Exportar registro bibliográfico

Análise funcional dos genes que codificam as proteínas quinases pkcA e ypkA de Aspergillus nidulans (2014)

  • Authors:
  • Autor USP: COLABARDINI, ANA CRISTINA - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RBI
  • Subjects: ASPERGILLUS (CARACTERÍSTICAS;GENÉTICA); FUNGOS; PROTEÍNAS QUINASES; GENES (ANÁLISE); CÁLCIO
  • Language: Português
  • Abstract: A transdução de sinais é vital para a biologia de todas as células vivas, contribuindo assim para a integração entre os sinais ambientais e as respostas bioquímicas e fisiológicas apropriadas. O sistema de transdução de sinais mais importante nos organismos multicelulares, o sistema heterotrimérico da proteína G, é conservado em todas as células eucarióticas, regulando uma grande variedade de funções celulares. Elementos básicos dessa via de sinalização incluem receptores acoplados à proteína G (GPCRs), proteína G composta pelas subunidades α, ß e γ, reguladores negativos da proteína G (RGSs), e uma variedade de proteínas efetoras. Entre as proteínas efetoras, a proteína quinase C (PKC) é uma das mais importantes, controlando processos como proliferação celular e sobrevivência. Em mamíferos há 10 isoformas de PKCs, sendo que algumas delas estão envolvidas com a ativação da via apoptótica em células que sofreram danos ao DNA. Portanto, falhas nessas enzimas induzem o surgimento de células cancerígenas. Aparentemente, o genoma do fungo filamentoso Aspergillus nidulans, codifica duas PKCs, PkcA e PkcB. A PkcA está envolvida com a construção da parede celular e a produção de penicilina, e PckB não foi investigada anteriormente. Neste trabalho, nós investigamos detalhadamente o papel desempenhado por PkcA de A. nidulans na tolerância ao farnesol (FOH), um isoprenóide capaz de inibir a proliferação celular e induzir a apoptpse. Nós demonstramos que a superexpressão de pkcA durante a exposição ao FOH causa aumento na morte celular, ativação de vários marcadores do estresse no reticulo endoplasmático (RE) e da resposta à a esse estresse (UPR). Assim, nossos resultados sugerem uma intensa relação entre a PkcA e a UPR durante a morte celular induzida por FOH. Além disso, um transportador ABC multidrogas (atrH), que desempenha um papel fundamental na tolerânciaao FOH, foi encontrado e caracterizado neste trabalho. A PkcB é, na realidade, a homóloga de Ypk1p de S. cerevisiae, que regula o balanço de esfingolipídios entre as camadas interna e externa da membrana plasmática; portanto, neste trabalho PkcB passou a ser denominada YpkA. Esta proteína é essencial para a viabilidade de A. nidulans, sendo que sua repressão causa a diminuição do crescimento radial, atraso na germinação dos conídios, deficiência no estabelecimento do eixo de polarização, intensa ramificação durante estágios tardias do crescimento, ausência de esporos e um fenótipo terminal. A polarização dos lipídios de membrana, endocitose, distribuição vacuolar e localização dos eisossomos também foram afetados pela repressão de ypkA, sugerindo que a YpkA desempenha um papel na morfogênese da hifa através da coordenação da distribuição de constituintes de membrana plasmática e parede celular para o seu ápice. Outra via de sinalização importante para os eucariotos envolve a propagação de sinais através de um aumento nos níveis de cálcio (‘Ca POT.2+’) intracelular. Esta via regula a morfogênese celular e o crescimento das hifas e é essencial para eventos como a ramificação e orientação. A deleção de um dos maiores mediadores de sinais via ‘Ca POT.2+’, a fosfatase calcineurina (CnaA), causa severos defeitos fenotípicos em A. nidulans. Neste trabalho, demonstramos que a indução de pkcA é capaz de suprimir esses defeitos provavelmente devido à ativação de um alvo em comum capaz de normalizar os níveis de ‘Ca POT.2+’ citosólico
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 18.02.2014

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      COLABARDINI, Ana Cristina; GOLDMAN, Gustavo Henrique. Análise funcional dos genes que codificam as proteínas quinases pkcA e ypkA de Aspergillus nidulans. 2014.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2014.
    • APA

      Colabardini, A. C., & Goldman, G. H. (2014). Análise funcional dos genes que codificam as proteínas quinases pkcA e ypkA de Aspergillus nidulans. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Colabardini AC, Goldman GH. Análise funcional dos genes que codificam as proteínas quinases pkcA e ypkA de Aspergillus nidulans. 2014 ;
    • Vancouver

      Colabardini AC, Goldman GH. Análise funcional dos genes que codificam as proteínas quinases pkcA e ypkA de Aspergillus nidulans. 2014 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021