Exportar registro bibliográfico


Metrics:

Morcego hematófago comum Desmodus rotundus no Vale do Paraíba, Estado de São Paulo: abrigos diurnos, agrupamentos, lesões corporais e sorologia antirrábica (2015)

  • Authors:
  • USP affiliated author: FERRARI, JOÃO JOSÉ DE FREITAS - FSP
  • School: FSP
  • Sigla do Departamento: HEP
  • DOI: 10.11606/T.6.2015.tde-03082015-113130
  • Subjects: CHIROPTERA; DESMODONTIDAE; MORDIDA DE ANIMAL; INTERAÇÃO SOCIAL (COMPORTAMENTO SOCIAL); RAIVA; GRUPOS SOCIAIS (DIMENSÃO)
  • Keywords: Comportamento Agonístico; Desmodontinae; Dimorfismo Sexual; Interações Sociais; Mordeduras; Sudeste do Brasil; Tamanho dos Agrupamentos
  • Language: Português
  • Abstract: Por outro lado, machos estiveram mais presentes nos agrupamentos, ocorrendo em quase todos (N=21), com uma média de 7,1 machos/grupo e uma variação de um a 24 machos. Sete agrupamentos foram considerados de machos solteiros. Onze dos 22 agrupamentos eram constituídos de colônia e grupo de machos solteiros. O dimorfismo sexual no comprimento do antebraço de D. rotundus do Vale do Paraíba foi estatisticamente significativo e sugere que as fêmeas são maiores 13 do que os machos. Lesões corporais, atribuídas às mordeduras provocadas por outros morcegos, foram encontradas em 76,7 por cento dos indivíduos de D. rotundus, tanto em machos como em fêmeas. A região mais atingida foram as membranas alares, com 68 por cento , porém lesões nas orelhas, face e membros foram menos frequentes (23,1 por cento nas fêmeas e 26,9 por cento nos machos). Acredita-se que as lesões nessas regiões sejam mais importantes nos mecanismos de transmissão de raiva. Apesar de ter analisado 310 amostras de encéfalos de D. rotundus do Vale do Paraíba, o resultado foi negativo em todas as amostras. A sorologia mostrou que todos os morcegos apresentaram positividade em diferentes graus. Contudo, se considerarmos o ponto de corte 0,5 UI/ml, o número de indivíduos positivos caiu para 30,1 por cento (N=90), sendo 30,9 por cento nas fêmeas e 28,8 por cento em machos.Apesar de nenhum indivíduo de D. rotundus positivo para a raiva ter sido encontrado no Vale do Paraíba durante a presente tese, a sorologia positiva de, pelo menos, 30 por cento mostra que há vírus da raiva circulando em sua população. Essa alta circulação viral pode ter sido favorecida pelas interações agonísticas, que causam lesões em mais de 75 por cento dos morcegos, a formação compacta (em penca) dos agrupamentos, o grooming social, a reciprocidade e partilha alimentar.Apesar dos morcegos hematófagos serem muito estudados, diversos aspectos de sua biologia e de seu papel na transmissão da raiva ainda não são conhecidos. O objetivo da presente tese foi estudar os abrigos diurnos, os agrupamentos e o comportamento agonístico do morcego hematófago comum, Desmodus rotundus, e sua relação com a raiva dos herbívoros no Vale do Paraíba. Foi possível também obter informações sobre as duas outras espécies de morcegos hematófagos, especialmente de Diphylla ecaudata. Entre 2011 e 2014, dados sobre abrigos diurnos, composição dos agrupamentos, lesões corporais, diagnóstico de raiva e sorologia antirrábica de D. rotundus foram obtidos nos municípios de Jacareí, Paraibuna, Pindamonhangaba, Salesópolis, Santa Branca e São Luiz do Paraitinga no Vale do Paraíba, Sudeste do estado de São Paulo, Sudeste do Brasil. Foram estudados 14 abrigos diurnos de D. rotundus, dos quais 12 eram construções abandonadas na área rural. Desmodus rotundus partilhou abrigos diurnos com apenas cinco espécies de filostomídeos: Diphylla ecaudata, Chrotopterus auritus, Carollia perspicillata, Glossophaga soricina e Anoura caudifer. O tempo de recolonização desses abrigos diurnos por D. rotundus foi em média 12,5 meses, com uma variação entre três e 25 meses. O tamanho dos agrupamentos variou de dois a 79 indivíduos, com uma média de 15,6 morcegos/grupo. Fêmeas foram encontradas em 15 agrupamentos, com uma média de 13 fêmeas e uma variação entre uma e 55 fêmeas/grupo.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 30.04.2015
  • Online source accessDOI
    Informações sobre o DOI: 10.11606/T.6.2015.tde-03082015-113130 (Fonte: oaDOI API)
    • Este periódico é de acesso aberto
    • Este artigo é de acesso aberto
    • URL de acesso aberto
    • Cor do Acesso Aberto: gold
    • Licença: cc-by-nc-sa

    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      FERRARI, João José de Freitas; MARRELLI, Mauro Toledo. Morcego hematófago comum Desmodus rotundus no Vale do Paraíba, Estado de São Paulo: abrigos diurnos, agrupamentos, lesões corporais e sorologia antirrábica. 2015.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015. Disponível em: < https://doi.org/10.11606/T.6.2015.tde-03082015-113130 > DOI: 10.11606/T.6.2015.tde-03082015-113130.
    • APA

      Ferrari, J. J. de F., & Marrelli, M. T. (2015). Morcego hematófago comum Desmodus rotundus no Vale do Paraíba, Estado de São Paulo: abrigos diurnos, agrupamentos, lesões corporais e sorologia antirrábica. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de https://doi.org/10.11606/T.6.2015.tde-03082015-113130
    • NLM

      Ferrari JJ de F, Marrelli MT. Morcego hematófago comum Desmodus rotundus no Vale do Paraíba, Estado de São Paulo: abrigos diurnos, agrupamentos, lesões corporais e sorologia antirrábica [Internet]. 2015 ;Available from: https://doi.org/10.11606/T.6.2015.tde-03082015-113130
    • Vancouver

      Ferrari JJ de F, Marrelli MT. Morcego hematófago comum Desmodus rotundus no Vale do Paraíba, Estado de São Paulo: abrigos diurnos, agrupamentos, lesões corporais e sorologia antirrábica [Internet]. 2015 ;Available from: https://doi.org/10.11606/T.6.2015.tde-03082015-113130


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2022