Exportar registro bibliográfico

POLO-LIKE QUINASES EM MEDULOBLASTOMA: avaliação da expressão dos genes PLKs e efeitos in vitro da inibição farmacológica da PLK1 (2014)

  • Authors:
  • Autor USP: PEZUK, JULIA ALEJANDRA - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RGE
  • Subjects: MEDULOBLASTOMA; EXPRESSÃO GÊNICA
  • Language: Português
  • Abstract: Meduloblastoma (MB) é o tumor do sistema nervoso central (SNC) mais comum encontrado em crianças, com uma taxa de sobrevida superior a 50%. O tratamento padrão inclui cirurgia, quimioterapia e dependendo da idade do paciente, radioterapia, entretanto os pacientes frequentemente apresentam efeitos adversos de médio e longo prazo. Portanto, a procura de novos alvos terapêuticos ainda é necessária nessa doença. As Polo-Like quinases (PLK1-5) são proteínas do tipo quinases serina/treonina que desempenham papéis fundamentais no controle do ciclo celular. A PLKI encontra-se hiperexpressa em diferentes tipos de neoplasias, estando correlacionada com o prognóstico e o grau de malignidade em alguns tumores. Recentemente alguns trabalhos tem demonstrados que alterações na expressão de alguns microRNAs em células cancerosas também estão relacionadas a expressão das PLKs. Deste modo, os objetivos deste trabalho foram avaliar a expressão das PLKs e dos miR-100, miR-126, miR-219-Sp e miR-593*; estudar os efeitos da inibição da PLK1 através dos agentes químicos BI 2536, BI 6727, GSK461364 e GW843682X, e determinar os efeitos combinatórios desses quatro inibidores de PLK1 com rádio- e quimioterapia nas células de MB. Neste estudo foram utilizadas as linhagens UW402, UW473, DAOY e ONS-76, uma cultura primária e 30 amostras de pacientes com MB. A expressão gênica foi determinada por qRT-PCR. Foram realizados testes de viabilidade e proliferação celular, apoptose, capacidade clonogênica, invasão, adesão, ciclo celular e radiossensibilização após tratamento com os quatro inibidores de PLK1. Os efeitos da combinação dos inibidores de PLK1 com quimioterápicos Cisplatina, Etoposide e Temozolomida foram avaliados através do ensaio de proliferação celular. A expressão das PLKs e dos microRNAs foram encontradas alteradas tanto nas amostras quanto nas linhagens de MB quando comparada com aexpressão no cerebelo normal comercial, porém nenhuma correlação entre eles foi observada. Em todos os casos a PLKI teve sua expressão gênica aumentada. As quatro drogas mostraram-se efetivas na inibição da proliferação celular, diminuindo a viabilidade celular e reduzindo a capacidade clonogênica. A inibição da PLK1 causou parada em G2/M com um consequente aumento na taxa de apoptose. As quatro drogas causaram sensibilizarão a radioterapia, porém não à quimioterapia. Uma diminuição significativa na invasão e na adesão celular também foi demonstrada após a inibição da PLK1. Estes resultados apontam a PLK1 como potencial alvo terapêutico para o tratamento de MB
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 29.07.2014

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      PEZUK, Julia Alejandra; TONE, Luiz Gonzaga; ANNICHINI, María Sol Brassesco. POLO-LIKE QUINASES EM MEDULOBLASTOMA: avaliação da expressão dos genes PLKs e efeitos in vitro da inibição farmacológica da PLK1. 2014.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2014.
    • APA

      Pezuk, J. A., Tone, L. G., & Annichini, M. S. B. (2014). POLO-LIKE QUINASES EM MEDULOBLASTOMA: avaliação da expressão dos genes PLKs e efeitos in vitro da inibição farmacológica da PLK1. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Pezuk JA, Tone LG, Annichini MSB. POLO-LIKE QUINASES EM MEDULOBLASTOMA: avaliação da expressão dos genes PLKs e efeitos in vitro da inibição farmacológica da PLK1. 2014 ;
    • Vancouver

      Pezuk JA, Tone LG, Annichini MSB. POLO-LIKE QUINASES EM MEDULOBLASTOMA: avaliação da expressão dos genes PLKs e efeitos in vitro da inibição farmacológica da PLK1. 2014 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021