Exportar registro bibliográfico

Fototransdução em células embrionárias ZEM-2S do peixe teleósteo Danio rerio (2014)

  • Authors:
  • Autor USP: RAMOS, BRUNO CESAR RIBEIRO - IB
  • Unidade: IB
  • Sigla do Departamento: BIF
  • Subjects: RITMOS BIOLÓGICOS; SINCRONIZAÇÃO; IMUNOHISTOQUÍMICA; EXPRESSÃO GÊNICA; PEIXES; FOTOPERIODISMO; MELATONINA
  • Keywords: Danio rerio; Dario rerio; Fototransdução; Melanopsin; Melanopsina; Phototransduction
  • Language: Português
  • Abstract: A melanopsina foi descoberta em 1998 por Ignacio Provencio e colaboradores em melanóforos de Xenopus leavis. Desde sua descoberta, esse fotopigmento surgiu como um possível candidato a intermediar os fenômenos de sincronização nos vertebrados. Nos mamíferos, a melanopsina é encontrada num pequeno subgrupo de células ganglionares da retina, conhecido como células ganglionares retinianas intrinsecamente fotossensíveis (ipRGCs) e o seu papel como fotopigmento responsável pela percepção luminosa, que leva à sincronização das espécies dessa classe aos ciclos de claro e escuro, já foi estabelecido. A melanopsina está presente na retina de todas as classes de vertebrados estudadas até o momento, mas, em contraposição a essa afirmação, a sua estrutura tem maior semelhança com opsina de invertebrados do que com opsina de vertebrados, sugerindo que sua fototransdução ocorra através da via dos fosfoinositídeos. Essa hipótese foi confirmada por diversos trabalhos na literatura e estudos posteriores demonstraram que, em vertebrados não mamíferos, a melanopsina é codificada por dois genes: um ortólogo ao de mamíferos, Opn4m, e um ortólogo ao de X. leavis, Opn4x, levantando diversas questões a respeito da funcionalidade dessa opsina. Nosso grupo vem estudando esse fotopigmento nos tecidos periféricos de vertebrados desde 2001, sendo que foi pioneiro em demonstrar, em melanóforos de Xenopus laevis, que a dispersão dos grânulos de melanina se dá através da fotoativação da melanopsina quedesencadeia a cascata de fosfoinositídeos. E estudos mais recentes vêm colocando a melanopsina como um dos possíveis fotopigmentos responsáveis pela sincronização de relógios periféricos em organismos como peixes e anfíbios. Nesse sentido, a linhagem de células ZEM-2S do peixe teleósteo Danio rerio é um ótimo modelo para o estudo das vias de fototransdução em relógios periféricos. Já foi demonstrado que essa linhagem de células é responsiva a estímulos luminosos, exibindo uma proliferação diferencial frente a diferentes regimes de claro e escuro, e ativando a expressão de genes de relógio como clock, per1 e cry1b, que conhecidamente são responsáveis por sincronizar os ritmos biológicos ao fotoperíodo ambiental. Nossos experimentos de imunocitoquímica detectaram a presença das duas proteínas codificadas pelos genes opn4m-1 e opn4m-2 da melanopsina, e mostraram uma significativa diferença na distribuição das proteínas Opn4m-1 e Opn4m-2. Análises de PCR quantitativo mostraram que um pulso de luz azul de 10 min é capaz de alterar a expressão dos genes de relógio per1b, per2, cry1a e cry1b, e que essa alteração ocorre através da via dos fosfoinositídeos em células embrionárias ZEM-2S de Danio rerio. Em adição mostramos que para promover a alteração dos genes de relógio, a via dos fosfoinositídeos interage com outras vias de sinalização como a via do óxido nítrico (NO) e a via das proteína quinases ativadas por mitógenos (MAPKs). Esses dados sugerem que a melanopsina seja um dosprincipais candidatos a intermediar os processos de sincronização nessas células, pois a somatória dos resultados de detecção da melanopsina, estimulação dentro de seu espectro de absorção e ativação da via dos fosfoinositídeos, a coloca a frente de outras opsinas como vertebrate ancient opsin (Va-opsin) e teleost multiple tissue opsin (Tmt-opsin) e de outros candidatos como Crys fotossensíveis e mecanismos de estresse oxidativo. No curso deste trabalho também conseguimos definir metodologias eficientes de transfecção de RNA de interferência e de DNA plasmidial em células ZEM-2S de D. rerio, que são ferramentas fundamentais nos estudos de expressão gênica nesse modelo
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 15.09.2014
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      RAMOS, Bruno Cesar Ribeiro; CASTRUCCI, Ana Maria de Lauro. Fototransdução em células embrionárias ZEM-2S do peixe teleósteo Danio rerio. 2014.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41135/tde-16012015-151748/ >.
    • APA

      Ramos, B. C. R., & Castrucci, A. M. de L. (2014). Fototransdução em células embrionárias ZEM-2S do peixe teleósteo Danio rerio. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41135/tde-16012015-151748/
    • NLM

      Ramos BCR, Castrucci AM de L. Fototransdução em células embrionárias ZEM-2S do peixe teleósteo Danio rerio [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41135/tde-16012015-151748/
    • Vancouver

      Ramos BCR, Castrucci AM de L. Fototransdução em células embrionárias ZEM-2S do peixe teleósteo Danio rerio [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41135/tde-16012015-151748/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021