Exportar registro bibliográfico

Clonagem, expressão e propriedades funcionais de uma xiloglucanase de Aspergillus terreus em Aspergillus nidulans (2014)

  • Authors:
  • Autor USP: VITCOSQUE, GABRIELA LEAL - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RBI
  • Subjects: ASPERGILLUS; ENZIMAS; FUNGOS; EXPRESSÃO GÊNICA; FERMENTAÇÃO; REATORES BIOQUÍMICOS
  • Language: Português
  • Abstract: Os fungos filamentosos são atrativos hospedeiros para a expressão heteróloga de proteínas devido a sua habilidade em secretar grandes quantidades de enzimas para o meio extracelular, onde podem ser facilmente purificadas. As xiloglucanases, nova classe de celulases que hidrolisam especificamente xiloglucano (ligações glicose ß-1,4), tem sido recentemente aplicadas na degradação e conversão da biomassa lignocelulósica e em muitos outros processos industriais. Neste contexto, os objetivos deste trabalho foram a clonagem, expressão e determinação das propriedades funcionais de uma xiloglucanase recombinante de Aspergillus terreus, expressa em Aspergillus nidulans, assim como a fermentação em estado sólido (FES) e submersa (FS) em biorreatores com o fungo transformante. O gene da xiloglucanase foi amplificado e clonado em Escherichia coli e posteriormente transformado no fungo A. nidulans utilizando o vetor de integração pEXPYR. A xiloglucanase recombinante (XEG3) foi purificada por resina de troca iônica DEAE-celulose e apresentou pH e temperatura ótima de 5,5 e 65°C, respectivamente, e 90% da atividade apos 24 horas de incubação a 50°C. A atividade xiloglucanásica aumentou na presença de ß-mercaptoetanol (65%) e “Zn POT. +2” (45%), enquanto que os íons “Cu POT. +2” e “Ag POt. +” diminuíram drasticamente a atividade. A enzima exibiu alta especificidade por xiloglucano de tamarindo (“K IND. 0,5” 1,2 mg/mL), “V IND. max” de 17,4 µmol.“min POT. -1”.“mg POT. -1” de proteína e comportamento alostérico (n > 1). A eletroforese capilar dos produtos de hidrolise revelou que XEG3 é uma endo-xiloglucanase, hidrolisando a cadeia principal do xiloglucano apenas em glicoses não-substituídas. A produção da xiloglucanase heteróloga pelo A. nidulans (0,82 UI/mL) foi três vezes maior que a produção da enzima pelo selvagem A. terreus (0,27 UI/mL) cultivado com bagaçode cana explodido como fonte de carbono. A maior atividade xiloglucanásica obtida por FES (3,15 UI/mL) foi cerca de seis vezes maior que a máxima atividade encontrada por FS (0,45 UI/mL), dados até então não reportados na literatura, demonstrando a relevância científica deste trabalho
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 27.06.2014

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      VITCOSQUE, Gabriela Leal; POLIZELI, Maria de Lourdes Teixeira de Moraes. Clonagem, expressão e propriedades funcionais de uma xiloglucanase de Aspergillus terreus em Aspergillus nidulans. 2014.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2014.
    • APA

      Vitcosque, G. L., & Polizeli, M. de L. T. de M. (2014). Clonagem, expressão e propriedades funcionais de uma xiloglucanase de Aspergillus terreus em Aspergillus nidulans. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Vitcosque GL, Polizeli M de LT de M. Clonagem, expressão e propriedades funcionais de uma xiloglucanase de Aspergillus terreus em Aspergillus nidulans. 2014 ;
    • Vancouver

      Vitcosque GL, Polizeli M de LT de M. Clonagem, expressão e propriedades funcionais de uma xiloglucanase de Aspergillus terreus em Aspergillus nidulans. 2014 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021