Exportar registro bibliográfico

Ultrassom portátil de bexiga: evidências científicas e autoconfiança do enfermeiro (2014)

  • Authors:
  • Autor USP: JORGE, BEATRIZ MARIA - EERP
  • Unidade: EERP
  • Sigla do Departamento: ERG
  • Subjects: ENFERMAGEM; RETENÇÃO (URINA;ULTRASSONOGRAFIA)
  • Keywords: Nursing; Retenção Urinária; Ultrasonics; Ultrassom; Urinary Retention
  • Language: Português
  • Abstract: A assistência de enfermagem na retenção urinária (RU) incorre na importância da avaliação clínica do enfermeiro. O ultrassom portátil de bexiga (US) é um método não-invasivo que permite diagnosticar o problema, avaliar o volume de urina na bexiga, e decidir ou não, pela realização do cateterismo urinário. Este estudo teve como objetivo avaliar o impacto do uso do ultrassom portátil de bexiga na autoconfiança do enfermeiro durante a avaliação do paciente em retenção urinária. Estudo realizado em duas etapas. Etapa 1- Revisão integrativa da literatura realizada nas bases de dados CINAHL, MEDLINE e Web of Science através dos descritores enfermagem, retenção urinária e ultrassom. Foram inclusas as publicações realizadas no período de 2001 a 2011, nos idiomas inglês, português e espanhol que responderam a pergunta da pesquisa. Etapa 2- Estudo descritivo, mediante autorização ética (Parecer P129-12/2012), desenvolvido junto aos enfermeiros de um Centro de Reabilitação de Portugal, com auxílio de Escala de Autoconfiança na Assistência de Enfermagem à Retenção Urinária (EAAERU). Trata-se de uma escala já validada, tipo Likert de 32 itens, agrupados em cinco fatores: medidas prévias a realização do cateterismo voltadas ao preparo do paciente e profissional; comunicação, consentimento e preparo do material para realização do cateterismo urinário; medidas realizadas durante a realização do cateterismo urinário e/ou em situações iatrogênicas; medidas realizadas após a realização e retirada do cateterismo; avaliação objetiva da RU. Foram encontrados os seguintes resultados: Etapa 1 - Dos 234 artigos encontrados, após leitura exaustiva dos títulos e resumos, foram selecionados 21 artigos. Entre eles, 21 (100,0%), todos foram publicados em inglês, 10 (47,6%) em periódicos de enfermagem, 10 (47,6%) em periódicos médicos e 1 (4,7%) em periódico interdisciplinar.Em relação aos níveis de evidência, 1 (4,7%) apresentou nível I, 1 (4,7%) nível II, 9 (42,8%) nível III, 1 (4,7%) nível IV e 9 (42,8%) nível VI. Quanto aos países de publicação: Canadá (19,0%), Estados Unidos da América (19,0%), Inglaterra (19,0%), Noruega (9,5%), Taiwan (9,5%), Itália (9,5%), Austrália (4,7%), Holanda (4,7%) e França (4,7%). O ano que apresentou maior número de publicações foi o de 2005 (28,5%). Todos os artigos demonstram a eficácia e a eficiência do uso do equipamento na avaliação do paciente em retenção urinária. Etapa 2 - Fizeram parte da amostra 40 enfermeiros; a maioria do sexo feminino (62,5%), com idade média de 35,3 anos, que obtiveram o título de Enfermagem entre 1978 e 2010. Entre eles 13 (32,5%) eram especialistas em reabilitação. A maior parte dos enfermeiros referiu que trabalha na profissão há cerca de 20 anos e 23 (57,5%) possuem menos de cinco anos de tempo de experiência no local de trabalho atual. Assim como na escala original para avaliação dos itens da escala foi utilizado o teste do Alpha de Cronbach que demonstrou uma elevada correlação (Valor de Alpha 0,969) de todos os itens da EAAERU. Quanto à análise de correspondência da autoconfiança dos enfermeiros em relação aos cinco fatores propostos pela escala os resultados demonstraram que os enfermeiros referem confiante, muito confiante e completamente confiante para medidas prévias a realização do cateterismo voltadas ao preparo do paciente e profissional; muito confiante e completamente confiante para comunicação, consentimento e preparo do material para realização do cateterismo urinário; muito confiante e completamente confiante para medidas realizadas durante a realização do cateterismo urinário e/ou em situações iatrogênicas; completamente confiante para medidas realizadas após a realização e retirada do cateterismo e pouco confiante e confiante para avaliaçãoobjetiva da RU. Conclui-se que o US é um método eficiente e confiável, que supera a investigação de sinais e sintomas clínicos. Permite o diagnóstico precoce, é um procedimento não invasivo, indolor, que utiliza a tecnologia de forma segura e avalia com precisão a necessidade ou não do cateterismo urinário, evitando a distensão excessiva da bexiga urinária e as complicações oriundas desse fato. Conforme os resultados da amostra é possível observar que mesmo com os predicados que o US possui, na assistência de enfermagem a retenção urinária, a avaliação do paciente em RU é o procedimento mais complexo e exerce influência negativa na autoconfiança do enfermeiro
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 29.01.2014
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      JORGE, Beatriz Maria; MAZZO, Alessandra. Ultrassom portátil de bexiga: evidências científicas e autoconfiança do enfermeiro. 2014.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2014. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22132/tde-21052014-185453/ >.
    • APA

      Jorge, B. M., & Mazzo, A. (2014). Ultrassom portátil de bexiga: evidências científicas e autoconfiança do enfermeiro. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22132/tde-21052014-185453/
    • NLM

      Jorge BM, Mazzo A. Ultrassom portátil de bexiga: evidências científicas e autoconfiança do enfermeiro [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22132/tde-21052014-185453/
    • Vancouver

      Jorge BM, Mazzo A. Ultrassom portátil de bexiga: evidências científicas e autoconfiança do enfermeiro [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22132/tde-21052014-185453/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021