Exportar registro bibliográfico

Avaliação dos fatores indutores da transição epitélio-mesenquimal (EMT) na biologia das células endoteliais (2015)

  • Authors:
  • Autor USP: PINTO, MARIANA TOMAZINI - FCFRP
  • Unidade: FCFRP
  • Sigla do Departamento: 604
  • Subjects: CÉLULAS ENDOTELIAIS; CÉLULAS-TRONCO; FATORES DE TRANSCRIÇÃO
  • Keywords: EMT; EndMT; TGF-ß2; transcription factor
  • Language: Português
  • Abstract: A transição endotélio-mesenquimal (EndMT) é uma forma especializada da transição epitéliomesenquimal (EMT) e é caracterizada pela alteração da morfologia celular para um formato fibroblastoide, perda da expressão dos marcadores endoteliais e ganho da expressão dos marcadores mesenquimais, bem como a aquisição de propriedades invasivas e migratórias. Entretanto, o mecanismo molecular envolvido nesse processo ainda não está totalmente elucidado. O objetivo desse trabalho foi avaliar os fatores indutores da EMT em células endoteliais (CEs) de fontes distintas por meio da superexpressão do fator de transcrição SNAIL e do tratamento com TGF-ß2, bem como identificar os mecanismos moleculares envolvidos nesse processo. Para tal, as linhagens de CE da artéria pulmonar (HPAEC), pool de CE primária de veia de cordão umbilical (PHUVEC), CE da aorta (PAEC) e CE da artéria coronária (CAEC) foram induzidas em três condições distintas: I) TGF-ß2; II) superexpressão do fator de transcrição SNAIL; III) superexpressão do fator de transcrição SNAIL associado ao tratamento com TGF-ß2 (SNAIL+TGF-ß2). Após a indução, a expressão dos genes relacionados com a EndMT foi analisada por PCR em tempo real (qPCR) e as CAECs foram as células que apresentaram maior mudança no perfil de expressão gênica, no qual o grupo SNAIL+TGF-ß2 apresentou um aumento dos marcadores mesenquimal FN1, SM22, CNN1 e CD90. O grupo SNAIL+TGF-ß2 também mostrou uma diminuição dos marcadores endoteliais CD31 e CDH5 por Westernblot. Em seguida, a técnica de microarray foi realizada nas CAECs induzidas à EndMT e as análises revelaram um dendrograma cujo perfil mostrou que SNAIL e SNAIL+TGF-ß2 se agrupam separadamente das outras condições. Os dados de microarray resultaram em uma rede na qual os genes mesenquimais COL1A1, COL1A2, FN1 e CNN1 estavam aumentados no grupo SNAIL+TGF-ß2 comparado com o grupo controle. Os genes diferencialmente expressos entre a análise CT vs. SNAIL+TGF-ß2 foram analisados quanto a participação em vias canônicas e a via de regulação da EMT foi uma das mais representadas, a qual inclui a via de sinalização Notch e Wnt. Nos dados de microarray, NOTCH3 e WNT5B estavam superexpressos no grupo SNAIL+TGF-ß2 comparado com o controle. Sabendo que Wnt5b pode inibir a via ß-catenina, a expressão de NOTCH3, WNT5B e ß-CATENINA foi avaliada por qPCR e a expressão de NOTCH3 e WNT5B confirmou os dados do microarray e nenhuma diferença estatística foi observada na expressão de ß- CATENINA. Ainda, as CAECs induzidas foram submetidas ao ensaio de migração e de capacidade de formação de estruturas semelhantes a capilares. Foi observado que as CAECSNAIL+ TGF-2 migraram significativamente comparadas com as outras condições e nenhuma das células induzidas (TGF-ß2, SNAIL e SNAIL+TGF-ß2) foram capazes de formar estruturas semelhantes a capilares. Alguns microRNAs foram selecionados e avaliados por qPCR. O miR-let7a foi significativamente expresso no grupo SNAIL e SNAIL+TGF-2. O ensaio de perdae ganho de função do miR-let7a foi realizado, entretanto, a repressão ou a indução do miR-let7a não alterou a EndMT. Esses resultados sugerem que as CEs de fontes anatômicas distintas apresentam respostas diferentes quando estimuladas a sofrerem EndMT. Ademais, a associação entre SNAIL+TGF-ß2 é um potente indutor para EndMT e essa indução pode ser mediada pelas vias de sinalização Notch e Wnt não canônica
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 18.09.2015
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      PINTO, Mariana Tomazini; HADDAD, Simone Kashima. Avaliação dos fatores indutores da transição epitélio-mesenquimal (EMT) na biologia das células endoteliais. 2015.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2015. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/60/60135/tde-25092015-151215/ >.
    • APA

      Pinto, M. T., & Haddad, S. K. (2015). Avaliação dos fatores indutores da transição epitélio-mesenquimal (EMT) na biologia das células endoteliais. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/60/60135/tde-25092015-151215/
    • NLM

      Pinto MT, Haddad SK. Avaliação dos fatores indutores da transição epitélio-mesenquimal (EMT) na biologia das células endoteliais [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/60/60135/tde-25092015-151215/
    • Vancouver

      Pinto MT, Haddad SK. Avaliação dos fatores indutores da transição epitélio-mesenquimal (EMT) na biologia das células endoteliais [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/60/60135/tde-25092015-151215/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021