Exportar registro bibliográfico

Evolução térmica e paleofluídos dos folhelhos da Formação Serra Alta na borda leste da Bacia do Paraná (2014)

  • Authors:
  • Autor USP: TEIXEIRA, CARLOS ALBERTO SIRAGUSA - IGC
  • Unidade: IGC
  • Sigla do Departamento: GSA
  • Subjects: INCLUSÃO FLUÍDA; MAGMATISMO; GEOTERMOBAROMETRIA; FORMAÇÕES GEOLÓGICAS
  • Keywords: Evolução térmica; Fluid inclusions; Paleofluidos; Paleofluids; Thermal evolution
  • Language: Português
  • Abstract: A Formação Serra Alta é constituída por uma sequência de folhelhos e siltitos cinza supostamente de origem marinha. Esta unidade é uma potencial rocha geradora de hidrocarbonetos e zona preferencial para alojamento de sills associados ao magmatismo Serra Geral. Visando a caracterização do potencial gerador de hidrocarbonetos, a evolução térmica e os paleofluidos diagenéticos da Formação Serra Alta, foram realizadas medidas de concentração de carbono orgânico total (COT) e hidrogênio (H) em amostras coletadas em afloramentos e estudos isotópicos e de inclusões fluidas em materiais diagenéticos. Os teores de carbono orgânico total (COT) e hidrogênio (H) para as amostras de folhelhos da Formação Serra Alta estão situados entre 0,1 e 0,5% e entre 0,24 e 3,20%, respectivamente. Os dados microtermométricos apresentaram temperaturas de homogeneização (Th) que variaram de 55 a 220°C, temperaturas eutéticas (Te) de -57,5 a -49,5ºC (sistema H2O + NaCl + CaCl2) e temperaturas de fusão do gelo (Tfg) de -2,5 a 1,0°C, indicativas de salinidades baixas, entre 0 e 4,2% em peso de NaCl equivalente. Os resultados de ''delta''POT.13''C IND.PDB' e delta''POT.18' 'O IND.PDB' das amostras de veio e cimento de calcita demonstram valores negativos (%o), tanto para 'delta''POT.13'C quanto para 'delta''POT.18'O. Enquanto os valores de 'delta''POT.13''C IND.PDB' do cimento dos folhelhos da Formação Serra Alta variam entre -8,6 e -2,3%o,os veios de calcita apresentam uma estreita faixa de valores entre -5,1 e -3,7%o. Os teores de COT indicam potencial de geração de óleo e gás considerado baixo para os folhelhos da Formação Serra Alta. As características das inclusões (monofásicas associadas a bifásicas com pequena variação nas proporções volumétricas entre as fases), as salinidades relativamente constantes associadas às grandes variações em Th são indicativos de aprisionamento em zona freática de baixa temperatura (<50°C) com posterior reequilíbrio térmico causado por stretching devido ao soterramento e à presença de corpos ígneos. Os pleofluidos aquosos aprisionados como inclusões em zona de baixa temperatura, antes do pico térmico do Cretáceo, explicariam a ausência de inclusões fluidas primárias de hidrocarbonetos nos veios de calcita. As Th acima de 150ºC indicam elevada maturidade térmica alcançada pela Formação Serra Alta em função do soterramento e do magmatismo Serra Geral. Estes resultados são semelhantes aos obtidos para as formações adjacentes (Irati e Teresina) à Formação Serra Alta. Valores de 'delta''POT.13''C IND.PDB' e 'delta''POT.18''O IND.PDB' para o cimento carbonático dos folhelhos, revelam duas gerações ou duas fases de precipitação distintas da calcita. A primeira geração compatível com assinatura isotópica próxima ao fluido marinho original ('delta''POT.13' C entre -2,3 e -4,6%o e 'delta''POT.18'O entre -7,6 e 1,4%o) e a segunda geração compatível com assinatura isotópica de um fluido diagenético de origem meteórica ('delta''POT.13' C entre -6,2 e -8,6%o e 'delta''POT.18'O entre -8,4 e -4,1%o). Assim, a hipótese de origem meteórica para os fluidos percolantes nas fraturas corrobora a salinidade baixa registrada nas inclusões fluidas dos veios de calcita, mas com alguma influência ou modificação por meio de fluidos pré-existentes, que interagiram com carbonatos
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 23.05.2014
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      TEIXEIRA, Carlos Alberto Siragusa; SAWAKUCHI, André Oliveira. Evolução térmica e paleofluídos dos folhelhos da Formação Serra Alta na borda leste da Bacia do Paraná. 2014.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44141/tde-26092014-101814/ >.
    • APA

      Teixeira, C. A. S., & Sawakuchi, A. O. (2014). Evolução térmica e paleofluídos dos folhelhos da Formação Serra Alta na borda leste da Bacia do Paraná. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44141/tde-26092014-101814/
    • NLM

      Teixeira CAS, Sawakuchi AO. Evolução térmica e paleofluídos dos folhelhos da Formação Serra Alta na borda leste da Bacia do Paraná [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44141/tde-26092014-101814/
    • Vancouver

      Teixeira CAS, Sawakuchi AO. Evolução térmica e paleofluídos dos folhelhos da Formação Serra Alta na borda leste da Bacia do Paraná [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44141/tde-26092014-101814/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021