Exportar registro bibliográfico

As relações entre profissionais e usuários de uma unidade de saúde da família: a potência do encontro (2015)

  • Authors:
  • Autor USP: CINTRA, AMANDA MENDES SILVA - EERP
  • Unidade: EERP
  • Sigla do Departamento: ERM
  • Subjects: SAÚDE DA FAMÍLIA; RELAÇÕES PROFISSIONAL-PACIENTE; CARTOGRAFIA
  • Keywords: Cartography; Estratégia Saúde da Família; Family Health Strategy; Professional-Patient Relations
  • Language: Português
  • Abstract: O objeto deste estudo foram as relações estabelecidas entre os trabalhadores e os usuários do serviço de saúde sob a perspectiva do trabalhador no contexto de uma unidade da Estratégia Saúde da Família situada na cidade de Franca, SP. Para isso foram utilizados os referenciais teóricos dos processos de trabalho em saúde, da micropolítica do processo de trabalho e da produção de subjetividade. Sabemos que o trabalho em saúde implica um espaço relacional, ou seja, para que exista esse trabalho, deve existir o outro, compreendido como alguém que possui necessidades de cuidado, e é no encontro com esse outro que há a produção de um ato de saúde. Diante dessa temática, a pesquisa teve por objetivo geral mapear e analisar as relações entre profissionais e usuários da Estratégia Saúde da Família na produção de atendimentos sob a ótica dos trabalhadores. Para responder aos objetivos do estudo, foram necessários procedimentos investigativos mais abertos e inventivos, um olhar vibrátil, sensível aos movimentos e que conseguisse captar as vibrações. Portanto, para atender a essa finalidade de estudar os processos de produção de subjetividade nas relações entre profissionais e usuários da ESF, a pesquisa fez uma aproximação ao método cartográfico, que diz respeito às estratégias das formações do desejo no campo social, aos seus movimentos e suas conexões que podem surgir de diversos lugares. O cartógrafo faz um mergulho nos afetos e sempre busca elementos para compor e complementar suas cartografias. Aqui o conhecimento é dado em processo, sendo inseparável do movimento da vida e dos afetos que a acompanham. Nesse mesmo movimento o estudo adotou a pesquisa- intervenção, que parte do princípio de que o processo de conhecer e fazer, pesquisar e intervir são inseparáveis. Aqui, as metas e os caminhos são traçados ao longo do processo a ser pesquisado, tendo como norte seu objeto e objetivo. Para a produção dosdados, foi importante estabelecer algumas ferramentas, dentre elas a observação participante, o uso do diário de bordo e a entrevista semiestruturada. Além dessas ferramentas, o estudo também contou com uma primeira fase, a exploração de campo, o que permitiu um rico diálogo com a realidade. Diante do cenário estudado, pude observar que o que mais se destaca nas relações é ainda a prevalência do modelo hegemônico de saúde, do cuidado centrado em técnicas procedimentais e protocolos em detrimento das tecnologias leves, relacionais, que possibilitam e ampliam um cuidado mais integral e de produção de vida. No estudo, também percebemos a existência de algumas instituições que estão presentes no momento do encontro trabalhador-usuário e que perpassam esse primeiro, dentre elas a instituição saúde, a enfermagem e a assistência social que, no caso, dão-se por uma faceta do controle, do seguimento de regras, e estão intensamente presentes nas relações estudadas. Por outro lado também pude captar alguns momentos em que os trabalhadores conseguiram realizar um cuidado mais ampliado, exercendo uma escuta empática e deixando para segundo plano as tecnologias duras e leve-duras, experimentando um pouco mais das tecnologias relacionais, de comunicação e escuta, colocando o usuário em evidência e tentando realizar um cuidado usuário-centrado e em suas reais necessidades. A perspectiva do estudo era a produção de vida e autonomia do usuário nos encontros. Algumas questões foram compreendidas e outras não devido à complexidade do tema ao se tratar das relações. A pesquisa também explorou apenas a perspectiva do trabalhador, ficando desconhecida a perspectiva do usuário, por isso a necessidade de novos estudos que caminhem por esse universo relacional por meio de um olhar vibrátil que consiga enxergar o que se passa entre as forças presentes nesses encontros
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 22.06.2015
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CINTRA, Amanda Mendes Silva; MATUMOTO, Sílvia. As relações entre profissionais e usuários de uma unidade de saúde da família: a potência do encontro. 2015.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2015. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22133/tde-04092015-163716/ >.
    • APA

      Cintra, A. M. S., & Matumoto, S. (2015). As relações entre profissionais e usuários de uma unidade de saúde da família: a potência do encontro. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22133/tde-04092015-163716/
    • NLM

      Cintra AMS, Matumoto S. As relações entre profissionais e usuários de uma unidade de saúde da família: a potência do encontro [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22133/tde-04092015-163716/
    • Vancouver

      Cintra AMS, Matumoto S. As relações entre profissionais e usuários de uma unidade de saúde da família: a potência do encontro [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22133/tde-04092015-163716/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021