Exportar registro bibliográfico

Frequência de alelos e haplótipos HLA (-A,-B e -DRB1) em amostras de doadores voluntários de medula óssea das regiões Norte e Sudeste do Brasil (2014)

  • Authors:
  • Autor USP: CITA, RAFAEL FORMENTON - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RCM
  • Subjects: COMPLEXO PRINCIPAL DE HISTOCOMPATIBILIDADE; IMUNOGENÉTICA
  • Language: Português
  • Abstract: O conhecimento das frequências dos grupos de alelos e haplótipos envolvendo genes HLA assume papel relevante no contexto do transplante de órgãos sólidos, tecidos e células, quando se trata de se buscar doador não relacionado para pacientes que não encontraram doador compatível em seu núcleo familiar. Uma classificação dos haplótipos mais frequentes por etnia pode encurtar a procura do doador ideal, pois a busca inicial pode ser efetuada dentro do próprio grupo étnico do paciente, no qual há, teoricamente, mais chances de encontrar doador compatível. Além disso, o conhecimento dessas frequências permite estimar as reais chances de um paciente, em lista de espera, encontrar um doador que apresente mais compatibilidades HLA. O conhecimento da frequência e prevalência dos genes HLA permite a compreensão da biologia da distribuição desses alelos em nossa população, além de possibilitar a comparação com outros grupos populacionais. A variabilidade genética do sistema HLA é útil na pesquisa imunológica para transplantes, a fim de minimizar a rejeição; no fornecimento de informações sobre susceptibilidade ou resistência genética a doenças; e nos estudos antropológicos e de genética de populações. Este trabalho tem por objetivo avaliar a frequência dos grupos de alelos e do haplótipos HLA-A, HLA-B e HLA-DRB1, em amostras populacionais dos estados de São Paulo e Rondônia. Os dados foram obtidos pela análise realizada pelo software Arlequin v3.15, SPSS v20, Genepop v4.2, Graphpad v5 e, por inferências manuais. Para a execução deste trabalho foram selecionados 48.899 indivíduos não relacionados e saudáveis; dos quais, 20.810 pertencem ao estado de São Paulo, e 28.089 ao estado de Rondônia. A composição do grupo de alelos de Rondônia foram: 21 grupos alélicos HLA-A, 35 grupos alélicos HLA-B e 13 grupos alélicos HLA-DRB1; e de São Paulo: 21 grupos alélicosHLA-A, 36 grupos alélicos HLA-B e 13 grupos alélicos HLA-DRB1. O grupo de alelos HLA-B*83 está ausente na população de Rondônia. O percentual de heterozigotos nas duas populações foi semelhante para as combinações HLA-A, HLA-B e HLA-DRB1. Houve ausência do equilíbrio de Hardy-Weinberg para os loci HLA-A, HLA-B e HLA-DRB1 nas duas populações. Os alelos mais frequentes encontrados foram: RO e SP = HLA-A*02, HLA-A*24, HLA-A*03 e HLA-A*01, HLA-B*35, HLA-B*44, HLA-B*15 e HLA-B*51, HLA-DRB1*13, HLA-DRB1*04, HLA-DRB1*07 e HLA-DRB1*11. Nas duas populações foi observado desequilíbrio de ligação entre os loci A/B, A/DRB1, e B/DRB1. Os haplótipos mais frequentes encontrados nas duas populações foram: HLA-A*02/-B*15, HLA-A*02/-B*35, HLA-A*01/-B*08 e HLA-A*02/-B*07; HLA-A*02/-DRB1*04, HLA-A*02/- DRB1*01 e HLA-A*02/-DRB1*07; HLA-B*08/-DRB1*03, HLA-B*44/-DRB1*07 e HLA-B*14/-DRB1*01; HLA-A*01/-B*08/-DRB1*03, HLA-A*02/-B*15/-DRB1*04, HLA-A*02/-B*14/-DRB1*01 e HLA-A*02/-B*44/-DRB1*07. Embora se tenha observado semelhanças nas frequências alélicas e haplotípicas, muitos alelos apresentam frequência diferencial conforme a região e o grupo populacional, evidenciando a necessidade de aumentar o número de doadores em bancos de doadores, como no REDOME.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 26.11.2014

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CITA, Rafael Formenton; DONADI, Eduardo Antônio. Frequência de alelos e haplótipos HLA (-A,-B e -DRB1) em amostras de doadores voluntários de medula óssea das regiões Norte e Sudeste do Brasil. 2014.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2014.
    • APA

      Cita, R. F., & Donadi, E. A. (2014). Frequência de alelos e haplótipos HLA (-A,-B e -DRB1) em amostras de doadores voluntários de medula óssea das regiões Norte e Sudeste do Brasil. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Cita RF, Donadi EA. Frequência de alelos e haplótipos HLA (-A,-B e -DRB1) em amostras de doadores voluntários de medula óssea das regiões Norte e Sudeste do Brasil. 2014 ;
    • Vancouver

      Cita RF, Donadi EA. Frequência de alelos e haplótipos HLA (-A,-B e -DRB1) em amostras de doadores voluntários de medula óssea das regiões Norte e Sudeste do Brasil. 2014 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021