Exportar registro bibliográfico

A saúde reprodutiva de mulheres portadoras e ex-portadoras de hanseníase em uma capital do Nordeste - Brasil (2014)

  • Authors:
  • Autor USP: TAVARES, CLODIS MARIA - INTER - ENFERMA
  • Unidade: INTER - ENFERMA
  • Sigla do Departamento: ERM
  • Subjects: HANSENÍASE; EPIDEMIOLOGIA; ANTICONCEPÇÃO; SAÚDE DA MULHER; GRAVIDEZ
  • Language: Português
  • Abstract: A detecção de casos novos de hanseníase permanece elevada no mundo, no Brasil e em Alagoas. Trata-se de uma importante morbidade que leva a incapacidades físicas, preconceito e estigma. A ênfase dada a saúde reprodutiva de mulheres portadoras e ex-portadoras de hanseníase deve-se ao fato de a gestação induzir recidivas, exacerbar lesões pre-existentes e aumentar a evolução da forma indeterminada para outras formas clinicas, o que exige um acompanhamento para uma pratica anticonceptiva segura. O objetivo geral foi conhecer a situação da saúde reprodutiva das mulheres portadoras e ex-portadoras de hanseníase na rede de atenção básica do município de Maceió. Trata-se de um estudo descritivo de corte transversal com abordagem quantitativa. O estudo foi realizado em 14 Unidades Básicas de Saúde (UBS) dos 07 Distritos Sanitários do município de Maceió/Alagoas. A população foi constituída por 60 mulheres. Os dados nos revelam que a maioria das mulheres se encontrava na faixa etária de 30 a 49 anos (75%), tinham companheiro (70%), eram analfabetas ou com o ensino fundamental incompleto (53,3%). Em relação a ocupação, 45% eram do lar e 55% desempenhavam outras ocupações remuneradas. Essas mulheres coabitavam com uma a três pessoas (36,7%) ou com seis a quatorze pessoas (28,3%). Quanto a religião, 61,7% eram católicas. A maioria buscou detecção por demanda espontânea (30,0%). Quanto a forma clinica, 30,0% era Dimorfa, 20% Tuberculóide, 15% Indeterminada, 10% Virchowiana e 25,0% formas clinicas não classificadas. Eram multibacilares 56,7%. Quanto as reações hansênicas, 16,7% informaram tê-las antes do diagnostico, 28,3% durante o tratamento e 21,7% no pos-tratamento; 8,3% das reações eram do tipo I e 66,7%, do tipo II. Das mulheres, 5% estavam gravidas no diagnostico, 1,7% no período puerperal e 1,7% amamentando. Em relação a historia reprodutiva, 63,3% engravidou de uma atrês vezes e 26,6% de quatro a dez vezes e 75% tiveram de um a três partos. Três mulheres estavam gravidas no momento do diagnostico. Conheciam métodos contraceptivos, como condom masculino (98,3%), pílula (88,3%), laqueadura túbaria (86,7%) e outros; os utilizavam, em maior índice, pílula (73,3%), condom masculino (70,0%), laqueadura tubaria (53,3%) e outros. Quanto ao conhecimento dos métodos anticoncepcionais e características sociodemográficas, os maiores percentuais foram: condom masculino (100%), pílula (87,8%), laqueadura tubaria (85,7%), injeção (75,6%), tabela (71,4%), DIU (64,3%). Realizando uma analise inferencial os dados denotam relação significativa com associação entre temperatura e ocupação, aleitamento materno e numero de pessoas na família, pílula e numero de pessoas, injeção e escolaridade, injeção e ocupação, diafragma e numero de pessoas, espermicida e numero de pessoas, vasectomia e se estudava, com p>0,05. Médicos e enfermeiros contribuíram mais na oferta de informações sobre contraceptivos, meios midiáticos exerceram grande influencia. O principal local de recebimento dos contraceptivos foi a UBS. Concluímos que as mulheres em idade fértil portadoras e ex-portadoras de hanseníase estão sendo pouco aconselhadas para a anticoncepção, tornando-se susceptíveis ao risco de uma gravidez indesejável, levando-as a apresentar reações imunológicas graves
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 10.03.2014
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      TAVARES, Clódis Maria; ALMEIDA, Ana Maria de. A saúde reprodutiva de mulheres portadoras e ex-portadoras de hanseníase em uma capital do Nordeste - Brasil. 2014.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2014. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/83/83131/tde-22052014-182652/ >.
    • APA

      Tavares, C. M., & Almeida, A. M. de. (2014). A saúde reprodutiva de mulheres portadoras e ex-portadoras de hanseníase em uma capital do Nordeste - Brasil. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/83/83131/tde-22052014-182652/
    • NLM

      Tavares CM, Almeida AM de. A saúde reprodutiva de mulheres portadoras e ex-portadoras de hanseníase em uma capital do Nordeste - Brasil [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/83/83131/tde-22052014-182652/
    • Vancouver

      Tavares CM, Almeida AM de. A saúde reprodutiva de mulheres portadoras e ex-portadoras de hanseníase em uma capital do Nordeste - Brasil [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/83/83131/tde-22052014-182652/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021