Exportar registro bibliográfico

Avaliação da espirometria de gestantes expostas à poluição atmosférica da Região Metropolitana de São Paulo (2015)

  • Authors:
  • Autor USP: PASTRO, LUCIANA DUZOLINA MANFRé - FM
  • Unidade: FM
  • Sigla do Departamento: MOG
  • Subjects: POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA; GRAVIDEZ; TESTES DE FUNÇÃO RESPIRATÓRIA; OZÔNIO; MONITORAMENTO AMBIENTAL
  • Keywords: Air pollution; Dióxido de nitrogênio; Espirometria; Estatísticas não paramétricas; Gestantes; Nitrogen dioxide; Ozone; Ozônio; Poluição do ar; Pregnant women; Respiratory function tests; Spirometry; Statistics nonparametric; Testes de função respiratória
  • Language: Português
  • Abstract: Introdução: A poluição do ar pode levar a alterações no sistema respiratório, especialmente entre certos grupos, como as gestantes, que são mais vulneráveis aos efeitos de poluentes atmosféricos. A gravidez é um período que envolve alterações funcionais e anatômicas no corpo da mulher, incluindo alterações na função pulmonar, o que pode ser avaliado por espirometria, um método simples, barato e eficaz. Objetivos: Os objetivos deste estudo foram a usar a espirometria para avaliar a função pulmonar de mulheres no primeiro trimestre (T1) e no terceiro trimestre (T3) de gravidez e analisar a influência da exposição a poluição do ar sobre os parâmetros espirométricos. Metodologia: O estudo foi realizado no Ambulatório de Obstetrícia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP) entre Maio de 2011 e Agosto de 2013. Foram aplicados os seguintes critérios de inclusão: gestação única, idade gestacional no dia da primeira espirometria inferior a 13,86 semanas, ausência de doenças maternas préexistentes, preparação adequada para o teste de espirometria e amostradores passivos individuais (APIs) adequados para análise. Os critérios de exclusão foram a mudança de endereço, o aborto, o teste de espirometria inadequado e desistência de participar do projeto. Os APIs contendo dois filtros de celulose embebidos com solução absorvente para capturar os níveis de NO2 e outros dois filtros embebidos com solução de índigo blue para medir os níveis de O3foram entregues às gestantes cerca de 12 dias antes da realização do teste de espirometria. Dados do relatório anual da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB) para o mesmo período dos amostradores passivos, foram utilizados. Para a espirometria, um espirômetro Koko foi utilizado, sendo considerada as duas melhores curvas para avaliar os resultados da função pulmonar. Análise estatística: Foi utilizado o teste Mann-Whitney para grupos independentes e Wilcoxon para os dependentes. Devido à pequena variação na exposição à poluição, a exposição no primeiro trimestre (Q1) e quarto trimestre (Q4) foram comparados para cada poluente em T1 e T3 através da análise nãoparamétrica para medidas repetidas. Resultados: Houve uma redução estatisticamente significativa dos valores absolutos (T1: 3,690 L; T3: 3,475 L) e preditos (T1: 101%, T3: 97,5%) da capacidade vital forçada (CVF), p < 0,0001. E uma redução estatisticamente significativa dos valores absolutos (T1: 3.080 L; T3: 2.950 L) e preditos (T1: 99%, T3: 96%) do volume expiratório forçado no primeiro segundo do procedimento (FEV1), p < 0,0001. A exposição à poluição foi semelhante em ambos os trimestres, exceto para a exposição de NO2 no API, o que foi inferior em T3 (p = 0,001). Independentemente do trimestre (T1 ou T3), o grupo de mulheres do Q4 (T1: 97,5%; T3: 98,5%) teve NO2 estatisticamente maior dos valores do fluxo expiratório forçado de 25 a 75% do procedimento (FEF25-75%) do que o grupo em Q1 (T1: 80%; T3: 92%).O grupo de mulheres do Q1 do NO2 teve um aumento significativo neste parâmetro de T1 a T3 (p = 0,042). Em termos de valores absolutos da relação FEV1/FVC, o grupo de mulheres no Q1 mostrou um aumento estatisticamente significativo neste parâmetro de T1 (0,810 L) para T3 (0,840 L) (p = 0,026). Em T3, os valores absolutos e relativos da CVF foram estatisticamente maiores para o grupo de gestantes do Q4 (3,535 L; 100,5%) de NO2 do que para o grupo de gestantes do Q1 (3,345 L; 92%). O grupo de gestantes do Q4 de O3 mostrou o VEF1 estatisticamente maior eno T1 (102,5%) do que no T3 (95,5%) (p < 0,001). Independentemente do trimestre, o grupo de gestantes do Q4 do MP10, teve valores absolutos da CVF (T1: 3.520 L; T3: 3,265 L) e os valores de VEF1 (T1: 2,915 L; T32.840 L) foram estatisticamente menor do que para o grupo em Q1 (FVC - T1: 3.780 L; T3: 3.580 L) (FEV1 - T1: 3.180 L; T3: 3.065 L) p = 0,040; p = 0,035, respectivamente. Valores absolutos e preditos do pico de fluxo expiratório (PEF) em T1 das mulheres do Q4 (5,995 L; 80%) do MP10 foram estatisticamente menores do que para as mulheres no Q1 (6,675 L; 85%) (p = 0,006; p = 0,041 , respectivamente). Mulheres grávidas em Q4 (0,835 L) do MP10 tiveram os valores da relação VEF1/CVF estatisticamente menores valores do que as mulheres do Q1 (0,850 L) (p = 0,029). Conclusão: Exposição a NO2 e O3 foi associada com o aumento de alguns dos parâmetros de espirometria, indicando a presença de uma possível função de defesapulmonar ou mecanismo compensatório em mulheres grávidas, quando expostos a esses poluentes. O MP10 foi associado com a redução de alguns parâmetros de espirometria durante a gravidez, indicando os efeitos danosos do poluente para a função do pulmão de mulheres grávidas
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 11.03.2015
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      PASTRO, Luciana Duzolina Manfré; FRANCISCO, Rossana Pulcineli Vieira. Avaliação da espirometria de gestantes expostas à poluição atmosférica da Região Metropolitana de São Paulo. 2015.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5139/tde-20052015-114916/ >.
    • APA

      Pastro, L. D. M., & Francisco, R. P. V. (2015). Avaliação da espirometria de gestantes expostas à poluição atmosférica da Região Metropolitana de São Paulo. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5139/tde-20052015-114916/
    • NLM

      Pastro LDM, Francisco RPV. Avaliação da espirometria de gestantes expostas à poluição atmosférica da Região Metropolitana de São Paulo [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5139/tde-20052015-114916/
    • Vancouver

      Pastro LDM, Francisco RPV. Avaliação da espirometria de gestantes expostas à poluição atmosférica da Região Metropolitana de São Paulo [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5139/tde-20052015-114916/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020