Exportar registro bibliográfico

Efeito antimicrobiano residual e citotoxidade in vitro de resina acrílica para base de prótese após imersão prolongada em agentes de limpeza (2015)

  • Authors:
  • Autor USP: PROCÓPIO, ANDRÉA LEMOS FALCÃO - FOB
  • Unidade: FOB
  • Sigla do Departamento: BAP
  • Subjects: HIGIENIZADORES DE DENTADURA; HIPOCLORITO DE SÓDIO; CLOREXIDINA; PRÓTESE TOTAL; ESTOMATITE SOB PRÓTESE
  • Language: Português
  • Abstract: O presente estudo in vitro objetivou avaliar a longo prazo o potencial antimicrobiano residual e a citotoxicidade de soluções químicas de limpeza de prótese quando incorporadas à resina acrílica termopolimerizável após sucessivos ciclos de imersão noturna diária. Discos (10mm x 1mm) de resina acrílica termopolimerizável para base de prótese (Lucitone 550) foram submetidos a três ciclos diários de desinfecção (8h/cada) em hipoclorito de sódio a 1% (NaClO), digluconato de clorexidina a 2% (CLX) ou água destilada (controle) durante 91 (T91) ou 183 dias (T183), simulando o período de 9 meses ou 1,5 ano de imersão noturna diária realizada pelo paciente. Inicialmente, foi utilizado o método de concentração inibitória mínima em caldo para determinar o possível efeito residual (incorporação) das soluções à resina acrílica. Metade dos discos imersos em cada agente de limpeza em um dos tempos de imersão (n=5) foi inoculada (1x107cels/mL) com um dos patógenos associados à estomatite protética: Candida albicans (Ca) e Staphylococcus aureus (Sa). Os discos foram incubados a 37oC para análise em espectrofotômetro após 24h, 7 e 14 dias. Os valores de absorbância foram convertidos em porcentagens de inibição microbiana. Confirmada a ação antimicrobiana residual dos agentes de limpeza incorporados à resina acrílica, foi então analisada sua citotoxicidade in vitro sobre fibroblastos gengivais humanos (L929). Os efeitos citotóxicos foram avaliados por meio do ensaio colorimétrico MTT [brometo de 3-(4,5-dimetiltiazol-2-yl)-2,5-difeniltetrazólio] para a determinação da viabilidade celular, após as células serem expostas por 24h às amostras de cada condição experimentais (n=18) previamente imersas em uma das soluções por um dos períodos avaliados (T91 ou T183). A citotoxicidade foi determinada com base na atividade mitocondrial em relação a corpos de prova não submetidosà imersão nas soluções testadas. Os resultados do ensaio do MTT foram analisados estatisticamente por ANOVA-1 fator seguida pelo teste post-hoc de Tukey HSD (a=0,05). Para os períodos T91 e T183, não houve inibição microbiana com a imersão em água (controle) em até 14 dias de incubação. A CLX inibiu progressivamente o crescimento microbiano ao longo dos 14 dias para ambos os períodos de imersão (Ca: 19 a 73,58%; Sa: 0 a 87,08%), sendo observada maior ação antimicrobiana em T183. O NaClO apresentou discreta inibição microbiana apenas no período de 14 dias tanto em T91 (Ca: 0%; Sa: 2,70%) quanto em T183 (Ca: 8,50%; Sa: 15,08%). De acordo com os resultados do teste de MTT, as soluções químicas de limpeza testadas apresentaram uma redução significativa da viabilidade celular quando comparado às células controles propagadas apenas em meio de cultura (p<0,002). A CLX resultou na menor viabilidade celular em ambos os períodos de imersão (p<0,018). As amostras de resina acrílica imersas em água ou NaClO em T91 e T183 apresentaram viabilidade celular estatisticamente similar às amostras não imersas (p>0,05). Pode-se concluir que a CLX incorporada à resina acrílica para base de prótese apresentou um efeito antimicrobiano residual em ambos os períodos de imersão noturna, o que não foi observado com o NaClO. Por outro lado, a CLX residual resultou em efeito intensamente citotóxico aos fibroblastos gengivais humanos quando comparada ao NaClO e à agua destilada, que se apresentaram discretamente citotóxicos. Esses resultados sugerem precaução na seleção de agentes de limpeza para prótese como meio de prevenção e tratamento adjunto da estomatite protética, pois mesmo em concentrações baixas, recomendadas para imersão noturna, podem apresentar algum grau de toxicidade às mucosas de suporte protético.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 15.05.2015
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      PROCÓPIO, Andréa Lemos Falcão; NEPPELENBROEK, Karin Hermana. Efeito antimicrobiano residual e citotoxidade in vitro de resina acrílica para base de prótese após imersão prolongada em agentes de limpeza. 2015.Universidade de São Paulo, Bauru, 2015. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/25/25146/tde-26102015-103717/publico/AndreaLemosFalcaoProcopio.pdf >.
    • APA

      Procópio, A. L. F., & Neppelenbroek, K. H. (2015). Efeito antimicrobiano residual e citotoxidade in vitro de resina acrílica para base de prótese após imersão prolongada em agentes de limpeza. Universidade de São Paulo, Bauru. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/25/25146/tde-26102015-103717/publico/AndreaLemosFalcaoProcopio.pdf
    • NLM

      Procópio ALF, Neppelenbroek KH. Efeito antimicrobiano residual e citotoxidade in vitro de resina acrílica para base de prótese após imersão prolongada em agentes de limpeza [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/25/25146/tde-26102015-103717/publico/AndreaLemosFalcaoProcopio.pdf
    • Vancouver

      Procópio ALF, Neppelenbroek KH. Efeito antimicrobiano residual e citotoxidade in vitro de resina acrílica para base de prótese após imersão prolongada em agentes de limpeza [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/25/25146/tde-26102015-103717/publico/AndreaLemosFalcaoProcopio.pdf


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021