Exportar registro bibliográfico

A revolução e a (im)possibilidade da reforma em A tale of two cities, de Charles Dickens (2015)

  • Authors:
  • Autor USP: MATOS, ÉRIKA PAULA DE - FFLCH
  • Unidade: FFLCH
  • Sigla do Departamento: FLM
  • Subjects: LITERATURA INGLESA (CRÍTICA E INTERPRETAÇÃO); CRÍTICA LITERÁRIA; REVOLUÇÃO FRANCESA
  • Keywords: Reform; Reforma
  • Language: Português
  • Abstract: O objetivo desta tese é analisar como o romance A Tale of Two Cities de Charles Dickens reflete em sua estrutura questões políticas importantes que estavam presentes na sociedade inglesa no século XIX, principalmente a formação na Inglaterra de uma cultura antirrevolucionária que pintava a Revolução, usando o exemplo Francês, como um episódio comandado por uma multidão desvairada e fora de controle. Essa cultura encontra-se presente na forma como Dickens figurou a Revolução Francesa, nas incessantes comparações que faz entre a França e a Inglaterra e na constante oscilação no posicionamento do narrador. Ao mesmo tempo, a análise do romance nos permite ver que essa mesma cultura não excluiu totalmente a percepção de que a situação clamava por mudanças. Nossa hipótese é que subjacente ao enredo do romance e aderido à sua estrutura encontra-se a discussão acerca de duas soluções para a crise pressentida: a Reforma e a Revolução. O romance suscita, por causa da volubilidade do narrador, a defesa das duas posições, ora pendendo para a Revolução, pela crítica à aristocracia, ora para a Reforma, ao promover a demonização das massas. Defenderemos que essa oscilação culmina na construção de uma terceira solução, que, apesar de ser à primeira vista conservadora, torna-se radical ao expor a impossibilidade de outra saída política quando a Revolução é excluída do horizonte de possiblidades.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 13.04.2015
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MATOS, Érika Paula de; CEVASCO, Maria Elisa Burgos Pereira da Silva. A revolução e a (im)possibilidade da reforma em A tale of two cities, de Charles Dickens. 2015.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8147/tde-17092015-120220/ >.
    • APA

      Matos, É. P. de, & Cevasco, M. E. B. P. da S. (2015). A revolução e a (im)possibilidade da reforma em A tale of two cities, de Charles Dickens. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8147/tde-17092015-120220/
    • NLM

      Matos ÉP de, Cevasco MEBP da S. A revolução e a (im)possibilidade da reforma em A tale of two cities, de Charles Dickens [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8147/tde-17092015-120220/
    • Vancouver

      Matos ÉP de, Cevasco MEBP da S. A revolução e a (im)possibilidade da reforma em A tale of two cities, de Charles Dickens [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8147/tde-17092015-120220/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020