Exportar registro bibliográfico

Avaliação da função pulmonar, da capacidade funcional, da mobilidade de ombros e de fatores de risco relacionados a complicações pulmonares pós-operatórias em pacientes submetidos a cirurgia pulmonar (2014)

  • Authors:
  • Autor USP: MIRANDA, ALINE PATRICIA BONATO - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RAL
  • Subjects: TORACOTOMIA; PULMÃO (CIRURGIA); CAPACIDADE FUNCIONAL; COMPLICAÇÕES PÓS-OPERATÓRIAS; FATORES DE RISCO
  • Language: Português
  • Abstract: Introdução: As complicações pulmonares estão entre as causas mais comuns de morbimortalidade no pós-operatório de ressecções pulmonares, principalmente, as ressecções maiores, por isso há necessidade de instrumentos de avaliação para definição do programa de tratamento com a finalidade de diminuir os índices de complicações no pós-operatório. Objetivo: Avaliar a função pulmonar, a capacidade funcional e a mobilidade de ombro e os fatores de risco relacionados a incidência de complicações pulmonares pós-operatórias (CPPs) em pacientes submetidos a cirurgia pulmonar aberta. Métodos: Os pacientes foram avaliados no préoperatório, primeiro e segundo dia do pós-operatório, no qual, a avaliação pré-operatória foi realizada através de dados de prontuário, avaliação clínica, ventilometria, espirometria, medidas de pressões respiratórios, pico de fluxo expiratório, teste de caminhada de 6 minutos (TC6), avaliação da amplitude de movimento de flexão e abdução de ombros e, escala analógica visual; no pós-operatório foram avaliados a ventilometria, o pico de fluxo expiratório, o questionário de índice de dor e incapacidade no ombro (SPADI-Br), a amplitude de movimento de flexão e abdução de ombros e, escala analógica visual. As CPP foram definidas e avaliadas pela equipe clínica e comissão de infecção hospitalar e os pacientes foram agrupados em "sem" e "com" CPP e em subgrupos de acordo com a área de ressecção (biópsia/nodulectomia, segmentectomia pulmonar e lobectomia). Os dados foram analisados comparando-se os valores obtidos nos três dias de avaliação e foi comparado os valores obtidas na avaliação pré-operatória em relação às complicações do pós-operatório, utilizando-se a análise de variância (ANOVA), Teste t de Student, método de regressão e curva ROC, adotando um nível de significância de 5%. Resultados: Trinta e oito pacientes participaramda pesquisa (média de idade de 57,5 anos) e foram avaliados por todos os testes propostas, em relação a função pulmonar encontramos em média VEF1 de 76,1% ± 4,4%, CVF em média 88,5% ± 12,1% e PFE em média de 372 ± 118 1/s pré-operatório dentre outras variáveis avaliadas, no entanto, o teste de caminhada de seis minutos, foi realizado por 21 pacientes (média de idade de 60 ± 10 anos), os pacientes percorreram em média de 376 ± 97m e tinham em média 516 ± 54m previstos para o TC6, com concordância moderada entre os valores obtidas do TC6 e as complicações no pós-operatório (coeficiente de Kappa = 0,60), dos quais 57,12% apresentaram complicações no pós-operatório. O grupo de pacientes que evoluiu com complicações após a cirurgia, percorreu uma distancia significativamente menor (341m correspondente a 66,7% do previsto) que o grupo que evoluiu sem complicações no TC6 (422m correspondente a 81,2% do previsto) (p<0,05). O ponto de corte definido foi 383m para o TC6 para prever o risco de complicações no pós-operatório com especificidade de 77,78 e sensibilidade de 75,00. Os dados mostraram que o VEF1 e o TC6 foram considerados como fatores de risco para complicações no pós-operatório nesta população de estudo, principalmente o TC6, pois quando o paciente percorre distancia menor que a prevista tem 22 vezes chances de desenvolver complicações no pós-operatório. Em relação a ADM houve diminuição da flexão (153° ± 16° para 98° ± 23°), da abdução (de 151° ± 20° para 126° ± 38°) e aumento do score no SPADI (de 2,4 para 44,3) no ombro homolateral a cirurgia do pré para o primeiro dia de pós-operatório (p<0,05). Houve maior perda de flexão e abdução homolateral no subgrupos de cirurgia nas ressecções maiores (p<0,05) e, houve diminuição de flexão e abdução no ombro contralateral nos subgrupos de segmentectomia pulmonar (p<0,05). Conclusão: Dentre as variáveis estudadas, o desempenhono TC6 relaciona-se com risco aumentado de CPP e, por ser de simples execução, pode ser inserido na rotina de avaliação pré-operatória destes pacientes, também houve limitação bilateral da amplitude de movimento de elevação de ombros com maior comprometimento do ombro homolateral, sendo mais comprometida nas cirurgias com ressecções pulmonares mais extensas
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 06.08.2014

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MIRANDA, Aline Patricia Bonato; GASTALDI, Ada Clarice. Avaliação da função pulmonar, da capacidade funcional, da mobilidade de ombros e de fatores de risco relacionados a complicações pulmonares pós-operatórias em pacientes submetidos a cirurgia pulmonar. 2014.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2014.
    • APA

      Miranda, A. P. B., & Gastaldi, A. C. (2014). Avaliação da função pulmonar, da capacidade funcional, da mobilidade de ombros e de fatores de risco relacionados a complicações pulmonares pós-operatórias em pacientes submetidos a cirurgia pulmonar. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Miranda APB, Gastaldi AC. Avaliação da função pulmonar, da capacidade funcional, da mobilidade de ombros e de fatores de risco relacionados a complicações pulmonares pós-operatórias em pacientes submetidos a cirurgia pulmonar. 2014 ;
    • Vancouver

      Miranda APB, Gastaldi AC. Avaliação da função pulmonar, da capacidade funcional, da mobilidade de ombros e de fatores de risco relacionados a complicações pulmonares pós-operatórias em pacientes submetidos a cirurgia pulmonar. 2014 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020