Exportar registro bibliográfico

Comensalidade intrafamiliar de crianças obesas (2014)

  • Authors:
  • Autor USP: TOLEDO, GISELI CRISTINA GALATI - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RCM
  • Subjects: OBESIDADE; CRIANÇAS; ALIMENTOS (DISPONIBILIDADE); FAMÍLIA
  • Language: Português
  • Abstract: Frente ao cenário de um ambiente social obesogênico, as relações familiares podem desempenhar papel importante no desenvolvimento da obesidade infantil, associadas às questões socioeconômicas, estilo de vida, alimentação e relação da família com o manejo da comida. A comensalidade familiar se expressa pelas relações que se estabelecem em torno da alimentação O entendimento de aspectos facilitadores intrafamiliares da obesidade infantil podem permitir o desenvolvimento de intervenções a nível familiar para a prevenção e tratamento da doença. Dessa forma, o objetivo deste trabalho foi caracterizar a comensalidade de famílias de baixa renda com crianças obesas e comparar com a comensalidade de famílias com crianças eutróficas com as mesmas condições socioeconômicas e demográficas. Trata-se de um estudo transversal, descritivo e analítico, qualitativo e quantitativo baseado na comparação de famílias com crianças obesas (FCO; n=10) e famílias com crianças eutróficas (FCE; n=10). As famílias foram selecionadas por conveniência a partir de diagnóstico médico em prontuário na Estratégia de Saúde da Família III no município de Batatais-SP, local onde recebem assistência básica em saúde. A comensalidade das famílias foi avaliada em visita domiciliar, quando foram coletados dados qualitativos, por meio de entrevista semiestruturada com a responsável pela criança, e quantitativos, pela investigação da disponibilidade de alimentos, utilizando um Inventário de Disponibilidade Domiciliar de Alimentos (IDIA), no qual foi analisada a quantidade de alimentos classificando-os como Minimamente Processados (MP), Ingredientes Culinários (IC) e Processados/Ultraprocessados (P/UP). Dados socioeconômicos e antropométricos (peso e altura) dos familiares também foram avaliados. Foi realizada análise de conteúdo das entrevistas e as seguintes categorias emergirem:a) Aquisição de Alimentos. B) Rotina Alimentar; c) Escolhas Alimentares, e d) Lazer. Os resultados da investigação da comensalidade em relação à disponibilidade de alimentos mostra que não existe diferença significativa entre as FCO e FCE, quando os valores de disponibilidade de alimentos em quantidade (Kg) e energia (Kcal) são ajustados para densidade energética (Kcal/Kg) e energia per capital/dia (Kcal/per capital/dia). O percentual de participação dos IC é maior do que o dos MP em ambos os grupos familiares, mas a análise dos alimentos que compõem tais grupos evidencia que nas FCO o percentual de óleo e açúcar em relação ao total de energia foi maior do que nas FCE. Observou-se também que as FCO apresentaram uma tendência maior de disponibilidade de alimentos P/UP como guloseimas e alimentos prontos para consumo. Os resultados qualitativos superem que os aspectos da comensalidade que talvez possam explicar as diferenças nas famílias como determinantes da obesidade sejam: valorização de alimentos industrializados e prontos para o consumo; comportamento permissivo dos pais sobre as escolhas e preferências alimentares das crianças por alimentos processados e ultraprocessados; ausência de regras na rotina alimentar (local, horário, alimentos) e irregularidade de realização das refeições em família. Pode-se concluir que as diferenças entre as FCO e FCE parecem ser, portanto estabelecidas na organização da rotina alimentar, nas formas de aquisição de alimentos e preparações culinárias, na valorização de alimentos e no comportamento dos pais em relação às escolhas e preferências alimentares das crianças. O tratamento e o controle da obesidade infantil na nossa sociedade exige que mais estudos procurem compreender como os aspectos da dieta e das relações familiares podem estabelecer comportamentos alimentares obesogênicos em classes sociais mais baixas e assimincorporar abordagens de tratamento que envolvam tanto a quantidade e qualidade do que se come, quanto as formas de organização e comportamentos estabelecidos na alimentação familiar
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 11.04.2014

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      TOLEDO, Giseli Cristina Galati; GARCIA, Rosa Wanda Diez. Comensalidade intrafamiliar de crianças obesas. 2014.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2014.
    • APA

      Toledo, G. C. G., & Garcia, R. W. D. (2014). Comensalidade intrafamiliar de crianças obesas. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Toledo GCG, Garcia RWD. Comensalidade intrafamiliar de crianças obesas. 2014 ;
    • Vancouver

      Toledo GCG, Garcia RWD. Comensalidade intrafamiliar de crianças obesas. 2014 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021