Exportar registro bibliográfico

Identificar e isolar células reticulares fibroblásticas em linfonodos humanos (2015)

  • Authors:
  • Autor USP: ALVARENGA, HELIENE GONçALVES - FM
  • Unidade: FM
  • Sigla do Departamento: MCM
  • Subjects: LINFONODOS; CÉLULAS SANGUÍNEAS (CLASSIFICAÇÃO); CÉLULAS DO TECIDO CONJUNTIVO
  • Keywords: Célula reticular fibroblástica; Células estromais; Células estromais mesenquimais; Fibroblastic reticular cell; Linfonodos; Lymph nodes; Mesenchymal stromal cells; Stromal cells
  • Language: Português
  • Abstract: Células reticulares fibroblásticas (FRCs, gp38+ e CD31-) e células duplo negativas (DNCs, gp38- e CD31-) são células estromais encontradas em órgãos linfoides secundários, como linfonodos. Enquanto as FRCs têm sido amplamente estudadas, pouco se sabe ainda sobre DNCs. Apesar da função estrutural das FRCs nos linfonodos já estar bem estabelecida, estudos recentes indicam que as FRCs também desempenham um papel fundamental em processos imunológicos, por exemplo, migração celular, ativação e qualidade da resposta imune, além da participação na tolerância periférica. Outra célula estromal em constante estudo são as células-tronco mesenquimais (CTMs), principalmente encontradas na medula óssea. Estas células compartilham similaridades, como por exemplo; são células estromais encontradas em órgãos linfoides, apresentam morfologia e características semelhantes quando cultivadas in vitro e estão envolvidas na resposta imune por mecanismos semelhantes. As CTMs são provenientes de um órgão linfoide primário, cuja função principal não está relacionada à resposta imunológica, entretanto, de acordo com inúmeros trabalhos, estas células possuem capacidade de interferir na ativação de várias células do sistema imunológico. Portanto, nossa hipótese é de que as FRCs e DNCs, que se encontram em um órgão linfoide secundário, cuja função principal remete a resposta imunológica, apresentem também um papel regulador, descrito na literatura como tolerância periférica e contração de uma resposta imunológica já estabelecida.Em nosso estudo mostramos que FRCs e DNCs foram isoladas a partir de linfonodos humanos e devidamente caraterizadas. Evidenciamos que FRCs e DNCs atendem todos os critérios mínimos propostos pela sociedade internacional de terapia celular para serem consideradas células-tronco estromais. Além disso, mostramos que FRCs e DNCs influênciam a proliferação e a expressão de moléculas de homing em linfócitos alogênicos in vitro. Portanto, contribuimos de forma inédita para o entendimento funcional das FRCs e DNCs, visto que estudos em humanos envolvendo estas células são escassos
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 14.04.2015
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      ALVARENGA, Heliene Gonçalves; MARTI, Luciana Cavalheiro. Identificar e isolar células reticulares fibroblásticas em linfonodos humanos. 2015.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5146/tde-19062015-153946/ >.
    • APA

      Alvarenga, H. G., & Marti, L. C. (2015). Identificar e isolar células reticulares fibroblásticas em linfonodos humanos. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5146/tde-19062015-153946/
    • NLM

      Alvarenga HG, Marti LC. Identificar e isolar células reticulares fibroblásticas em linfonodos humanos [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5146/tde-19062015-153946/
    • Vancouver

      Alvarenga HG, Marti LC. Identificar e isolar células reticulares fibroblásticas em linfonodos humanos [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5146/tde-19062015-153946/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021