Exportar registro bibliográfico


Metrics:

Fatores de risco para Leishmaniose Tegumentar Americana (LTA) no município de Bandeirantes, Paraná, Brasil (2015)

  • Authors:
  • Autor USP: CRUZ, CAROLINA FORDELLONE ROSA - FSP
  • Unidade: FSP
  • Sigla do Departamento: HEP
  • DOI: 10.11606/T.6.2015.tde-01062015-120411
  • Subjects: LEISHMANIOSE CUTÂNEA (CARACTERÍSTICAS;OCORRÊNCIA;EPIDEMIOLOGIA); FATORES DE RISCO; FATORES SOCIOECONÔMICOS; HABITAÇÃO (CONDIÇÕES SOCIOECONÔMICAS); ATIVIDADES COTIDIANAS; CONHECIMENTOS, ATITUDES E PRÁTICA; ESTUDOS DE CASOS E CONTROLES
  • Keywords: Caso-Controle; Leishmaniose Tegumentar Americana
  • Language: Português
  • Abstract: A leishmaniose é uma ameaça para cerca de 350 milhões de pessoas em 88 países no mundo. No município de Bandeirantes, estado do Paraná, Brasil, foram notificados 183 casos de leishmaniose tegumentar americana (LTA) entre 2000 a 2013. Objetivos: Descrever e analisar os casos de LTA ocorridos no município de Bandeirantes Paraná, entre 2007 e 2013 e investigar os fatores de risco associados à ocorrência da doença, considerando-se fatores socioeconômicos, condições habitacionais e do entorno das residências, atividades ocupacionais e de lazer, conhecimento sobre a LTA na população de estudo e algumas práticas; investigar a presença de anticorpos anti Leishmania sp. na população canina e descrever as características socioeconômicas, condições habitacionais e do entorno das residências, atividades ocupacionais, de lazer nos casos que evoluíram para óbitos bem como as características clínicas. Métodos: estudo caso-controle não pareado. A amostra constou de 104 casos autóctones de LTA notificados na Secretaria Municipal de Saúde de Bandeirantes e 90 controles, residentes selecionados aleatoriamente que apresentassem reação de imunofluorescência indireta (RIFI) negativa. A amostra da população canina foi composta por animais presentes nas residências dos casos e dos controles. Foram investigados os óbitos entre os indivíduos que tiveram LTA no período do estudo. Resultados: O sexo feminino prevaleceu entre os casos (62,50 por cento) e controles (68,89 por cento),bem como a faixa etária maior ou igual a 60 anos em ambos os grupos (46,15 por cento e 33,33 por cento, respectivamente). Todavia estas condições não se mostraram como fatores de risco significante. Mostraram-se como fatores de risco significantes (p < 0,05) as seguintes variáveis: ser analfabeto (OR = 10,09), aposentados (OR = 2,35), praticar atividades de lazer relacionadas à zona rural (OR = 4,47), frestas na casa (OR = 2,15), presença de matos próximos ao domicílio (OR = 6,92), presença de plantas frutíferas no peridomicílio (OR=2,02), anexos peridomicilares (OR = 4,30), galinheiro (OR=2,15) e canil (OR = 3,90), dormir fora do quarto (OR=4,97), 8 combate a animais sinantrópicos (OR = 2,69), uso de repelente corporal (5,43) e conhecer o mosquito transmissor (OR = 3,48), a relação com outros animais (OR =2,51) e prevenção (OR = 2,24). Como fatores de proteção: renda familiar > 3 salários mínimo (OR = 0,22), casa de alvenaria e reboco (OR = 0,41), abastecimento de água de rede (OR = 0,41), presença de rede de esgoto (OR = 0,33), coleta de lixo pública (OR = 0,35). Os exames sorológicos realizados nos cães do estudo demonstraram que 38,23 por cento foram reagentes para os casos e 2,12 por cento nos controles. Os cães dos casos possuem 28,47 vezes mais chance de contrair a LTA quando comparados com os cães dos controles (p<0,0001). Foram investigados 14 óbitos, 35,71 por cento estavam em tratamento da LTA e 42,86 por cento apresentavam lesões compatíveis com a LTA. Conclusões: A ocorrência da LTA em Bandeirantes mostrou-se associada estatisticamente às variáveis: idade, escolaridade, renda familiar, atividades de lazer relacionadas à zona rural, presença de anexos domiciliares e vegetação próximo ao domicílio, assim como o uso de repelente corporal, dormir fora do quarto e conhecer o mosquito vetor da LTA e a sua forma de prevenção.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 25.05.2015
  • Acesso à fonteDOI
    Informações sobre o DOI: 10.11606/T.6.2015.tde-01062015-120411 (Fonte: oaDOI API)
    • Este periódico é de acesso aberto
    • Este artigo é de acesso aberto
    • URL de acesso aberto
    • Cor do Acesso Aberto: gold
    • Licença: cc-by-nc-sa

    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CRUZ, Carolina Fordellone Rosa; GALATI, Eunice Aparecida Bianchi. Fatores de risco para Leishmaniose Tegumentar Americana (LTA) no município de Bandeirantes, Paraná, Brasil. 2015.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015. Disponível em: < https://doi.org/10.11606/T.6.2015.tde-01062015-120411 > DOI: 10.11606/T.6.2015.tde-01062015-120411.
    • APA

      Cruz, C. F. R., & Galati, E. A. B. (2015). Fatores de risco para Leishmaniose Tegumentar Americana (LTA) no município de Bandeirantes, Paraná, Brasil. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de https://doi.org/10.11606/T.6.2015.tde-01062015-120411
    • NLM

      Cruz CFR, Galati EAB. Fatores de risco para Leishmaniose Tegumentar Americana (LTA) no município de Bandeirantes, Paraná, Brasil [Internet]. 2015 ;Available from: https://doi.org/10.11606/T.6.2015.tde-01062015-120411
    • Vancouver

      Cruz CFR, Galati EAB. Fatores de risco para Leishmaniose Tegumentar Americana (LTA) no município de Bandeirantes, Paraná, Brasil [Internet]. 2015 ;Available from: https://doi.org/10.11606/T.6.2015.tde-01062015-120411

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021