Exportar registro bibliográfico

Interação da matéria interestelar com os braços espirais (2015)

  • Authors:
  • Autor USP: BRAGA, CARLOS AUGUSTO DE SOUZA - IAG
  • Unidade: IAG
  • Sigla do Departamento: AGA
  • Assunto: MEIO INTERESTELAR
  • Language: Português
  • Abstract: Diversos aspectos da física dos braços espirais de galáxias não são suficientemente compreendidos para podermos estimar com certeza os fluxos radiais de gás produzidos pelos mesmos, e assim avaliarmos seus efeitos a evolução secular de discos galácticos. Em particular, ainda nao sabemos como certas estruturas são formadas no raio de corrotação, tais como o mínimo de formação estelar e a distribuição bimodal de metalicidade entre o disco interno e externo a esse raio. Estas estruturas estão relacionadas com a interação do gás interestelar com o potencial gravitacional do padrão espiral. Com o objetivo de entender como essa interação acontece, desenvolvemos uma série de simulações hidrodinâmicas, em 2 dimensões, da interação do gás presente no disco galáctico, considerado isotérmico e homogêneo, com o braço espiral, onde o braço é representado por uma perturbação gaussiana gravitacional. Em particular, estamos interessados na forma como o gás pode perder momento angular para a componente estelar e a subsequente de fluxos dentro dos braços. Nossas simulações dependem de um conjunto de 5 parâmetros: a velocidade inicial do gás, a bertura dos braços, representada pelo pitch angle, a largura do potencial dos braços, a amplitude do potencial e a capacidade térmica do gás. Para explorar estes parâmetros realizamos dois conjuntos de simulações. O primeiro apresenta as variações na velocidade incidente, no pitch angle e na amplitude do potencial, sem se preocupar com a dependência do potencial com o raio galáctico. O segundo apresenta algumas variações na capacidade térmica e na largura, mas se detêm principalmente na velocidade e na amplitude, considerando a dependência dessas duas grandezas com o raio galáctico. Para a amplitude usa-se um perfil de decaimento exponencial em função do raio. Evoluimos nossos modelos por 3.0 Ganos. Choques são formados durante a passagem do (Continuação)(Continua) gás pelo potencial e são bem descritos por nossas simulações. Podemos ver que a componente da velocidade dos gás perpendicular ao braço é drasticamente diminuída quando o choque ocorre, enquanto sua componente paralela não sofre qualquer variação, indicando que o gás perde momento angular durante a sua passagem, fluindo ao longo dos braços. Observamos também que a densidade dos gás aumenta fortemente dentro do braço, por um fator da ordem de 100, desde seu valor inicial de 10cm⁻³ até pelo menos 10³cm⁻³, em todas as simulações em que o gás é capturado pelo potencial. A densidade também é correlacionada com o raio galáctico, aumentando quando nos afastamos do raio da corrotação. O mesmo aumento é observado para braços mais abertos. A correlação da densidade com o raio galáctico implica na presença de um mínimo de gás na corrotação, cuja existência ja foi constatada na literatura.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 05.03.2015

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      BRAGA, Carlos Augusto de Souza; LÉPINE, Jacques Raymond Daniel. Interação da matéria interestelar com os braços espirais. 2015.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015.
    • APA

      Braga, C. A. de S., & Lépine, J. R. D. (2015). Interação da matéria interestelar com os braços espirais. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Braga CA de S, Lépine JRD. Interação da matéria interestelar com os braços espirais. 2015 ;
    • Vancouver

      Braga CA de S, Lépine JRD. Interação da matéria interestelar com os braços espirais. 2015 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021