Exportar registro bibliográfico

Fatores associados à aquisição de Staphylococcus aureus resistentes à oxacilina (MRSA) em recém-nascidos de parto hospitalar (2014)

  • Authors:
  • Autor USP: GARCIA, CILMARA POLIDO - FM
  • Unidade: FM
  • Sigla do Departamento: MIP
  • Subjects: STAPHYLOCOCCUS; RESISTÊNCIA MICROBIANA ÀS DROGAS; GRAVIDEZ; FATORES DE RISCO
  • Keywords: Aleitamento materno; Breast feeding; Educação; Education; Fatores de risco; Gravidez; Intensive care units, neonatal; Methicillin-resistant Staphylococcus aureus; Newborn; Pregnancy; Recém-nascido; Risk factors; Staphylococcus aureus; Staphylococcus aureus; Staphylococcus aureus resistente à Meticilina; Unidade de terapia intensiva neonatal
  • Language: Português
  • Abstract: Na última década, Staphlylococcus aureus resistentes à meticilina não multidroga resistente (NM-MRSA) tem sido descrito como um importante agente de infecção de corrente sanguínea em nosso serviço. Este estudo de coorte prospectivo, realizado entre fevereiro de 2009 e janeiro de 2010 na unidade neonatal, avaliou 403 recém-nascidos (RN), suas 382 mães e 148 profissionais da área da saúde (PS). Duzentos e dezessete NB (54%), 187 mães (48%) e 87 PS (59%) foram colonizados por S. aureus (SA). A colonização por S. aureus resistente à meticilina (MRSA) foi maior entre RN (15%) do que entre mães (4.7%) e PS (3.4%). Embora a transmissão da mãe para seu RN tenha ocorrido, na maior parte dos casos, a mãe não foi a responsável pela colonização do RN. Houve dois padrões predominantes de polimorfismo do DNA por eletroforese em campo pulsado (PFGE) entre os RN, e algumas mães e PS foram colonizados por eles. Fatores estatisticamente associados com colonização por MRSA foram baixo nível de escolaridade materna (fator de risco - OR: 2.99; 95%CI: 1.10-8.07) e rinossinusite materna (fator protetor - OR: 0.33; 95%CI: 0.12-0.88). Entre os Rn que permaneceram hospitalizados mais do que 72 horas, o aleitamento materno foi protetor (OR: 0.22; 95%CI: 0.05-0.98). Todos os isolados foram NM-MRSA, portavam poucos fatores de virulência e Staphylococcal Cassete Chromossome mec (SCCmec) tipos IVa e IVd predominaram. Embora não tenham ocorrido casos de infecção, a transmissão nosocomial de MRSA claramenteocorreu na unidade neonatal e aponta para a necessidade de implementação de práticas de controle de infecção, como higienização das mãos para prevenção de infecção cruzada. Outras práticas de promoção à saúde, básicas, mas abrangentes, podem ser fundamentais, como educação e aleitamento materno
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 29.04.2014
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      GARCIA, Cilmara Polido; LEVIN, Anna Sara Shafferman. Fatores associados à aquisição de Staphylococcus aureus resistentes à oxacilina (MRSA) em recém-nascidos de parto hospitalar. 2014.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5134/tde-12082014-162736/ >.
    • APA

      Garcia, C. P., & Levin, A. S. S. (2014). Fatores associados à aquisição de Staphylococcus aureus resistentes à oxacilina (MRSA) em recém-nascidos de parto hospitalar. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5134/tde-12082014-162736/
    • NLM

      Garcia CP, Levin ASS. Fatores associados à aquisição de Staphylococcus aureus resistentes à oxacilina (MRSA) em recém-nascidos de parto hospitalar [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5134/tde-12082014-162736/
    • Vancouver

      Garcia CP, Levin ASS. Fatores associados à aquisição de Staphylococcus aureus resistentes à oxacilina (MRSA) em recém-nascidos de parto hospitalar [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5134/tde-12082014-162736/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021