práticas de Cuidado à Saúde; Esquizoanálise
  • Language: Português
  • Abstract: A imigração boliviana para São Paulo remonta ao início do ano 1950, quando Brasil e Bolívia estabeleceram um programa de intercâmbio cultural. Os bolivianos migram para o Brasil em busca de melhores condições de vida e, quando chegam, geralmente, vão trabalhar em indústrias de confecções têxteis, em condições de trabalho muito precárias, quase sob o regime de escravidão. Não se sabe ao certo a quantidade de bolivianos imigrantes, contudo as pesquisas chegam a um consenso que, atualmente, São Paulo é o destino mais procurado e que a maioria dos imigrantes que tem chegado ao Brasil são bolivianos. Os imigrantes bolivianos muitas vezes são marginalizados e excluídos do campo social, no sentido de não ter garantia dos direitos universais, e o seu acesso aos serviços de saúde muitas vezes ser dificultado pelas questões culturais. Nota-se que a estrutura social é extremamente importante na relação com o sofrimento social, entendido como a humilhação, vergonha e falta de reconhecimento, este não tem visibilidade visto que é inscrito no interior das subjetividades e não há um compartilhamento coletivo. Esta forma de sofrimento é mais comum na contemporaneidade, já que há uma veneração excessiva ao individualismo, um crescimento de um ideal pseudo meritocrático, onde há a ilusão de que todos têm oportunidades para ter êxito social - exceder sua classe social, ter uma liberdade econômica para suprir seu consumo - quando o sistema social não suporta que todos tenham essa ascensão.Propõe-se compreender sobre as práticas de cuidado à saúde dos imigrantes bolivianos relacionando isto ao acesso ao serviço de saúde, a partir do que eles entendem por saúde e o que, para eles, está relacionado a ela: medicação, bem estar, processo saúde-doença, equipamentos e profissionais de saúde. Trata-se de uma etnografia realizada com os usuários bolivianos da Unidade Básica de Saúde Jd. Japão, localizada na Vila Maria, município de São Paulo. Um estudo qualitativo que lançou mão da observação participante e de entrevistas semiestruturadas para ser concretizado. Constatou que o trabalho na vida do imigrante boliviano sustenta e baliza todos os outros eventos da vida é o eixo central. Durante a maior parte do tempo estão trabalhando e isso é um empecilho para se divertir ou para cuidar da própria saúde. Eles entendem que saúde é estar bem para poder trabalhar é poder resistir ao que pode te destruir. Sentem-se respeitados pelos profissionais de saúde, mas não cuidados. Quando estavam na Bolívia não iam ao médico ou a serviços de saúde, o cuidado era feito com ervas, folhas, medicamentos alopáticos. Suas práticas de cuidado à saúde não são muitas, são principalmente relacionadas à alimentação. Evidenciou-se forte a questão de gênero nas relações familiares e violência contra mulher por parceiro íntimo sugerindo como possibilidade, estas questões, serem mais aprofundadas em novos estudos. Bem como às condições das crianças nascidas no Brasil e filhos de bolivianos.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 16.10.2015
  • Acesso à fonteDOI
    Informações sobre o DOI: 10.11606/D.6.2015.tde-09112015-131537 (Fonte: oaDOI API)
    • Este periódico é de acesso aberto
    • Este artigo é de acesso aberto
    • URL de acesso aberto
    • Cor do Acesso Aberto: gold
    • Licença: cc-by-nc-sa

    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      WEINERT, Tayane Santos; CAMPOS, Edemilson Antunes de. Uma etnografia sobre as práticas de saúde dos imigrantes bolivianos na cidade de São Paulo. 2015.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015. Disponível em: < https://doi.org/10.11606/D.6.2015.tde-09112015-131537 > DOI: 10.11606/D.6.2015.tde-09112015-131537.
    • APA

      Weinert, T. S., & Campos, E. A. de. (2015). Uma etnografia sobre as práticas de saúde dos imigrantes bolivianos na cidade de São Paulo. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de https://doi.org/10.11606/D.6.2015.tde-09112015-131537
    • NLM

      Weinert TS, Campos EA de. Uma etnografia sobre as práticas de saúde dos imigrantes bolivianos na cidade de São Paulo [Internet]. 2015 ;Available from: https://doi.org/10.11606/D.6.2015.tde-09112015-131537
    • Vancouver

      Weinert TS, Campos EA de. Uma etnografia sobre as práticas de saúde dos imigrantes bolivianos na cidade de São Paulo [Internet]. 2015 ;Available from: https://doi.org/10.11606/D.6.2015.tde-09112015-131537

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021