Exportar registro bibliográfico

Influência das consoantes de alta e baixa pressão intraoral sobre a nasalidade e nasalância da fala (2014)

  • Authors:
  • Autor USP: FERLIN, FLAVIA - HRACF
  • Unidade: HRACF
  • Subjects: FISSURA LÁBIOPALATINA; INSUFICIÊNCIA VELOFARÍNGEA; CONSOANTES
  • Language: Português
  • Abstract: Objetivo: Determinar o estímulo de fala que melhor identifique a hipernasalidade, comparando-se a nasalidade e a nasalância da fala em estímulos de alta e baixa pressão intraoral em indivíduos com fissura labiopalatina. Material e Método: Foram avaliados 44 indivíduos com fissura de palato±lábio previamente reparada, ambos os sexos e idades entre 6 e 59 anos, regularmente matriculados na instituição. Os participantes foram submetidos à nasometria e à gravação de fala em sistema de áudio, simultaneamente. As amostras de fala foram compostas por dois conjuntos de cinco sentenças, sendo um com predomínio de consoantes de alta pressão intraoral (AP) e outro, composto exclusivamente por consoantes de baixa pressão intraoral (BP). A nasalância, expressa em porcentagem, foi determinada para as amostras AP e BP. Três examinadores experientes classificaram as amostras AP e BP quanto ao aspecto da nasalidade, de acordo com uma escala de 4 pontos (1=hipernasalidade ausente, 2=hipernasalidade leve, 3=hipernasalidade moderada, 4=hipernasalidade grave). A significância entre os escores de nasalância AP e BP foi verificada por meio do teste t pareado e entre o grau de nasalidade, o teste de Wilcoxon, adotando-se o nível de significância de 5%. A concordância intra e interexaminadores foi determinada pelo coeficiente de Kappa e suas proporções para as amostras AP e BP interexaminadores foram comparadas por meio do Teste Z. Adicionalmente, a correlação entre os dois métodos foi verificada pelo coeficiente de correlação de Spearman. Resultados: Os escores de nasalância médios±DP obtidos para as amostras AP e BP foram, respectivamente, 31±15% e 31±12%, não havendo diferença significante entre as duas amostras (p=1,0). A concordância interexaminadores foi maior para as amostras AP. (Continua)(Continuação) . A diferença da nasalidade média entre as duas amostras mostrou-se significante (p=0,05). A correlação entre os escores de nasalância e hipernasalidade mostrou-se forte para a amostra AP e substancial para a amostra BP. Conclusão: A amostra de fala com consoantes de alta pressão intraoral mostrou-se mais eficiente na identificação da hipernasalidade, uma vez que proporcionou maior concordância entre os examinadores na análise perceptiva da nasalidade, apresentou resultados de forte correlação entre os dois métodos de avaliação utilizados e permitiu o diagnóstico da hipernasalidade em maior número de indivíduos
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 27.06.2014
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      FERLIN, Flávia; FUKUSHIRO, Ana Paula. Influência das consoantes de alta e baixa pressão intraoral sobre a nasalidade e nasalância da fala. 2014.Universidade de São Paulo, Bauru, 2014. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/61/61132/tde-03112014-094626/pt-br.php >.
    • APA

      Ferlin, F., & Fukushiro, A. P. (2014). Influência das consoantes de alta e baixa pressão intraoral sobre a nasalidade e nasalância da fala. Universidade de São Paulo, Bauru. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/61/61132/tde-03112014-094626/pt-br.php
    • NLM

      Ferlin F, Fukushiro AP. Influência das consoantes de alta e baixa pressão intraoral sobre a nasalidade e nasalância da fala [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/61/61132/tde-03112014-094626/pt-br.php
    • Vancouver

      Ferlin F, Fukushiro AP. Influência das consoantes de alta e baixa pressão intraoral sobre a nasalidade e nasalância da fala [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/61/61132/tde-03112014-094626/pt-br.php

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021