Exportar registro bibliográfico

Biologia reprodutiva e polinização de orquídeas nativas do estado de São Paulo: Encyclia patens Hook., Phymatidium delicatulum Lindl. e Mesadenella cuspidata (Lindl.) Garay (2014)

  • Authors:
  • Autor USP: CABRAL, PAULO ROBERTO DE MEDEIROS - FFCLRP
  • Unidade: FFCLRP
  • Sigla do Departamento: 592
  • Subjects: BIOLOGIA VEGETAL; ORQUÍDEA; POLINIZAÇÃO
  • Language: Português
  • Abstract: A família Orchidaceae A. Juss. pertence a ordem Asparagales e é considerada uma, das maiores famílias de plantas com flores. Com distribuição cosmopolita, sua maior diversidade e abundâcia são observadas nas florestas tropicais e subtropicais amidas. No Brasil, estima-se que ocorram cerca de 2.449 espécies que podem ser encontradas em todos as seus biomas. Entretanto, a Mata Atlantica é considerada a mais rica em números de espécies. Encyclia patens Hook, é uma espécie epifita endémica do Brasil e apresenta ampla distribuição geográfica, ocorrendo no nordeste, sudeste e sul do país. A sua biologia reprodutiva foi estudada no município de São Simão, no noroeste do estado de São Paulo. A espécie produz inflorescências paniculiforme apicais e flores nectaríferas que exalam uma fragrância adocicada composta por 10 substâncias. Suas flores, que apresentam coloração verde e púrpura, abrem nos meses de Junho a agasto e, quando intactas, permanecem abertas por até 21 dias. O néctar produzido por elas é secretado em uma cavidade nectarífera chamada de cunículo. Contudo, não foram observados os polinizadores de Encyclia patens. Apenas vespas sociais da espécie Polybia ignobilis Haliday 1836 e também moscas da família Syrphidae foram observados como visitantes florais. Encyclia patens é autocompatível. Entretanto, não autógama e dependente de um polinizador, uma vez que os frutos formados foram exclusivamente dos tramentos de autopolinizacão manual (100%) e polinização cruzada (93,3%). A taxa de sementes potencialmente viáveis dos frutos provenientes destes tratamentos foi de 57,93% para autopolinizacão manual e 82,52% para polinização cruzada Em condições naturais, a população estudada apresentou uma taxa de frutificação de 0,28%. Phymatidium delicatulum Lindl. é uma espécies com hábito epifito endémica do Brasil que ocorre no nordeste, sudeste e sul do país. Osestudos sobre a sua biologia reprodutiva foi desenvolvidos na Reserva Biológica Serra do Japi, no município de Jundiai, estado de São Paulo. Phytnatidium delicatulum corresponde a plantas muito pequenas (ca. 5 em), desprovidas de pseudobulbos. Suas inflorescências são racemosas e podem produzir até 17 flores que se abrem no verão, de dezembro a Fevereiro e apresentam coloração predominantemente branca com calosidades verdes sobre o tabelo, onde se localizam o elaióforos. O óleo produzido por elas é coletado por abelhas Tapinotaspidini (Tetrapedia amplitarsis Friese 1899 e Trigonopedia sp. Moure 1941), que atuam como seus polinizadores. Phymatidium delicatulum é uma espécie autocompatível e não autógama. Nos tratamentos manuais de autopolinização suas flores resultaram em 31,9% de frutos que apresentaram 57,93% de sementes potencialmente viáveis. Enquanto que nos tratamentos de polinização cruzada 54% das flores resultaram em frutos com uma porcentagem de 82,52% de sementes potencialmente viáveis. Em condições naturais a taxa de frutificação de Phymatidium delicatulum foi de 10,7%. Mesadenella cuspidata (Eindl.) Garay apresenta hábito terrícola. Essa espécie ocorre nas regiões sul e sudeste, ocorrendo também no centro-oeste do Brasil. Os estudos sobre a sua biologia reprodutiva e polinização foram realizados na Reserva Biológica Serra do Japi, no município de Jundiai, e no Parque Estadual de Vassununga, no município de Santa Rita do Passa Quatro, ambos no estado de São Paulo. Mesadenella cuspidata apresenta uma inflorescência racemosa apical com flores espiraladamente dispostas. Suas flores que são protândricas apresestam coloração branca e exalam uma fragrância adocicada composta por 16 voláteis diferentes. Além disso, elas apresetam um nectário em forma de bojo formado pela união das sépalas laterais e o tabelo que armazena X= 1,43 ± 0,87 de néctar com umaconcentração de X= 39,50% ± 5,98. O néctar produzido pelas suas flores é coletado por abelhas Augochlorella tredecim Vachal 191, Osiris sp. Smith 1854 e Rhathymus friese Ducke 1907. A espécie é autocompatível e não é autógama. As flores que foram submetidas à autopolinizacão manual resultaram em 66,6% de frutos e as que foram submetidas ao tratamento de polinização cruzada resultaram em 86,6%. A taxa de sementes potencialmente viáveis em frutos provenientes destes tratamentos foi de 78,7% em autopolinização manual e 70,9% nos frutos de polinização cruzada. Em condições naturais, no ano de 2013 as flores resultaram em 74,1% de frutos e em 2014 a taxa de frutificação foi de 62,4%.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 27.11.2014

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CABRAL, Paulo Roberto de Medeiros; PANSARIN, Emerson Ricardo. Biologia reprodutiva e polinização de orquídeas nativas do estado de São Paulo: Encyclia patens Hook., Phymatidium delicatulum Lindl. e Mesadenella cuspidata (Lindl.) Garay. 2014.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2014.
    • APA

      Cabral, P. R. de M., & Pansarin, E. R. (2014). Biologia reprodutiva e polinização de orquídeas nativas do estado de São Paulo: Encyclia patens Hook., Phymatidium delicatulum Lindl. e Mesadenella cuspidata (Lindl.) Garay. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Cabral PR de M, Pansarin ER. Biologia reprodutiva e polinização de orquídeas nativas do estado de São Paulo: Encyclia patens Hook., Phymatidium delicatulum Lindl. e Mesadenella cuspidata (Lindl.) Garay. 2014 ;
    • Vancouver

      Cabral PR de M, Pansarin ER. Biologia reprodutiva e polinização de orquídeas nativas do estado de São Paulo: Encyclia patens Hook., Phymatidium delicatulum Lindl. e Mesadenella cuspidata (Lindl.) Garay. 2014 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021