Exportar registro bibliográfico

Restrição de crédito, setor informal e produtividade (2014)

  • Authors:
  • Autor USP: ARAUJO, JULIA PASSABOM - FEA
  • Unidade: FEA
  • Sigla do Departamento: EAE
  • Subjects: CRÉDITO; IMPOSTOS; EMPREENDEDORISMO; DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO
  • Keywords: Credit; Economic Development; Entrepreneurship; Taxes
  • Language: Português
  • Abstract: A partir de um modelo padrão de empreendedorismo e crédito, como o proposto por Evans e Jovanovic (1989), este trabalho pretende analisar os efeitos de impostos e restrições de crédito sobre as escolhas ocupacionais dos agentes. Para tanto, adiciona-se ao modelo básico a possibilidade de coexistência de empreendedores atuando no setor formal e informal. A principal diferença entre estes reside no fato de que o setor formal está sujeito à cobrança de impostos e pode obter empréstimos mediante um colateral, dado por uma proporção da riqueza do agente. No setor informal não há incidência de impostos e todo o financiamento da empresa deve ocorrer via recursos próprios. Os dois setores também possuem funções de produção distintas. Além disso, são acrescentadas: alíquotas de impostos sobre o salário e rendimentos das empresas formais, bem como uma condição de equilíbrio geral no mercado de trabalho, já que os próprios empreendedores do modelo demandam este insumo. Cada indivíduo possui uma dotação de riqueza e talento empresarial. O modelo foi calibrado de acordo com algumas características da economia brasileira e em seguida foram realizadas simulações nos parâmetros de crédito e tributos. A partir das escolhas ocupacionais é possível mensurar os efeitos sobre eficiência, nível de formalização e desigualdade de renda na economia. O modelo calibrado gera uma perda de renda na ordem de 30%, com a restrição de crédito possuindo o maior efeito individual. Os resultados são maissensíveis a variações no tributo sobre o setor formal. Tributar trabalhadores possui o efeito não trivial de melhorar a eficiência da economia por desincentivar o empreendedorismo informal, menos produtivo e mais intensivo em mão de obra. Por fim, a restrição de crédito possui uma relação não monotônica com o salário de equilíbrio e desigualdade de renda
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 27.06.2014
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      ARAUJO, Julia Passabom; RODRIGUES JUNIOR, Mauro. Restrição de crédito, setor informal e produtividade. 2014.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12138/tde-01092014-162534/ >.
    • APA

      Araujo, J. P., & Rodrigues Junior, M. (2014). Restrição de crédito, setor informal e produtividade. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12138/tde-01092014-162534/
    • NLM

      Araujo JP, Rodrigues Junior M. Restrição de crédito, setor informal e produtividade [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12138/tde-01092014-162534/
    • Vancouver

      Araujo JP, Rodrigues Junior M. Restrição de crédito, setor informal e produtividade [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12138/tde-01092014-162534/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021