Exportar registro bibliográfico

Institutions, inequality, and long-term development: a perspective from Brazilian regions (2014)

  • Authors:
  • Autor USP: FUNARI, PEDRO PAULO PEREIRA - FEA
  • Unidade: FEA
  • Sigla do Departamento: EAE
  • Subjects: INSTITUIÇÕES; DESIGUALDADES
  • Keywords: Desenvolvimento; Development; Inequality; Institutions
  • Language: Inglês
  • Abstract: Este estudo apresenta novas evidências sobre a relação entre desigualdade e desenvolvimento de longo prazo a partir de dados de diferentes regiões brasileiras. A análise é realizada a partir de uma original estratégia de identificação: trabalhamos dentro de um ambiente institucional de jure constante - o Brasil - permitindo possíveis efeitos heterogêneos a partir de ambientes institucionais de facto (estados brasileiros) diferentes, resultantes de diferentes experiências coloniais. Novos indicadores de desigualdade são construídos a partir de dados primários para os municípios brasileiros em 1920 (usamos o Censo de 1920, que não foi sistematicamente utilizado para tais propósitos): o índice de Gini da distribuição de terras (entre donos de terras e considerando toda a população) e a porcentagem de potenciais eleitores. Primeiro, não encontramos uma relação significativa entre a desigualdade da distribuição de terras e a relativa concentração política para os municípios considerados no início do século XX. Segundo, e, de certo modo, surpreendente, encontramos, através de exercícios econométricos, relações entre desigualdade e desenvolvimento no longo-prazo particulares para cada conjunto de observações: (i) uma relação positiva entre desigualdade da distribuição de terras e desenvolvimento para os estados da região Sudeste, São Paulo (o centro da produção cafeeira nos séculos XIX e XX que recebeu um forte fluxo de imigrantes e que se tornou o estado brasileiro mais dinâmico)e Minas Gerais (estado particularmente influenciado pelo ciclo do ouro, moldado também pela atividade de criação e produção de café); (ii) uma ausência de relação significativa entre os indicadores de desigualdade no início do século XX e desenvolvimento contemporâneo para o estado de Pernambuco (estado da região Nordeste, representativo da antiga estrutura colonial de produção de açúcar); e (iii) uma relação negativa entre desigualdade e desenvolvimento para o Rio Grande do Sul (estado da região Sul, com colonização mais associada a países da América do Norte). Terceiro, não encontramos uma relação estatisticamente robusta entre nosso indicador de concentração política e desenvolvimento no longo-prazo. O que seria um resultado possivelmente contra-intuitivo à luz da literatura internacional, é provavelmente consistente com um sistema político capturado e níveis bastante baixos de acesso ao voto. Os resultados acima são mantidos mesmo após controlarmos para proxies de mudanças estruturais ocorridas no período, entre elas: urbanização, industrialização e imigração. Além desses resultados, apresentamos evidência de que a desigualdade da distribuição da terra em 1920 é, no máximo, fracamente relacionada à desigualdade contemporânea para Minas Gerais e São Paulo, enquanto é significante para o Rio Grande do Sul e Pernambuco. Em outras palavras, nossas evidências sugerem que os efeitos positivos da desigualdade no início do século estão associados a uma particular organizaçãoem um período histórico específico, em contraste com uma desigualdade mais estrutural, exemplificada pelos casos de Pernambuco e Rio Grande do Sul, no qual os efeitos da desigualdade são negativos ou insignificantes no desenvolvimento de longo prazo. Finalmente, não encontramos uma relação estatisticamente robusta entre o índice de Gini da distribuição de terras considerando toda a população e o desenvolvimento das regiões consideradas. Estes resultados ressaltam a importância do estudo de elementos históricos no seu respectivo contexto, uma vez que são consistentes com um Brasil rural dominado por elites agrárias em um complexo ambiente institucional
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 19.09.2014
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      FUNARI, Pedro Paulo Pereira; COLISTETE, Renato Perim. Institutions, inequality, and long-term development: a perspective from Brazilian regions. 2014.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12138/tde-29092014-175025/ >.
    • APA

      Funari, P. P. P., & Colistete, R. P. (2014). Institutions, inequality, and long-term development: a perspective from Brazilian regions. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12138/tde-29092014-175025/
    • NLM

      Funari PPP, Colistete RP. Institutions, inequality, and long-term development: a perspective from Brazilian regions [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12138/tde-29092014-175025/
    • Vancouver

      Funari PPP, Colistete RP. Institutions, inequality, and long-term development: a perspective from Brazilian regions [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12138/tde-29092014-175025/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021