Exportar registro bibliográfico

Percepção de suínos em relação ao ambiente térmico promovido por diferentes sistemas de resfriamento (2015)

  • Authors:
  • Autor USP: OLIVEIRA, DÉBORA CAROLINE GONÇALVES DE - FZEA
  • Unidade: FZEA
  • Sigla do Departamento: ZEB
  • Subjects: ANÁLISE DE IMAGENS; ASPERSORES; TERMOGRAFIA; CONFORTO TÉRMICO
  • Keywords: Análise automática de imagens; Aspersão; Automatic image analysis; Finishing phase; Infrared thermography; Preference test; Sprinkler; Terminação; Termografia infravermelha; Teste de preferência
  • Language: Português
  • Abstract: O controle ambiental nas instalações pecuárias é um fator importante a ser levado em consideração para promover o bem-estar e otimizar a produção animal. Como o clima brasileiro é predominantemente tropical, sistemas de resfriamento são essenciais em instalações pecuárias em todo o país. Diferentes sistemas de resfriamento estão disponíveis no mercado brasileiro e, apesar de possuírem o mesmo objetivo, de atenuar a temperatura dentro do galpão, podem ser percebidos pelos animais de modos diferentes. O objetivo principal deste trabalho foi avaliar a percepção de suínos através de sua preferência em relação a diferentes sistemas de resfriamento do ambiente em uma câmara de preferência ambiental. Esta avaliação foi feita por meio do teste de preferência, que consiste em fornecer alternativas entre diferentes situações ou recursos, para que os animais transmitam suas respostas. Para tanto, foi utilizada uma câmara de preferência ambiental composta por quatro compartimentos interligados entre si por uma área neutra. Cada compartimento teve seu ambiente controlado independentemente, podendo assim fornecer, quatro diferentes tipos de sistemas de resfriamento: nebulização associada à ventilação forçada, ventilação forçada, aspersão e aspersão associada a ventilação forçada. Nesse estudo de preferência, dois grupos principais de suínos foram utilizados: os suínos-teste e os suínos-companhia. Os suínos-teste foram os animais com livre acesso aos distintos compartimentos da câmara e ossuínos-companhia, por sua vez, ficaram confinados em seus respectivos sistemas. Para caracterização do ambiente no interior e no exterior da câmara, foram utilizados data-loggers para coleta das variáveis: temperatura ambiental, umidade relativa, temperatura de globo negro e ponto de orvalho; para determinação dos índices de conforto térmico: índice de temperatura de globo e umidade e entalpia. Também foi coletada a velocidade do ar com anemômetro digital. Foram verificadas medidas fisiológicas: frequência respiratória e temperatura de superfície corporal na região da nuca no horário das 14 horas. Para analisar o desempenho dos animais foi avaliado ganho de peso diário e conversão alimentar, além das medidas in vivo de espessura de toucinho, rendimento de carne magra e profundidade da área do lombo. Para avaliação do teste de preferência foram considerados dias que caracterizassem condições climáticas em que os sistemas de resfriamento estivessem em operação. Para isto vídeos coletaram e registraram as imagens e estas foram analisadas automaticamente e interpretadas como preferência por (ou rejeição de) certos ambientes através de frequência e tempo do suíno-teste em cada um dos ambientes. A câmara conseguiu atender os valores recomendados para o índice de temperatura de globo e umidade, temperatura ambiental e umidade relativa ao longo dos períodos do dia, os valores obtidos para entalpia estiveram acima do recomendado na literatura. Porém o desempenho da câmara foisatisfatório, uma vez que as medidas fisiológicas de frequência respiratória e temperatura superficial, e as variáveis de desempenho indicaram que os animais estavam em conforto térmico e obtiveram medidas de espessura de toucinho, rendimento de carne magra e profundidade da área do lombo característicos para a categoria. Em relação à preferência dos suínos-teste, observou-se a maior frequência de permanência nos sistemas de aspersão (40%) e aspersão associada à ventilação forçada (34,7%). Assim os resultados obtidos validaram o uso da câmara de preferência ambiental para experimentação com suínos a fim de verificar sua preferência em relação a diferentes ambientes térmicos com diferentes sistemas de resfriamento
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 16.07.2015
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      OLIVEIRA, Débora Caroline Gonçalves de; SAVASTANO JÚNIOR, Holmer. Percepção de suínos em relação ao ambiente térmico promovido por diferentes sistemas de resfriamento. 2015.Universidade de São Paulo, Pirassununga, 2015. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/74/74132/tde-13102015-104350/ >.
    • APA

      Oliveira, D. C. G. de, & Savastano Júnior, H. (2015). Percepção de suínos em relação ao ambiente térmico promovido por diferentes sistemas de resfriamento. Universidade de São Paulo, Pirassununga. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/74/74132/tde-13102015-104350/
    • NLM

      Oliveira DCG de, Savastano Júnior H. Percepção de suínos em relação ao ambiente térmico promovido por diferentes sistemas de resfriamento [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/74/74132/tde-13102015-104350/
    • Vancouver

      Oliveira DCG de, Savastano Júnior H. Percepção de suínos em relação ao ambiente térmico promovido por diferentes sistemas de resfriamento [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/74/74132/tde-13102015-104350/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021