Exportar registro bibliográfico

Estudo da comunidade bacteriana endofítica e de sua manifestação na micropropagação de Eucalyptus benthamii (2015)

  • Authors:
  • Autor USP: POLESI, NATALIA PIMENTEL ESPOSITO - ESALQ
  • Unidade: ESALQ
  • Sigla do Departamento: LCB
  • Subjects: BACTÉRIAS; EUCALIPTO; DINÂMICA DE POPULAÇÕES; MICROPROPAGAÇÃO VEGETAL; MICRORGANISMOS ENDOFÍTICOS
  • Language: Português
  • Abstract: Eucalyptus benthamii tem se mostrado especialmente vantajoso como alternativa ao cultivo em regiões frias, justificando esforços para o estabelecimento de protocolos para sua micropropagação. Porém, as matrizes são preferencialmente selecionadas quando adultas (material apresenta menor competência morfogênica), tornando a micropropagação dependente de maior número de subcultivos e maior tempo para se reverter o material ao rejuvenescimento. Assim, a redução das perdas in vitro tem merecido atenção, como por exemplo, as manifestações endofíticas, que exigem maximização da eficiência da cultura e adequações no protocolo, visando minimizá-las, possibilitando melhorar o entendimento das relações estabelecidas e mantidas entre os endófitos e seu hospedeiro durante a micropropagação. Dessa maneira, foram utilizadas minicepas provenientes de duas fontes de miniestacas coletadas a partir do brotamento de gemas epicórmicas de megaestacas da base da copa e de brotamentos do anelamento da base do tronco, de uma matriz de E. benthamii com 13 anos de idade, estabelecidas em minijardim clonal sob condição de casa de vegetação, com o objetivo de avaliar como se dá a multiplicação, sob diferentes condições de cultivo, das duas fontes de explantes (minicepas); analisar se a frequência e intensidade das manifestações endofíticas são afetadas pelas diferentes condições de cultivo; investigar a ocorrência de alterações na comunidade bacteriana endofítica devido à alteração das condições decultivo e fase da micropropagação (in vivo = minicepas, e in vitro = microcepas, material alongado e enraizado). Visando atender estes objetivos, a pesquisa se dividiu em duas partes. Na primeira (capitulo 3) o desenvolvimento, os aspectos morfofisiológicos, histoquímicos e a manifestação endofítica foram avaliados na multiplicação das duas fontes de explante sob diferentes meios e condições de cultivo. Na segunda (capítulo 4) as comunidades bacterianas endofíticas foram analisadas por meio de PCR-DGGE, baseada na região V6 do gene 16S DNAr. Os resultados mostraram que as microcepas provenientes de megaestaca tiveram melhor desenvolvimento independentemente do tratamento e maior frequência de manifestações endofíticas, comparando-se com as de anelamento. As comunidades bacterinas endofíticas foram distintas entre as amostras in vivo e in vitro, e se alteraram ao longo dos subcultivos e nas amostras alongadas e enraizadas. As diferenças existentes no desenvolvimento das microcepas podem ser inerentes à totipotencialidade do material, mas também podem ser afetadas, tanto pela ocorrência de manifestação, quanto pela comunidade bacteriana endofítica mais ou menos sensível ao processo de micropropagação, auxiliando ou prejudicando o desenvolvimento in vitro de seus hospedeiros. Cabe destacar, ainda, que mesmo em um sistema asséptico e ambientalmente controlado, os microrganismos endofíticos que resistiram a todo processo de desinfestação e cultivo, não estão \"adormecidos\",muito pelo contrário podem se alterar em quantidade à medida que seu hospedeiro é submetido a um novo sistema de cultivo (introdução) ou uma nova fase dentro da micropropagação (multiplicação → alongamento e enraizamnento) ou, ainda, ao longo dos subcultivos. Sendo assim, a complexa rede de relações das plantas com seus endófitos não cessa durante o cultivo in vitro, ao contrário mantém-se dinâmica
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 18.06.2015
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      POLESI, Natalia Pimentel Esposito; ALMEIDA, Marcilio de. Estudo da comunidade bacteriana endofítica e de sua manifestação na micropropagação de Eucalyptus benthamii. 2015.Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2015. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11144/tde-22092015-143023/ >.
    • APA

      Polesi, N. P. E., & Almeida, M. de. (2015). Estudo da comunidade bacteriana endofítica e de sua manifestação na micropropagação de Eucalyptus benthamii. Universidade de São Paulo, Piracicaba. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11144/tde-22092015-143023/
    • NLM

      Polesi NPE, Almeida M de. Estudo da comunidade bacteriana endofítica e de sua manifestação na micropropagação de Eucalyptus benthamii [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11144/tde-22092015-143023/
    • Vancouver

      Polesi NPE, Almeida M de. Estudo da comunidade bacteriana endofítica e de sua manifestação na micropropagação de Eucalyptus benthamii [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11144/tde-22092015-143023/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021