Exportar registro bibliográfico

Formation and evolution of globular clusters in the galaxy and magellanic clouds (2014)

  • Authors:
  • Autor USP: DIAS, BRUNO MOREIRA DE SOUZA - IAG
  • Unidade: IAG
  • Sigla do Departamento: AGA
  • Subjects: CINEMÁTICA; FORMAÇÃO E EVOLUÇÃO DA GALÁXIA; NUVENS DE MAGALHÃES
  • Language: Português
  • Abstract: Aglomerados globulares são traçadores da formação e evolução de suas galáxias. Cinemática, abundâncias químicas, idades e posições dos aglomerados permitem traçar interações entre Via Láctea e galáxias vizinhas e suas histórias de enriquecimento químico. Nesta tese analisamos espectros de média resolução de mais de 800 estrelas gigantes vermelhas em 51 aglomerados globulares Galácticos. É a primeira vez que [Fe/H] and [Mg/Fe] determinados de modo consistente são publicados para uma amostra desse porte, ~1/3 dos objetos catalogados. Nossas metalicidades são mais precisas que trabalhos anteriores similares. Uma quebra em [Fe/H] ~ -1.0 é encontrada no gráfico [Fe/H] vs. [Mg/Fe] para o bojo e halo, embora bojo parece ter uma quebra em [Fe/H] maior, i.e, bojo tem formaçãao mais eficiente que o halo. Comparando abundâncias com idade, a escala de tempo para SNIa ficar importante é 1Gano. [Fe/H] vs. idade corrobora diferentes eficiências de formação do bojo e halo, mas [Mg/Fe] vs. idade não mostra isso. O halo foi formado em mini halos ou galáxias anãs, e dois aglomerados com dispersão em [Fe/H] tiveram suas origens analisadas. M 22 parece ter sido formado na Via Láctea e NGC 5824 possivelmente foi originado em uma galáxia anã, embora os resultados são inconclusivos para NGC 5824. O bojo parece ter sido formado rapidamente e deve possuir o aglomerado mais velho. De fato, HP 1 tem um ramo horizontal mais azul que o esperado para sua metalicidade e vemos isso como um efeito da idade. Determinamos sua distância usando curvas de luz de RR Lyrae de maneira a restringir futuras determinações de idade via diagrama cor-magnitude. Finalmente, investigamos a interação entre Via Láctea e sua galáxia vizinha SMC. Encontramos aglomerados sendo removidos do corpo central da SMC, consistente com cenário de remoção por força de maré para a interação entre as galáxias, em vez de "ram pressure" que afeta só gás.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 25.06.2014

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      DIAS, Bruno Moreira de Souza; BARBUY, Beatriz Leonor Silveira. Formation and evolution of globular clusters in the galaxy and magellanic clouds. 2014.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014.
    • APA

      Dias, B. M. de S., & Barbuy, B. L. S. (2014). Formation and evolution of globular clusters in the galaxy and magellanic clouds. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Dias BM de S, Barbuy BLS. Formation and evolution of globular clusters in the galaxy and magellanic clouds. 2014 ;
    • Vancouver

      Dias BM de S, Barbuy BLS. Formation and evolution of globular clusters in the galaxy and magellanic clouds. 2014 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021