Exportar registro bibliográfico

Um estudo do comportamento social de duplas de ratos (2014)

  • Authors:
  • Autor USP: BONUTI, RAFAEL CARVALHO - FFCLRP
  • Unidade: FFCLRP
  • Sigla do Departamento: 594
  • Subjects: COMPORTAMENTO SOCIAL; HABITAÇÃO; COMPORTAMENTO (ESTABILIZAÇÃO)
  • Keywords: (<i>Rattus norvegicus</i>); (<i>Rattus norvegicus</i>); behavioral stability; campo-aberto; chlordiazepoxyde; clordiazepóxido; comportamento social de ratos; estabilidade comportamental; habituação; habituation; illumination; luminosidade; open field; rat social behavior
  • Language: Português
  • Abstract: Uma das dificuldades de se estudar o comportamento social é que para que ele ocorra são necessários pelo menos dois sujeitos, o que dificulta medidas de um deles, sem que seja necessário levar em conta o comportamento do outro. O presente trabalho investiga o comportamento social de duplas de ratos separados por uma grade, para minimizar o efeito que o comportamento de um rato possa ter sobre o outro. Como equipamento, foi utilizado um campo aberto de madeira (120 x 120 x 40 cm) forrado de fórmica marrom escuro. Uma das paredes podia estar intacta ou apresentar uma abertura por onde se podia acoplar uma gaiola de pássaros (34 x 22 x 26 cm). Todas as sessões se iniciavam pela colocação de um rato no centro do campo aberto e da gravação de seu comportamento por 10 minutos (exceto quando mencionado diferente) por uma câmara de vídeo. Para o registro, o piso do campo aberto na tela da TV foi dividido em 36 quadrados de 20 cm. Para cada quadrado, foram registradas a frequência e a duração dos seguintes comportamentos: (1) entradas e tempo gasto nos quadrados do campo aberto (compondo as áreas: quadrado da gaiola, cantos, periferia e centro), (2) frequência e tempo gasto farejando, limpando-se, levantando-se, esticando-se, e roendo a grade da gaiola. Esse procedimento foi aplicado a sete experimentos: (1) comparação com outro teste da literatura (File e Hyde, 1978, registrado segundo os autores), no qual o comportamento social dos dois animais se confunde, (2) comparação do comportamento social de machos e famas no campo aberto sem gaiola, com a gaiola vazia e ocupada por um co-específico, (3) habituação ao aparato antes do teste com o co-específico, (4) estabilidade das medidas registradas em sessões repetidas, (5) efeito da iluminação, (6) efeito de tratamento com clordiazepóxido, e (7) efeito da duração da sessão. Os resultados do primeiro experimento indicaram que o teste da literatura correlacionou-se muitopouco com suas próprias medidas e com as medidas do teste proposto, enquanto o teste proposto mostrou um grande numero de correlação entre si. O principal achado foi o de que os animais testados com a presença do co-específico na gaiola alocaram uma maior quantidade de tempo e executaram mais comportamentos na área da gaiola. O segundo experimento mostrou que a ocupação da área da gaiola depende da presença do co-específico, sendo menor (e menos frequentes os comportamentos) quando a gaiola estava vazia e menor ainda quando não havia gaiola. O terceiro experimento mostrou que a pré-exposição ao campo aberto com a gaiola vazia não alterou o tempo gasto na área defronte à gaiola em comparação com uma segunda sessão com o co-específico presente. O quarto experimento mostrou que submeter os ratos a cinco sessões sucessivas também não alterou o comportamento social dirigido ao co-específico. O quinto experimento mostrou que ratos testados no claro ou no escuro interagem com o co-específico de modo semelhante. O sexto experimento apresenta dados mostrando que o comportamento social aumentou com a administração de 3,0 e 5,6 mg/Kg de clordiazepóxido. Finalmente, o sétimo experimento mostrou que o comportamento social se altera muito pouco quando se compara o comportamento de ratos em sessões com 10 ou com 30 minutos de duração. De um modo geral, os dados demonstraram que o modelo proposto permite o estudo de duplas de ratos com foco no registro individual de um rato-alvo, sem que seja demasiadamente influenciado pelo co-específico, é estável em sucessivas sessões ou sessões com durações diferentes, é sensível a presença do co-específico, do sexo do animal-alvo e sensível a um tratamento farmacológico. Uma característica importante é que, ao contrário da literatura (File e Hyde, 1978) não é necessário isolar o(s) animal (is)
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 04.12.2014
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      BONUTI, Rafael Carvalho; CARVALHO, Silvio Morato de. Um estudo do comportamento social de duplas de ratos. 2014.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2014. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/59/59134/tde-14012015-111252/ >.
    • APA

      Bonuti, R. C., & Carvalho, S. M. de. (2014). Um estudo do comportamento social de duplas de ratos. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/59/59134/tde-14012015-111252/
    • NLM

      Bonuti RC, Carvalho SM de. Um estudo do comportamento social de duplas de ratos [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/59/59134/tde-14012015-111252/
    • Vancouver

      Bonuti RC, Carvalho SM de. Um estudo do comportamento social de duplas de ratos [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/59/59134/tde-14012015-111252/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021